Resultado de busca para : 




A primeira plataforma de Influenciadores Digitais de moda e lifestyle do mundo

TODOS OS POSTS

124 resultado(s) encontrados.
  • Sorvete natural de abacate e cacau

    Os benefícios do abacate para a saúde incluem ajudar a hidratar a pele e os cabelos e melhorar a circulação sanguínea por conter gorduras saudáveis. E receita de hoje é um sorvete de abacate e cacau, uma sobremesa saborosa e saudável super simples! O abacate ajuda a melhorar o rendimento para as pessoas que praticam exercícios físicos, por ser rico em energia. Ele também ajuda a prevenir doenças cardíacas e câncer, por ser rico em vitaminas e antioxidantes que fortalecem o sistema imunológico e previnem a formação de aterosclerose. Além disso, por possuir ômega 3, ele atua como antioxidante e melhora o controle do colesterol. Já o cacau ajuda a melhorar o humor, promove a saúde cardiovascular e regula a flora intestinal, pois contém flavonoides que servem como alimento para as bactérias probióticas. O cacau em pó é um grande aliado na dieta e vida saudável, pois proporciona, além de benefícios, uma sensação de prazer e gostosura. Isso faz com que ele seja uma boa indicação para aqueles momentos em que a pessoa tem vontade de comer chocolate. O sorvete de hoje é uma forma pouco usual de sobremesa com aproveitamento do abacate. Além de muito gostoso, é uma opção saudável de sorvete sem necessidade de comprar nenhum emulsificante ou estabilizante. Se dispensarmos a etapa do congelamento, pode ser usado como mousse ou recheio de tortas. Receita de sorvete natural de abacate e cacau Ingredientes: 1 abacate maduro Açúcar mascavo à gosto 3 colheres (sopa) cheias cacau em pó 1 colher (café) extrato ou essência de baunilha 1 pitada canela em pó Modo de Fazer: Bata todos os ingredientes no liquidificador até ficar cremoso. Coloque em freezer até começar a congelar. Bata na batedeira pra restituir a consistência cremosa e sirva como sorvete, sobre frutas ou utilize como recheio de tortas doces (ou mini canapés). É só arrumar a mesa da sobremesa bem bonita e se deliciar! Centro de Mesa Catavento – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Moda, Upcycling e a dupla de estilistas Viktor & Rolf

    O Upcycling vem mudando o mundo da moda e outros segmentos, pois além de ser uma prática sustentável, é garantia de estilo e originalidade. Hoje, falamos sobre esta prática e sua relação com a produção de roupas e acessórios. Segundo Marina Colerato, da plataforma que discute consumo consciente “Modefica”, “A roupa mais sustentável que existe já está pronta”. Isso quer dizer que por mais que uma marca se preocupe em utilizar, por exemplo, algodão orgânico e sua produção seja totalmente controlada, o meio ambiente vai, de alguma forma, sofrer com a extração de materiais. Logo, a opção ideal é buscar peças em brechós e participar de feiras de trocas – isto é uma forma de praticar o Upcycling. Upcycling industrial, moda e informação O upcycling industrial transforma resíduos descartados em novos produtos com melhor qualidade, o que é incrível, já que neste segmento o desperdício costuma ser grande. Nesta produção, a maioria das sobras de produção em massa estão relacionadas a máxima eficiência no corte de tecidos, o que acaba utilizando até 85% do material, deixando bordas e extremidades do rolo de fora. Portanto, quando a indústria se compromete com práticas mais sustentáveis, os resultados podem ser incríveis e o meio ambiente agradece. Um exemplo de estilistas que fazem um trabalho incrível com o Upcycling, é a dupla Viktor&Rolf. “Boulevard of Broken Dreams” é o nome da coleção Primavera/Verão 2017 de alta costura apresentado pela dupla holandesa na semana de moda de Paris. O curioso sobre sua coleção está na composição das roupas: elas foram feitas com materiais de coleções anteriores. A ideia de compor vestidos com peças diferentes de outros projetos representam fragmentos de vidas passadas. Na temporada anterior, a dupla holandesa trabalhou com o upcycling utilizando todos os retalhos de tecidos que estavam guardados em seus arquivos e os reutilizou em uma coleção encantadora. Eles também rasgaram os vestidos de suas temporadas anteriores e os reinterpretaram em novas peças, fazendo uma forte declaração sobre sustentabilidade na moda. Tudo de Bemglô, não é? Apesar destas mudanças que vem acontecendo aos poucos, a melhor forma de fazer moda sustentável acessível é dando informação e fazendo as pessoas entenderem. Muita gente não tem noção da quantidade de água e de energia que é necessária para produzir uma peça de roupa nova. Para quem ainda não é adepto, vale lembrar que o Upcycling é muito vantajoso, a começar pela economia. Adquirindo um produto usado ou repaginado, você paga mais barato, ajuda alguém e ainda poupa o planeta. Ações simples que, se forem bem organizadas, salvarão vidas! 😉 Almofada Redonda Fuxicão – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Roraima e sua harmonia com a natureza

    Responsável por abrigar uma diversidade gigantesca de belezas naturais, dentre formações rochosas de milhões de anos, rios e natureza a perder de vista, a imensidão ecológica de Roraima é encantadora. Não obstante, as serras, florestas, cachoeiras e pinturas rupestres do Parque Nacional do Monte Roraima possuem a capacidade energizante de transformar cada pessoa que por ali passa. É no Parque Nacional do Monte Roraima que está o ponto mais setentrional do país, a Serra do Caburaí, próximo à tríplice fronteira Brasil-Venezuela-Guiana. O parque ostenta formações geológicas de rara beleza, envolvidas por florestas e acolhe nascentes de rios importantes da região, como o Cotingo, que exibe várias quedas d’água ao longo de seu curso. Nas rochas do parque é possível ver também registros de povos pré-históricos que habitaram a região. É lá que fica o famoso Monte Roraima, um dos pontos mais elevados do país, com 2.875 metros de altitude. Roraima e a população indígena Talvez por conta da sua forma, é chamado pelos índios locais, os caribés, de “tepui”, que indica um monte em formato de mesa. É um local mágico, inspirador, um verdadeiro mundo perdido que tem mais de 2 bilhões de anos! Além de ser um perfeito paraíso para os viajantes amantes do trekking, pois é preciso caminhar 15 quilômetros, sempre subindo, para chegar ao topo da montanha. Além das belezas naturais do Parque Nacional, Roraima é um dos estados brasileiros com maior população indígena. Eles são distribuídos em várias etnias, como por exemplo os Macuxi, Wapichana, Ingaricó, Yanomami, Waimiri-Atroari, Wai-Wai, Taurepang, Patamona, Yekuana, Sapará. Num mês tão importante como o de Abril, que envolveu a campanha “Mexeu com índio, mexeu com clima”, é necessário relembrar que ao valorizarmos e preservarmos o modo de vida indígena, estamos preservando o nosso ecossistema. Para os que vivem em um mundo marcado pelos antagonismos, pela degradação da natureza e pela violência dos conflitos sociais, é estimulante refletir sobre uma sociedade sem classes e que vive em harmonia com a natureza! Weekend Bag

    Leia Mais

  • O mundo respira!

    Essa é a imagem que me vem, fechando o mês de abril. O assunto na Bemglô foi sustentabilidade e me sinto feliz em perceber uma forte consciência em busca de soluções para a preservação do meio ambiente em todas as partes do mundo. Mais do que isso, vejo que esse tema passou a fazer parte da vida das pessoas, que estão colocando em prática as técnicas e o conhecimento dos nossos avós. Sim, de volta ao começo, para reaprendermos o que deixamos passar batido. Mirando no modo de vida dos nossos irmãos índios do Brasil, que exigem a demarcação de suas terras, porque eles dependem delas para sobreviver! Ganharemos todos com isso, ganha o Brasil, por ocupar a posição de defesa da nossa floresta. O mundo precisa de nós. O mundo não para: precisamos falar sobre o futuro do meio ambiente Naturalmente a evolução da vida demanda um jeito pra vivermos melhor e a sustentabilidade finalmente ganha espaço na vida das pessoas. Trazendo uma atitude mais fraterna também, já que cada indivíduo tem importância sendo parte de um todo. Por isso, a parceria com a Rede Asta traz para a Bemglô um enorme valor: nos mostra que é possível ser sustentável, gerando renda, fortalecendo nossa cultura e empoderando centenas de mulheres. Fazendo o bem para o mundo! Tudo de Bemglô, né? No mês de maio vamos falar sobre o empoderamento das mulheres, um valor ímpar que temos de cuidar e multiplicar. Aguarde! Beijos, Almofada Redonda Fuxicão – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Livros e sustentabilidade: praticando a leitura sustentável

    Algumas pesquisas realizadas por editoras, jornais e organizações mostraram que tanto e-books quanto os livros impressos podem causar impacto ao meio ambiente, de uma maneira ou de outra. Então, como praticar um hábito de leitura sustentável? Tanto para se produzir livros de papel quanto os digitais, as fábricas precisam de matéria-prima, energia e transporte. É preciso pensar em todo o processo, toda a cadeia produtiva, não apenas no resultado. Porém, ao contrário do que parece, os livros impressos ainda são mais sustentáveis do que os virtuais. Para lermos um livro digital é preciso uma plataforma digital: computadores, celulares, smartphones, tablets ou o e-reader, criado especificamente para guardar os livros em formato digital. É aí que se encontra o perigo. Depois de pronto, o e-reader pode evitar o corte de muitas árvores, mas o processo de produção causa mais impacto no meio ambiente do que produzir um livro. Esse processo envolve as peças viajarem entre países até se juntarem, depois viajam um pouco mais até chegarem a todos os países que vão vender o aparelho, fora toda a energia e matéria-prima que são utilizadas na produção. E como todo aparelho eletrônico, o e-book precisa ser recarregado frequentemente, gastando ainda mais energia. Já a produção de livros fica concentrada em um país só. Precisa das mesmas coisas do outro: matéria-prima, energia e transporte, mas numa escala bem menor. Livros digitais e físicos: Praticando a leitura sustentável A leitura sustentável é uma forma de consumo consciente: adquirir conhecimento e informação gerando o mínimo de impacto possível na natureza. Como uma grande parte da população tem acesso ao computador, ou pelo menos acesso à rede (através de celulares, tablets…), não é necessário comprar um e-reader. Para poder ler os seus livros, basta começar a comprar e baixar os e-books na internet direto no seu computador ou celular. Uma dica interessante para não cansar os olhos é inverter as cores na página, colocando o fundo em preto e as letras em branco. Além disso, existem os Sebos, que disponibilizam uma enormidade de títulos por preços mais acessíveis. Além de impedir que árvores se tornem papéis, você pratica o consumo consciente e ainda economiza! Se você tiver um grupo de amigos ou familiares que tenham gostos parecidos, vocês podem escolher títulos que se interessam e comprar um único exemplar para revezar entre si. Se apenas um comprar e for emprestando aos outros, bens naturais serão poupados e a natureza agradecerá! Livro 40 Anos de Gloria

    Leia Mais

  • Hortelã: saiba por que você deve plantar e ter sempre em casa

    Como não amar ervas naturais, seus aromas e propriedades? Cada uma com a sua função e toque especial de sabor faz a diferença tanto no paladar, quanto na saúde. Outra coisa bacana sobre ervas é a possibilidade de plantá-las em casa, o que é econômico, sustentável e saudável. Pensando nisso, hoje a gente te dá algumas razões para se ter hortelã plantada em casa. A erva, que está presente em balas, drinks, chás e até mesmo em cosméticos, une poderes que fazem toda a diferença em nossas vidas. A hortelã contém antioxidantes poderosos, vitaminas A, B6, C, E, K, ácido fólico e a riboflavina. Ingerida ou apenas inalada, a planta proporciona muitos benefícios. Segundo estudo da University of Maryland, nos EUA, a hortelã tem poderes antibacterianos, antifúngicos e anti-inflamatórios. Benefícios da hortelã Conheça alguns dos benefícios desta aromática: Digestão A erva relaxa os músculos do estômago e melhora o fluxo de bile, que o corpo usa para digerir gorduras. Ingerir em forma de chá é uma boa pedida. Alívio de sintomas da asma e problemas respiratórios em geral Seu aroma ajuda a abrir as vias aéreas. Por isso, pessoas que sofrem com alergias ou asma se beneficiam da erva. Realizar inalações ou beber o chá pode ser bem útil para aliviar os sintomas. Para facilitar a respiração instantaneamente, adicione cerca de cinco folhas de hortelã em um pouco de água quente e inale. Gripes e resfriados O menthol existente na erva é um eficiente descongestionante, além de um ótimo expectorante. A hortelã ajuda a expelir muco e a diminuir tosse. Alívio de coceira e irritações da pele Esta erva tem propriedades anti-inflamatórias e é antipruriginosa. Por isso pode ser utilizada para aliviar áreas que coçam. Quando aplicada topicamente, tem efeito calmante e refrescante em irritações causadas por urticária, hera venenosa ou carvalho venenoso . Alívio de náuseas O cheiro de óleo essencial de hortelã ou folhas de hortelã frescas pode ajudar a aliviar a sensação de enjoo e ânsia. Até a próxima! Gel de Banho Esfoliante Bemglô 150ml – Avatim Comprar

    Leia Mais

  • Moda: saiba tudo sobre a jornalista de moda Lilian Pacce

    Se você ama moda, então precisa conhecer melhor Lilian Pacce, editora-chefe do GNT Fashion que está entre os 500 profissionais de moda mais importantes do mundo, segundo a lista do “Business of Fashion”. O currículo de Lilian é vastíssimo. É publisher do site http://www.lilianpacce.com.br, colaboradora do jornal “O Estado de São Paulo”, além de outras publicações. Nas horas vagas ainda ministra palestras sobre moda, tendências, comportamento e ecotendências. Formada em jornalismo e mais alguns períodos de Psicologia, estudou na London College of Fashion e na Saint Martin’s School of Fashion, pela qual já passaram nomes como Stella McCartney, John Galliano e Alexander McQueen. O canal do Youtube para quem ama moda: Lilian Pacce O canal de Lilian Pacce (https://www.youtube.com/lilianpacce), que hoje conta com mais de 15 mil inscritos, é um dos mais poderosos da plataforma de conteúdo da jornalista. Além do Youtube, Lilian possui outras redes como Instagram, Twitter, Facebook e Pinterest. Todos muito bem alimentados com conteúdo fresquinho sobre as últimas tendências e novidades do universo da moda. Quem buscar por seu conteúdo, encontrará entrevistas com estilistas, modelos, maquiadores, digital influencers, celebridades, além de é claro, momentos de vlogger da própria Lilian. Nesses vídeos, a apresentadora do GNT comenta desfiles e apresenta webséries superespeciais. Quer saber por onde começar a assistir? Confira dois destaques do seu canal: o Lilian Quebra Tudo (https://www.youtube.com/playlist?list=PL5SUWSJ1XMsrFCcf-QXTgClJXvn4lVKmm), que acompanha toda a reforma da sala de TV da jornalista, e o Lilian Tattoo (https://www.youtube.com/playlist?list=PL5SUWSJ1XMsp0MCLzqic6Y0cU90WKFrT0), que investiga o universo da tatuagem e fala com tatuadores e tatuados (famosos incluídos, como Sasha Meneghel, Cléo Pires, Paolla Oliveira, Chay Suede e outros). Moda, psicologia e sustentabilidade O mais bacana da formação de Lilian ter tido um “pé” na Psicologia é que isso acaba se refletindo em seu trabalho, porque ele envolve, além do conhecimento, o contato com as pessoas. Segundo ela, seu lado psicóloga aparece quando entrevista pessoas e precisa ouví-las com atenção para encontrar assuntos interessantes e originais. Quem pensa que a apresentadora sempre sonhou com a carreira em jornalismo de moda, está muito enganado. O seu desejo quando ingressou na faculdade era “mudar o mundo”. Esse desejo inicial apareceu mais tarde (depois de descobrir seu amor pela moda) no engajamento com as causas ambientais. Em seu site existe uma categoria chamada “Recicle-se”, onde os artigos são todos relacionados a algum assunto que una moda e sustentabilidade – o que é tudo de Bemglô! Lilian é autora dos livros” Pelo Mundo da Moda”, “Ecobags – Moda e Meio Ambiente” e “Herchcovitch; Alexandre”, além de ter recebido duas vezes o prêmio de melhor jornalista de moda do país, pelo Phytoervas Fashion (1998) e pela ABIT Fashion Brasil (2000). Lilian também é pioneira na campanha contra o uso de sacolas de plástico descartáveis. Convidada por Eduardo Jorge, secretário do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo, fez a curadoria da exposição de lançamento da campanha “Eu Não Sou de Plástico” em 2007, com o objetivo de incentivar a redução do uso de sacolas descartáveis, principalmente as de plástico que demoram mais de 200 anos para se decompor. Siga a Lilian nas redes sociais e aproveite o melhor conteúdo da moda! 😉 Youtube: https://www.youtube.com/lilianpacce Facebook: https://www.facebook.com/lilianpacce/ Twitter: @lilianpacce Instagram: @lilianpacce Pinterest: https://br.pinterest.com/lilianpacce/ Bolsa Ecobag Ecopet Amarelo Sereia Rosa Alça de Corda Shalom – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Ceviche de shitake, adaptação da clássica receita peruana

    O ceviche é um prato típico Peruano, criado a princípio por pescadores. O prato tem base crua e um sabor de limão bastante acentuado. Nessa versão vegetariana que tal substituir o peixe por um tipo de cogumelo, como por exemplo o shitake? Como hoje é o dia da Terra, nada mais apropriado do que usar produtos que ela nos dá para uma receita deliciosa! Uma primeira versão do ceviche é registrada como sendo de cerca de 2000 A.C. entre o povo Mochica do litoral norte do Peru, onde o peixe era marinado em suco de tumbo ou curuba (um fruto similar ao maracujá). Os Incas faziam algo similar usando “chicha”, bebida fermentada de milho. Ainda em tempos pré-colombianos foi acrescentada a pimenta “aji”, muito picante, hoje obrigatória nesse prato. O limão só veio a ser usado a partir do século XVI quando chegaram os espanhóis, sendo hoje indispensável nas receitas. Há algumas justificativas para a escolha de substituir o peixe do ceviche por cogumelos: o fato de deles serem cultivados no Peru (incluindo o Shitake), a textura e a possibilidade de manter o prato com a base igualmente crua e com a mesma rapidez. Há diversas variações para o prato, mas limão, cebola, coentro fresco (que pode ser substituído por uma mistura de salsinha com semente de coentro, um pouco mais aromática) e pimenta estão sempre presentes nelas. Você pode servir o seu ceviche de shitake como entrada, acompanhado com milho tostado, milho fervido (mote) e batata doce (camote). Ou pode ser o prato principal de uma refeição, acompanhado com batatas “portuguesas” ou doces cozidas, ou milho cozido. Modo de preparo do ceviche Ingredientes: 200g de Shitake fresco (ou outro cogumelo fresco) Suco de 1 e 1/2 limão tahiti 1 cebola roxa média 1/2 xícara de salsinha picada (ou coentro) Sementes de coentro a gosto Pimenta do reino Páprica doce em pó Molho de pimenta ou pimenta em conserva picadinha Uma pitada de açúcar mascavo Um fio de azeite Modo de Fazer: Misture o shitake com o limão e reserve por uns 10 minutos. Pique a cebola em tiras, pique bem a salsinha. Esprema suavemente e misture todos os ingredientes. Consuma imediatamente acompanhado de batata doce (cozida, assada ou frita) e milho verde cozido, ou até croutons! É só arrumar a mesa e bom apetite! Centro de Mesa Catavento – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Leitor amigo do planeta: dicas de livros sobre sustentabilidade

    No próximo domingo, dia 23, é o Dia Mundial do Livro. Pensando nesta data, selecionamos cinco livros pra lá de interessantes sobre sustentabilidade, tema que amamos e achamos super válido saber mais. Se você é um leitor sedento por conhecimento, aproveite o post e confira as dicas. Livros para um leitor antenado no futuro do meio ambiente Educação e sustentabilidade, de Maria Alice Ictubal A crise vivenciada pela sociedade contemporânea é, para muitos, uma crise civilizatória que exige soluções urgentes diante das agressões à natureza provocadas pelo desenvolvimento do mundo moderno. É visível a necessidade de impor limites a esse crescimento que tem afetado tanto a preservação do planeta Terra. É necessário um novo modo de pensar que seja mais inclusivo e cooperativo, tendo a sustentabilidade como eixo de atuação, respeitando distintas realidades, contextos e níveis de desenvolvimento, de modo a estimular a análise do que conservar e do que renovar. O Manual do arquiteto descalço, de Johan Van Lengen. Neste livro, o leitor encontra explicações sobre Bioarquitetura, um conceito que une ecologia, arquitetura e urbanismo. Durante a leitura, o autor revela técnicas e maneiras de construção em harmonia com a natureza e os seus recursos, promovendo o equilíbrio entre o meio ambiente e o desenvolvimento. Além disso, o autor propõe explicações surpreendentes sobre contextos climáticos, formas e materiais que capacitam soluções sobre energia, água e saneamento que ajudam na obra. Pegada ecológica, de Genebaldo Freire Dias O livro mostra o impacto humano na natureza, incluindo quanta terra e água são utilizadas para produzir tudo o que uma pessoa consome, seja alimento, energia, meios de transporte, vestuário e outros bens materiais ou intangíveis que sustentam um determinado estilo de vida. Lixo: cenários e desafios, de Maurício Waldman Esse livro reúne soluções para repensar criativamente a questão dos resíduos sólidos e propõe alternativas para um mundo sustentável. Discutindo os aspectos de um tema que interessa a todos os membros da sociedade contemporânea, a obra problematiza o tema, relacionando-o com as ciências da sociedade. Mobilidade urbana e meio ambiente, de Eduardo Alcântara de Vasconcellos Este livro reúne informações que envolvem a mobilidade urbana: a forma como funcionam as cidades, o modo como as pessoas organizam seus deslocamentos e que recursos são consumidos na mobilidade. Além disso, o autor também aponta sugestões de medidas para melhorar o trânsito, o transporte público e também para a redução dos impactos no meio ambiente. Boa leitura! A alquimia dos sabores Comprar

    Leia Mais

  • Turismo social: abrindo caminhos para a evolução pessoal

    Sob o ponto de vista clássico, o turismo social trata da realização de viagens de lazer para segmentos populares da sociedade e para grupos em situação de vulnerabilidade. Isso significa abrir caminhos para os que não têm oportunidade de participar dos benefícios econômicos da atividade turística, com vistas a uma distribuição mais justa da renda e à geração de riqueza. Diferente do voluntarismo e do turismo cultural, o conceito do turismo social é adaptar algo, antes inacessível a quem não tem condições de alcançar por algum motivo. É tornar acessível aquilo que é de carácter essencial para o desenvolvimento da vida em particular e em sociedade ou seja, o direito de lazer, de viajar e de se conhecer, além de conhecer diferentes culturas e pessoas das mais variadas esferas socioeconômicas. Entre as muitas atividades disponíveis, é possível ensinar inglês em orfanatos na Tailândia ou no Peru, auxiliar em aulas de equitação para pessoas com deficiência na África do Sul, ser voluntário em uma clínica de medicina alternativa na Índia ou cuidar de crianças vítimas de abuso no Chile. Há também projetos com viés ambiental, em santuários de felinos ou de aves raras, parques de elefantes e reservas de animais selvagens em países como África do Sul e Namíbia. Algumas organizações que oferecem turismo social No Brasil existem algumas organizações que levam pessoas a países remotos do mundo para participar de trabalhos sociais. A duração dos pacotes varia, em média, de duas semanas a um ano, e os empregos disponíveis são variados. Destacamos a ActionAid e o programa “Mão na Massa”, que leva brasileiros para conhecer projetos e beneficiários da ONG internacional dentro e fora do país.  A Aiesec e o projeto “Cidadão Global”, que leva jovens de 18 a 30 anos para fazer intercâmbios sociais em vários países (É preciso cursar graduação ou pós-graduação ou ter no máximo dois anos de formado). Além dessas, existe a CI, agência de intercâmbio que possui roteiros voltados para trabalho voluntário em países como África do Sul, Peru, Sri Lanka, Namíbia e Índia. Eles tem projetos com foco social, em lugares como centros de saúde ou orfanatos e ambiental, em santuários de aves, elefantes e felinos, por exemplo. Já a empresa Experimento oferece diversas opções de viagens com foco em voluntariado. Entre elas, trabalhar em uma fazenda orgânica na África do Sul, ajudar uma instituição que preserva a cultura turca em Istambul e ensinar inglês para crianças na Tailândia ou no Peru. Por último, destacamos a STB e os programas de trabalho voluntário com crianças e adolescentes, idosos, mulheres, animais e projetos ambientais. Os destinos incluem África do Sul, Seychelles, Costa Rica, Índia, Thailandia, Nepal, Sri Lanka, Vietnã, Argentina e Guatemala. Podem participar dos programas pessoas com idade a partir de 18 anos. Portanto, que tal a sua próxima viagem envolver um destino em que você faça parte de um ambiente de inserção e respeito, que confere benefícios sociais e educativos? Essas iniciativas turísticas permitem a evolução de cada indivíduo como pessoa e como cidadão. Uma prática sustentável que é tudo de Bemglô! Mochila Marrocos – Rede Asta Comprar  

    Leia Mais

  • Produtos do bem: transformando resíduos e pessoas

    A sustentabilidade no processo de fabricação de produtos é um conceito que pode ser aplicado de várias formas, desde a busca pela redução da indústria convencional até às práticas que poupam o meio ambiente em cada etapa. Além disso, o que também caracteriza este tipo de produto no final do processo, é o seu valor agregado. O valor agregado nada mais é do que um resultado de processos e atividades adicionados a um item, que o valorizam em relação ao que era antes, bem como a história da sua criação. O futuro, que é sustentável, está focado na diversidade e na recriação dos afetos, reaproximando pessoas e valorizando aquilo que vai além do bem material, como vínculos, histórias e vivências. Essa é a realidade que buscamos com a parceria Asta+Bemglô. Nosso desejo é mudar o mundo aos poucos e devagar, a fim de chegarmos a um lugar muito melhor lá na frente. Produtos com alma Na rede Asta, existe um encontro entre demandas de produtos do mercado e o trabalho das artesãs. O processo todo engloba a cocriação das peças com uma equipe de designers até gerar o resultado final: o produto, exclusivo e único, feito com reaproveitamento de diferentes materiais que seriam descartados. O impacto disso é positivo tanto para o meio ambiente, quanto para pessoas, que são capacitadas e notadas na sociedade com todo o seu potencial e valor. A Asta começou impactando 2 pessoas e atualmente já chega ao número de quase 3.000. O foco é justamente esse: valorizar o trabalho de milhares de pessoas que possuem conhecimento, mas nem sempre conseguem por em prática e ter resultados, seja por falta de informação ou por falta de incentivo. Abaixo, assista à mais um episódio desta história, onde o foco é este produto final, gerado a partir de materiais como lonas, retalhos de tecidos, garrafas PET, alumínio e histórias do bem.   Produtos Asta+Bemglô Comprar

    Leia Mais

  • Mexeu com índio, mexeu com clima

    Amanhã, 19/4, é dia do índio e foi pensando nele que resolvemos apoiar uma campanha que envolve o mundo todo: “Mexeu com índio, mexeu com clima”. Esta campanha tem como objetivo demonstrar o apoio da sociedade aos índios do Brasil na luta contra o desmatamento e o fim das terras que pertencem a esse povo. Vamos pintar nossos rostos e postar nas nossas redes sociais para apoiar a causa e conscientizar o mundo. Não precisa ser urucum, basta utilizar tinta ou alguma maquiagem! Por que o índio precisa da nossa ajuda? Tudo o que o índio quer é preservar seu modo de vida e para isso, precisam das suas terras ancestrais. Estas terras são cobiçadas por um grupo pequeno e influente, onde existe muito interesse e ganância em jogo. Os direitos dos povos indígenas são garantidos na Constituição de 1988, mas além de não realizar novas e necessárias demarcações, o Ministério da Justiça publicou em janeiro uma Portaria com a finalidade de reavaliar processos de demarcação feitos anteriormente pela já enfraquecida Funai. Quando o índio preserva seu modo de vida, preserva também a floresta, pois isso faz parte de sua cultura e essência. Além disso, a preservação da natureza regula o clima do planeta. Segundo o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), o desmatamento da Amazônia cresceu 29% em 2016; isso dá quase 8 mil quilômetros quadrados de área devastada, a maior desde 2010. Este crescimento deve representar um aumento de 130 milhões de toneladas de gás carbônico nas emissões brasileiras. Um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) confirma que demarcar Terras Indígenas é a forma mais eficaz de combater o desmatamento. Dados do Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) apontam que o desmatamento é dez vezes menor em TIs (Terras indígenas) do que em terras não demarcadas. As TIs da Amazônia armazenam um estoque de 13 bilhões de toneladas de carbono. Sem essa reserva, o Brasil não conseguirá cumprir as metas do Acordo de Paris, que fixou em 1,5° o aumento da temperatura média do planeta até 2050. Portanto, essa luta também é nossa! Precisamos unir forças para que o índio possa existir em paz enquanto o planeta é poupado das mazelas do “homem branco”. Amanhã, dia dezenove, é Dia do Índio. Mostre sua cara nas redes sociais e entre nessa conosco. Demarcação já! Para quem quiser saber mais sobre o assunto, acesse os links abaixo: Ministro da Justiça altera demarcação de terras indígenas no país http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/01/1851036-ministro-da-justica-altera-demarcacao-de-terras-indigenas-no-pais.shtml Desmatamento cresce em Unidades de Conservação no meio da Amazônia http://sustentabilidade.estadao.com.br/noticias/geral,desmatamento-cresce-em-unidades-de-conservacao-no-meio-da-amazonia,70001704735 Desmatamento na Amazônia cresce 29% em um ano http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2016-11/desmatamento-na-amazonia-cresce-29-em-um-ano Ministro da Justiça critica índios e diz que ‘terra não enche barriga’ http://m.folha.uol.com.br/poder/2017/03/1865209-ministro-da-justica-critica-indios-e-diz-que-terra-nao-enche-barriga.shtml?mobile Nós somos a terra (artigo de Sonia Bone Guajajara, coordenadora-executiva da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) http://m.folha.uol.com.br/opiniao/2017/03/1869299-nos-somos-a-terra.shtml?mobile Cortes na Funai atingem setor que analisa grandes obras na Amazônia http://www1.folha.uol.com.br/poder/2017/03/1870071-cortes-na-funai-atingem-setor-que-analisa-grandes-obras-na-amazonia.shtml Lendas que assombram o campo http://umagotanooceano.org/?bibliografia=mito-agrotoxico Dar o título de terras aos índios reduz desmatamento em 75% na Amazônia http://oglobo.globo.com/sociedade/sustentabilidade/dar-titulo-de-terras-aos-indios-reduz-desmatamento-em-75-na-amazonia-21156918?utm_source=Twitter&utm_medium=Social&utm_campaign=compartilhar Índios não podem ‘ficar parados no tempo’, diz novo chefe da Funai http://www.bbc.com/portuguese/brasil-39510285 Anel Duplo Plumas Comprar  

    Leia Mais

  • Dieta Paleo: saiba tudo sobre este tipo de alimentação

    Uma pessoa que pratica exercícios possui um gasto energético elevado por meio de seus treinos, portanto a adequação da sua composição corporal pode ser feita sem grandes dificuldades ajustando corretamente a dieta. O que determina a relação dieta e treinamento está relacionado ao tipo de exercício praticado e a necessidade de emagrecer. Com isso, a dieta paleo, ou paleolítica, vem ganhando cada vez mais adeptos. O que ela pretende é ensinar a você um cardápio/menu congruente, que lhe faça deixar de lado os fast foods e lanches rápidos para comer aquilo que realmente faz bem ao seu organismo e poder lhe proporcionar saúde e bem estar. Mas como funciona a Dieta Paleo na prática? Esqueça os amidos, o leite, os grãos, o sal e diversos outros que são obtidos através da industrialização dos elementos. Ao invés disso, prepare-se para transformar completamente os seus hábitos alimentares e assumir, nesse quesito, a mentalidade do “homem paleolítico”. Mas tenha muito cuidado com a maneira como você vai conduzir a dieta, uma vez que algumas substâncias presentes em outros alimentos certamente vão fazer falta ao seu organismo e, nesses casos, você precisa vir a consumi-los intercalados com a dieta. A dieta paleo tem vários pontos positivos. O programa exclui alimentos processados e açúcares refinados e dá ênfase a vegetais, frutas, castanhas e carne de animais alimentados com capim. A fonte dos nutrientes que são evitados seria substituída por outros alimentos presentes na paleo. O consumo de grãos pode ser facilmente abolido, pois encontramos os mesmos nutrientes na batata doce e em outras sementes, sendo muito mais saudáveis. Uma dica é fazer a dieta por 15 dias (no máximo) e depois voltar ao consumo dos alimentos normalmente. Depois de ao menos 7 dias se alimentando corretamente, você poderá retomá-la. É importante manter sempre esse ciclo para manter sua saúde fora de risco. Para saber exatamente como organizar as receitas que irá utilizar durante o decorrer dos dias, utilize o bom senso. Você precisa de refeições leves e pouco calóricas. E, o mais importante, consulte seu médico antes de embarcar nessa nova dieta. Somente ele poderá indicar se ela é adequada ou não para seu corpo e se trará bons resultados, bem como o que cortar de fato ou não. Sabendo disso e tendo em mente que cada pessoa tem uma necessidade energética diferente, tudo o que precisa fazer é criar seus pratos sem exagerar nos alimentos permitidos. Por exemplo: uma banana é mais que suficiente como lanche, nada de exageros! Brinquedo Banana – Zee.Dog Comprar

    Leia Mais

  • Profissões de moda do futuro

    Quando olhamos para o mundo da moda, percebemos as poucas opções de profissão no mercado. Além disso, existe uma padronização na forma de pensar, o que acaba limitando de certa forma outras possibilidades. Porém, com a necessidade da preocupação com sustentabilidade, dentre outros, é provável que algumas profissões surjam em um futuro próximo. Hoje a gente te mostra cinco delas e explica por que elas podem mudar muita coisa neste universo. Profissões de moda que estão por vir Engenheiro de impressão 3D A impressão 3D veio para ficar e além de ser uma forma de variar a maneira como uma roupa é produzida, ela também é uma porta de entrada para novos designers. Isso porque esse tipo de impressão torna todo o processo mais rápido, fácil e barato, e até as grandes marcas, como Chanel e Iris Van Herpen já começaram a usar essa tecnologia para a criação de roupas. Psicólogo de Consumo Existem muitas teorias que explicam as tendências de moda e o porquê as pessoas escolhem seu estilo de roupa. Portanto, não é uma surpresa que surja dentro da área da psicologia, uma vertente da moda. Pesquisador e desenvolvedor de tecidos Ainda na onda das novas tecnologias, marcas como a Nike e a Adidas (que desenvolveu um tecido feito com plástico retirado do oceano) estão constantemente desenvolvendo e procurando por novos tecidos para melhorar a performance dos atletas. Esses tecidos são a matéria prima da moda, por isso é apenas natural que exista uma profissão focada em buscar novas fontes de matéria-prima e estudar como a tecnologia está afetando esses tecidos. Expert em sustentabilidade A busca por uma forma de produção e venda mais sustentável tem marcado a moda ultimamente, o que é muito bacana, já que este segmento gera muitos perigos para o mundo. O objetivo deste profissional é estudar o processo de produção da marca e entender onde podem ser feitos ajustes tornando a marca sustentável, evitando desperdícios. Personal Stylist para todos No passado, só quem tinha personal stylist eram celebridades. Hoje em dia, com o surgimento do e-commerce, o ato de comprar tem se tornado mais humano e está cada mais acessível para consumidores online. Até a próxima! Almofada Jeans Bordado Cometa – Rede Asta Comprar  

    Leia Mais

  • Pão caseiro sem lactose, para todos os gostos!

    A receita de hoje é um delicioso pão caseiro sem lactose. Perfeito para compor sua mesa do almoço de Páscoa com saúde, estilo e muito sabor! Você vai precisar de: 1 kg de farinha de trigo ½ copo de óleo de coco 2 ½ copos de água morna 1 ovo ligeiramente batido com um garfo 1 sachê de fermento biológico de 10 gramas 2 colheres de sopa de açúcar refinado 1 colher de chá de sal Modo de preparo do pão caseiro Em uma vasilha grande, coloque a farinha de trigo, o óleo, o ovo ligeiramente batido com um garfo, o fermento, o açúcar e o sal. Misture rapidamente com uma espátula. Coloque a água aos poucos e vá misturando com as mãos. Dificilmente você precisará utilizar toda a água. Passe a massa para uma área de trabalho (eu utilizo a bancada da pia devidamente higienizada). Sove até ficar homogênea. E não se preocupe, você não ficará musculosa (o). Para dar ponto bastam 5 minutinhos. (Ela ficará como na foto grande) O ponto exato é quando ela estiver fácil de modelar, sem grudar nas mãos. Se a massa grudar, acrescente um pouquinho mais de farinha. Se ficar muito seca, acrescente um pouco mais de água. (Se você for colocando a água aos poucos no começo, não precisará fazer essa correção). Faça uma bola com a massa e a coloque na vasilha utilizada no primeiro passo. Cubra com um pano de prato para a vasilha ficar bem protegida e a deixe crescer por 1 hora ou até dobrar de tamanho em um lugar quente, dentro do forno (desligado), por exemplo. Em dias quentes ela crescerá bem rápido. Depois de crescida, sove a massa mais um pouco e a abra com um rolo de macarrão. Você pode fazer pães individuais ou fazer pães grandes. Divida a massa na quantidade de pães que desejar. Você poderá recheá-los ou fazê-los puro. Fica a critério do cozinheiro. Sirva os pães numa linda cesta e bom apetite! Cesta de Pão Patchwork P – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Amigos do planeta: conheça artistas plásticos que dedicam as suas obras ao ativismo ambiental

    Obras de arte são, além de admiráveis, excelentes ferramentas de comunicação. Os artistas colocam um pouco de si em seus trabalhos e enviam mensagens que impactam as pessoas através de sua essência. Hoje, selecionamos artistas plásticos que são amigos do planeta e através do que expõem, passam uma mensagem importante. Artistas plásticos que são amigos do planeta Agnes Denes O trabalho mais conhecido desta artista, pioneira na arte ambiental, é o campo de trigo. Ele foi criado durante um período de seis meses, na primavera, verão e outono de 1982, quando Denes, com o apoio do Fundo de Arte Pública, plantou um campo de trigo dourado em dois acres de aterro coberto de escombros, perto de Wall Street e do World Trade Center, em Manhattan (agora o local do Battery Park City e do World Financial Center), nos Estados Unidos. A obra é um forte ato discursivo para demonstrar que um terreno baldio pode ser útil. Após o plantio, mais de mil quilos de trigo foram colhidos e distribuídos para 28 cidades ao redor mundo. Mierle Laderman Ukeles Desde 1976, a feminista Mierle Laderman Ukeles é artista residente do Departamento de Saneamento da Cidade de Nova Iorque. Seu trabalho incorpora o diálogo e a participação da comunidade em torno de questões centradas na vida e na sustentabilidade. Ela chamou a atenção para a manutenção dos sistemas ecológicos urbanos em geral, para a transferência de materiais usados ​​e recicláveis ​​e para a vida de trabalhadores de manutenção diária. Wendy Osher O projeto ecocolaborativo de Wendy conectou mulheres de todo mundo utilizando sacos plásticos como matéria-prima para fazer crochê em formato de mamas. Osher juntou os componentes para fabricar uma forma colorida e orgânica atraente, para chamar a atenção para as toxinas que escoam para águas internacionais. A obra se destina a aumentar a consciência social sobre a importância de corrigir a contaminação da água. Frans Krajcberg Krajcberg luta e grita contra o que chama de barbárie do homem contra o homem e do homem contra a natureza. “A minha vida é essa, gritar cada vez mais alto contra esse barbarismo que o homem pratica”. Ele faz da sua arte um grito de revolta ao transformar restos de troncos e galhos calcinados após queimadas em esculturas. “Quero que minhas obras sejam um reflexo das queimadas. Por isso, uso as mesmas cores: vermelho e preto, fogo e morte”. Nele Azevedo O projeto mais famoso de Nele é o “Melting Men”. A obra consiste na instalação de centenas de bone00quinhos de gelo. O trabalho tem como foco um dos assuntos mais urgentes que ameaçam a nossa existência: os efeitos das mudanças climáticas. Eduardo Srur Este artista incrível realiza intervenções urbanas que chamam atenção de milhões de pessoas para a questão ambiental. A inserção de suas obras no cotidiano da cidade, faz com que os expectadores reflitam, mesmo que por um breve momento, sobre as questões propostas. Srur transita entre a fotografia, escultura, vídeo, performance, instalações e intervenções urbanas. Suas obras são bem-humoradas, porém impactantes e com forte dimensão crítica. O mais bacana é perceber como as pessoas tem se conscientizado cada vez mais e tem se preocupado em sair de suas zonas de conforto para mudar a situação crítica do mundo. Tudo de Bemglô! Almofada Jeans Bordado Cometa – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Chile encantado: Huilo Huilo e seu astral mágico

    Mantendo o caminho da sustentabilidade, o destino que apresentamos hoje é um lugar que pode ser considerado mágico, por conta de suas belezas naturais e astral encantador. Você já ouvir falar de Huilo Huilo, reserva biológica localizada no Chile? De tantas paisagens encantadoras, podemos definitivamente classificar esse destino como a floresta encantada da patagônia Chilena! Huilo-Huilo oferece a chance de viver uma experiência de floresta temperada -com bosques exuberantes, rios, lagos, cachoeiras e….neve, claro! No quesito hospedagem, tem para todos os gostos! A reserva possui diferentes tipos de acomodação, conseguindo receber muito bem desde o mochileiro até o viajante que busca mais conforto. A fauna é um capítulo à parte. A floresta de Huilo-Huilo é habitada por bichos como o pudú, o menor cervo do mundo (com 40 cm de altura), o kod-kod (também o menor do mundo, mas entre os gatos selvagens) e até um marsupial, conhecido localmente como “macaquinho de Monte”. Coloque nesse cenário um punhado de hotéis lúdicos, e fica difícil escapar do clichê: como definir este lugar, senão como a floresta encantada do sul do Chile? Chile sustentável A reserva recebeu o prêmio da National Geographic World Legacy Awards, na categoria “Conservação do Mundo Natural”, atualmente contando com uma excelente estrutura para descanso e aventura. No inverno, é uma excelente opção para famílias que busquem diversão na neve, sem precisar necessariamente esquiar. Tudo isso cuidando para que o ecoturismo e o turismo responsável sejam efetivamente praticados e mantidos! Além da proposta hoteleira inusitada, outro aspecto interessante e reconhecido do trabalho de Huilo-Huilo é a preocupação com a integração da comunidade local e a preservação do meio ambiente. Também são desenvolvidas pesquisas sobre como preservar a fauna e a flora locais, como o centro de conservação do huemul (um tipo de cervo em extinção) que já ganhou destaque internacional, a reintrodução dos guanacos na selva e o resguardo dos sapitos de Darwin, uma espécie de sapo também em extinção. Aproveite o descanso e relaxe contemplando as paisagens verdes, ou desfrute de atividades variadas como o canopy, trekking, cavalgada, esportes náuticos e pesca esportiva. Por fim, se pretende visitar o Chile no inverno, aproveite divertidas atividades para realizar sobre neve e gelo! Faça as malas e boa viagem! Weekend Bag   Comprar

    Leia Mais

  • Economia do bem: transformando artesãs em empreendedoras e produtos em histórias

    A produção sustentável é aquela que em todas as suas etapas, preza pelo respeito ao meio ambiente e à sociedade, valorizando as pessoas que estão envolvidas na cadeia produtiva e incentivando o consumo consciente. É uma economia do bem – assunto do post de hoje. Com base nestes princípios, o trabalho é aplicado à moda , ao design e fabricação de outros objetos com uma produção de valor social, sem exploração da mão de obra e com remuneração mais justa. Além disso, os produtos são feitos à mão, valorizando as técnicas ancestrais dos artesãos. Através deste processo, o processo sustentável agrega conceitos da economia solidária, formando redes de desenvolvimento socioeconômico em localidades que necessitam de investimentos. Isso gera empregos e contribui com mais conhecimento sobre empreendedorismo e possibilidades para gerar renda. Economia circular e de afeto Na Asta, as mulheres têm suas vidas transformadas por causa deste trabalho completo e consciente. Pensar no sistema como um todo, colabora para a inclusão de cada uma de forma justa e efetiva. É colocar em prática o termo “Estética com Ética”. O resultado positivo acontece, porque além de se preocupar com os saberes tradicionais, a Asta atua no empoderamento da mulher artesã e do seu pequeno negócio por meio de treinamentos, formação de redes de produção e criação de canais de venda. São mais de 1000 artesãs produzindo itens sustentáveis a partir de materiais reaproveitados (2,3 toneladas em 2013 e 797 kg em 2014). São mulheres guerreiras que estão transformando suas realidades e as comunidades onde vivem com seu trabalho e determinação. Elas se reúnem em 60 grupos produtivos que apoiamos com treinamentos, suporte logístico e fomento às vendas de suas produções. Confira mais um vídeo sobre este trabalho incrível e empoderador, realizado pela rede Asta. Ah, e não se esqueça de conferir os produtos lindíssimos em nossa loja! 😉 Beijos,   Almofada Jeans Bordado Cometa – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Páscoa sustentável, acessível e saudável

    A Páscoa possui rituais tradicionais que também podem ser envoltos de hábitos sustentáveis. Evitar desperdícios, consumo excessivo, fazer uma alimentação saudável e reciclar são, sem dúvida, parte deles. Então, que tal aproveitar essas dicas para ter uma Páscoa sustentável? Não tem como falar em páscoa sem pensar em chocolate. Independente de religiões, a oferta de produtos feitos à base de cacau é enorme, o que acaba por instigar a vontade comer pelo menos um chocolatinho. Sendo assim, para manter a páscoa sustentável, temos algumas sugestões para o doce mais querido desse feriado. Por exemplo, que tal consumir chocolates orgânicos? Os chocolates considerados orgânicos são livres de agrotóxicos, pois os cuidados de produção envolvem um processo integrado que abrange desde a lavoura até o processamento final na fábrica. Ou então adquirir ovos de páscoa artesanais (como os de colher, por exemplo), valorizando o trabalho de pequenos produtores e consumindo um produto fresco. Como são produzidos bem perto da Páscoa, eles não possuem conservantes e químicas prejudiciais à saúde.  Além de que, os sabores podem ser personalizados de acordo com o gosto de cada cliente! Você pode também preferir produtos feitos de alfarroba (falamos dela aqui). Mesmo para quem é diabético ou intolerante à lactose pode optar pelos chocolates de soja ou alfarroba, que são mais saudáveis e possuem um valor calórico inferior ao chocolate tradicional. Páscoa sustentável além do chocolate Não só de chocolate é feita a páscoa. O momento de união em família pode e deve ser aproveitado da melhor maneira possível. Por isso, experimente práticas ao ar livre nesse dia. Crianças e adultos podem brincar ao ar livre de “procurar os ovos de páscoa”, aproveitando melhor o dia e estreitando os laços de afeto e carinho. Aproveite a data e mude seu cardápio também, dando preferência a receitas saudáveis. Saladas, receitas integrais e até vegetarianas/veganas são super indicadas. Existem várias ideias ótimas no nosso blog, que tal dar uma conferida e montar um menu leve para uma páscoa sustentável? E nada de produtos descartáveis, o meio ambiente agradece! Na hora das lembrancinhas de páscoa e da decoração da casa, procure por produtos artesanais. Podem ser feitos por alguém ou por você mesmo! Transformar coisas que não tem mais utilidade em opções de lembranças ou para enfeitar seu cantinho para a páscoa, é uma ótima maneira de reutilizar materiais que seriam jogados fora e ainda evita o consumismo desenfreado. Guirlandas, decoração em potes de vidro, cestinhas para colocar os ovos… São várias ideias disponíveis pela internet que você pode consultar e criar! Feliz Páscoa! Cesta de Pão Patchwork P – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • O coqueiro salva vidas: conheça todos os benefícios

    Se um dia nos depararmos como náufragos em uma ilha deserta e houver um coqueiro, teremos um tesouro. O coqueiro pode salvar vidas. Com suas folhas e palhas dá abrigo para proteção da chuva e do sol. Elas também podem ser trançadas para fazer redes de dormir para evitar que animais rasteiros perturbem o sono de madrugada. O tronco do coqueiro poderá um dia virar uma canoa e ser o transporte para sair da ilha em busca do continente. Os cocos cortados ao meio viram cuias que podem servir como um prato para comer, guardar coisas ou tocar como instrumento de percussão. Rica em sódio e potássio, a água de coco trata a desidratação e repõe os sais minerais requisitados na atividade física. Seu óleo, composto por ácidos graxos de cadeia média, é uma fonte energética de rápida absorção. Na escassez de alimentos, os cocos com suas águas, polpas e óleos, fornecerão nutrientes para a sobrevivência. O coqueiro também é conhecido como “árvore da vida”. Com o coqueiro podemos fazer artesanatos, camas, capachos, brochas, escovas e tecidos grossos para sacos.  Da casca dura podemos fazer objetos caseiros. Do coco verde extraímos a sua água, rica em minerais e frutose. À medida que o fruto amadurece, a quantidade de líquido em seu interior diminui. Do coco maduro aproveita-se a polpa, uma massa branca úmida protegida sob a casca dura e que pode ser consumida in natura ou usada no preparo de receitas. É fonte de gordura, principalmente saturada, vitaminas do Complexo B e minerais. Da polpa madura extraem-se o leite de coco, o coco ralado, o farelo e o óleo de coco. O óleo além de nutritivo também pode ser muito bem aproveitado para massagem corporal e para dar brilho nos cabelos.  A gordura do coco também é usada para fazer sabão e cosméticos. Polêmicas e controvérsias fazem parte de quem é famoso e isso também aconteceu com o coco. Nos últimos três anos o óleo de coco virou verdadeira moda e começou a ser comercializado até em capsulas, ganhou prateleiras em casas de produtos naturais e farmácias. Um dos principais trunfos para este boom é a propaganda de que seu uso regular emagrece e reduz a gordura abdominal. Diante desta popularização, sobretudo referente à ingestão de seu óleo em capsulas, a Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN) decidiu esclarecer alguns pontos importantes sobre o assunto e além de descartar os benefícios para a perda de peso, os especialistas alertaram ainda para um risco: o maior consumo do óleo de coco, por ser rico em gordura saturada, pode aumentar placas de gordura nas artérias. “Quando comparado a óleos vegetais pouco ricos em ácido graxo saturado, uma recente revisão mostrou que ele aumenta o colesterol total”, alertou a ABRAN. Na verdade, temos que lembrar que não existe um alimento que emagreça ou tire a barriga. Existem combinações de alimentos que formam uma dieta que pode ou não ser emagrecedora. O óleo de coco pode fazer parte de uma dieta saudável de emagrecimento. Ele pode ser acrescentado às receitas na hora de untar a panela para fazer por exemplo, um refogado, um arroz ou um peixe. Devemos sempre evitar as frituras, aquelas onde o alimento é mergulhado no óleo quente. A quantidade do óleo deve ser suficiente só para dar um “brilho” na panela. Um pouco de gordura é necessário, faz bem ao cérebro e à vida. Muita gordura sobrecarrega o fígado, faz mal ao coração. “Nada Muito” é uma expressão sempre oportuna a ser observada até mesmo com alimentos saudáveis. Bolsa de Palha Bemglô Comprar  

    Leia Mais

  • Beleza sustentável: cuide de você enquanto cuida do planeta

    Ficar bonita é ótimo e cuidar da aparência em paz com o meio ambiente é melhor ainda. Por isso, a gente hoje te dá algumas dicas parra cuidar da beleza e ser amiga do planeta ao mesmo tempo. Beleza, sustentabilidade e cuidados Segundo a definição da ONU, sustentabilidade é a forma de desenvolvimento que não compromete as necessidades das gerações futuras. Quando as empresas se preocupam com a escolha da matéria-prima e usam embalagens recicláveis, elas já estão engajadas na luta por um mundo melhor. O primeiro passo é identificar estas marcas. Para identificar se  algum produto é ecologicamente correto, siga o passo a passo abaixo: Avalie Repare se a embalagem é confeccionada com material que permite o reaproveitamento. Veja se há caixas ou folhetos desnecessários que geram mais lixo. Cheque o site Quem faz divulga. Se a empresa trabalha com políticas de proteção socioambientais, certamente haverá um link sobre o assunto em seu site institucional. Busque dados complementares Verifique se existem informações técnicas sobre formulação, como percentual de ingredientes com origem vegetal renovável. Utilize refis Muitas marcas já investem em refis, o que diminui o impacto ambiental causado pelo descarte de embalagens no meio ambiente. Além disso, você acaba economizando, já que o refil custa menos. Além disso, sempre invista em métodos naturais de cuidado com a beleza utilizando produtos caseiros como mel, aveia, óleo de coco e por aí vai. O importante é a conscientização e a preocupação com o que deixamos no mundo para as próximas gerações. Até a próxima! Batom Bemglô Comprar  

    Leia Mais

  • Fricassê vegetariano feito com legumes

    Para os apreciadores de pratos cremosos, que ficam perfeitos acompanhados de um arroz fresquinho e muita salada, a receita de hoje é uma adaptação do tradicional fricassê de frango. Porém, numa versão vegetariana saborosa e que não deve nada ao “original”. Que tal aprender a preparar um fricassê vegetariano? Das diversas versões de fricassé, o de legumes é indiscutivelmente um dos mais saborosos. Como não leva nenhum tipo de carne, vegetarianos estão aconselhadíssimos a experimentar e se deleitar. Vale lembrar que é possível variar bastante as opções de recheio, colocando diferentes tipos de legumes, garantindo o resultado sempre muito saboroso! Modo de preparo do fricassê vegetariano 1 colher de sopa de azeite de oliva 1/2 cebola picada 1 cenoura pequena ralada 3/4 xícara de vagem cortada em rodelas finas 2 xícaras de brócolis (somente flores, sem talos) 1 lata de milho verde (sem a água da conserva) Sal e pimenta preta a gosto 1 lata de creme de leite light   Creme: 1 pote de requeijão light 2 colheres de sopa de salsinha picada 2 colheres de sopa de manjericão picado Pimenta preta a gosto Batata palha a gosto   Despeje o azeite em uma panela. Acrescente a cebola e aguarde murchar. Coloque a cenoura, a vagem, o brócolis e meia lata de milho verde. Tempere com sal e pimenta preta. Mexa, coloque uma colher de sopa de água e tampe a panela para os legumes murcharem. Enquanto isso, bata em um mixer ou no liquidificador o creme de leite com 1/2 lata de milho verde. Mexa os legumes novamente e assim que o brócolis e a vagem estiverem al dente, despeje a mistura do liquidificador. Acerte o sal e mexa até engrossar. Coloque em um refratário de vidro e reserve. Misture o requeijão, a salsinha e o manjericão. Coloque pimenta preta, se desejar. Despeje em cima dos legumes no refratário. Por último, coloque a batata palha. Sirva o prato quente e bom apetite! Conjunto Jogo Americano Fuxico – Rede Asta Comprar  

    Leia Mais

  • História de vida e transformação: conheça a Asta

    A história da Asta começou em 2003, quando duas jovens sonhadoras viajaram para a Ásia em busca de iniciativas sociais de sucesso. A forte crença delas de que o mercado pode e deve resolver problemas sociais no mundo foi a semente responsável pelo surgimento da Asta. Alice Freitas e Rachel Schettino se uniram em 2005 para criarem juntas o que hoje se tornou a Asta. As duas empreendedoras começaram por um projeto que capacitava 30 mulheres de uma cooperativa de catadores de material reciclável em Campo Grande, no Rio de Janeiro. Nesse projeto, as artesãs foram capacitadas a transformar jornal em arte. História de transformação de vida: o que a Asta faz? A Asta é um negócio social, onde várias pessoas são beneficiadas. Através de sua rede espalhada pelo Brasil com mais de 1000 artesãs, são criados produtos de decoração, brindes e acessórios, confeccionados por mãos talentosas e cheias de história para contar. Cada grupo de artesãs recebe orientação e suporte de uma equipe de designers e estilistas. Dessa forma, o resultado final é incrível e exclusivo. Cada peça confeccionada pelas artesãs da Rede Asta é impregnada de histórias de vida e transformação. Cada matéria-prima e resíduo é transformado em arte por mãos cheias de conhecimentos, gerando um produto final diferenciado e carregado de energias do bem. Ambientalmente correta, socialmente justa e economicamente viável. Assim é a Asta, que promove um círculo positivo de incentivo ao empreendedorismo e transforma o comércio em uma ferramenta de inclusão. Agora, confira mais um capítulo da história da parceria Asta+Bemglô e conheça mais um pouquinho desse negócio incrível: inclusivo para quem faz, exclusivo para quem compra. Ah, e fique atento as nossas redes para conferir a continuação! 😉 Árvore de Fuxico – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Ecoturismo, turismo responsável e turismo sustentável

    Uma atividade que influencia diretamente no desgaste dos recursos naturais é o turismo, que faz da natureza pontos turísticos e exige construções de infra- estruturas para receber os visitantes. Por conta disso nos últimos anos surgiram propostas para amenizar esses impactos, de maneira a conciliar a preservação da natureza com a expansão do turismo. Com isso, algumas confusões acerca do conceito de Ecoturismo, turismo responsável e turismo sustentável são feitas. No post de hoje esclareceremos algumas! Hoje em dia vivemos em meio às poluições, utilizamos os recursos naturais para atender nossas necessidades e na maioria das vezes nem nos damos conta do que estamos fazendo ao meio ambiente. Dentro de um planeta que convive cada vez mais com questões graves que impedem o desenvolvimento sustentável, o turismo responsável atua como potencial solução para estas e outras urgências. Por isso o turismo responsável busca uma realização segundo os princípios da justiça social e econômica, com pleno respeito ao ambiente e às culturas do local. Ele reconhece o papel central da comunidade local receptora e o seu direito de ser protagonista no desenvolvimento do turismo sustentável, além de ser socialmente responsável de seu próprio território. O Ecoturismo pode ser considerado como um segmento do turismo, enquanto o turismo sustentável se aplica a todos os seguimentos do mesmo. O ecoturismo caracteriza-se fundamentalmente em dois pilares da sustentabilidade – o ambiental e o econômico, carregando como premissas o cultural e o político no sentido da complementaridade. Já o Turismo Sustentável confere a cada um desses aspectos a mesma intensidade e engloba todos os seguimentos da cadeia de turismo. Aliando ecoturismo ao turismo sustentável Vários empreendimentos turísticos e as agências de viagem dizem que estão promovendo ‘ecoturismo’, mas na realidade, apenas estimulam o contato com a natureza e nada mais. Portanto, na próxima vez que for viajar fique ligado(a) e procure saber se o local em que você irá se hospedar ou a empresa que promove passeios turísticos, realmente adotam posturas e atitudes sustentáveis, ou se estão apenas visando o lucro. Durante caminhadas, entenda que o único rastro que um turista deve deixar na natureza são suas pegadas. Colabore com a preservação ambiental. Respeitar a flora e a fauna significa manter o local intacto, preservando suas condições naturais e causando o menor impacto possível à natureza. Caminhe sempre com um guia da região, que conheça muito bem as trilhas exploradas, não só para evitar a destruição de determinados locais virgens, mas também para sua própria segurança. Deixe os locais como você os encontrou: da natureza, leve apenas fotos e boas recordações. Para os amantes do camping, vale lembrar que turista consciente só acampa em locais permitidos: Não retire a vegetação para montar sua barraca! É importante também racionalizar o consumo de água e energia. Nos hotéis, reutilize toalhas e roupas de cama, dispensando a troca diária. Apague as luzes e desligue o ar condicionado e outros aparelhos elétricos antes de sair do quarto. Por fim, respeite os direitos humanos e incentive a economia local! Informe-se sobre os hábitos da região para não cometer desrespeito aos cidadãos. Fortaleça a identidade local adquirindo serviços, produtos e artesanato. Além das suas lembranças serem especiais, os souvenires serão peças únicas e cheios de história para contar! Árvore de Fuxico – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • O encontro: Bemglô e Asta cruzam seus caminhos

    Aqui na Bemglô, como vocês acompanham desde o início, damos muito valor às soluções criativas e amigas do planeta. Escolhemos cada pauta e cada parceria para promover práticas do bem, compartilhar boas ideias e dessa forma, seguirmos juntos rumo a esse sonho coletivo de um futuro melhor. Em meio a essa caminhada encontramos a Asta, um projeto que é a cara da Bemglô! Hoje, a gente conta como foi esse encontro. Encontro: Asta + Bemglô A Asta é uma rede de desenvolvimento social com preocupação ambiental. É um projeto que prioriza o consumo consciente em sua totalidade, se baseando no conceito do Upcycling, onde “tudo se transforma”, dispensando a necessidade de novas matérias-primas, reduzindo o consumo de energia e a poluição do ar e da água. Valorizando os artesãos, que fazem parte de uma rede por todo o Brasil, a Asta oferece suporte e cursos, onde eles aprendem sobre design, empreendedorismo e capacitação profissional, crescendo enquanto profissionais. A Asta, assim como nós, acredita que para promover o real consumo consciente é preciso pensar em toda a cadeia – da produção à comercialização, e não apenas no produto em si. O resultado é a transformação na vida de todos os envolvidos e a realização pessoal de cada um. O nosso encontro foi maravilhoso, já que nossas afinidades são muitas! Compartilhamos dos mesmos valores e queremos caminhar juntos daqui para frente. Portanto, aproveitem conosco esta parceria tudo de Bemglô! No vídeo abaixo, vocês conferem como aconteceu esse encontro lindo: Beijos, Almofada Redonda Fuxicão – Rede Asta Comprar

    Leia Mais

  • Bioconstrução: técnica milenar da pós-modernidade

    Bioconstrução é o termo utilizado para se referir a toda a construção que preza pelo menor impacto ambiental possível tanto na sua implantação quanto na escolha dos materiais, além de uma maior integração paisagística no entorno para privilegiar a aplicação de técnicas antigas e ancestrais e o uso dos materiais escolhidos. Toda bioconstrução precisa contar com algumas normas básicas para sua realização, como por exemplo o uso de materiais ecológicos e uma boa gestão dos resíduos, bem como o uso passivo e consciente dos recursos naturais. Há alguns séculos atrás a vida na Terra era muito diferente. Era mais trabalhosa e difícil, porém, a humanidade estava em equilíbrio com a natureza. Atualmente nos encontramos na beira de um colapso ambiental e energético, o que faz com que dia após dia a sociedade como um todo necessite buscar nos hábitos antigos uma solução para um futuro que, se não cuidarmos desde agora, será catastrófico. A Bioconstrução, portanto, veio demonstrar que é possível fazer uma casa confortável, com iluminação natural, sistema de aquecimento solar e/ou a lenha, ventilação cruzada, entre outros, sem continuar com o extermínio do nosso meio ambiente e seus recursos naturais. Ela não se limita apenas a construção da casa em si, mas nos faz refletir muitos valores e conceitos de nossa “sociedade moderna”. Bioconstrução: um conceito não tão novo assim Esse ressurgimento de técnicas tradicionais/ancestrais se faz urgente nos dias atuais e em um futuro muito próximo, fazendo uma união do conhecimento ancestral com as descobertas das ciências modernas em uma síntese do que cada um tem de melhor, rumo a uma sociedade mais humana e integrada com a natureza. Existem alguns produtos nessas construções que são bem diferentes do que conhecemos e muito interessantes para utilizar em construções. Por exemplo, o tijolo de adobe. Ele é feito com barro e palha mesclados, além de ser moldado e seco de forma natural. O mais interessante é que a palha que está presente na composição propicia grande conforto térmico. Ah, e o tijolo não é verde que nem na foto desse post não, ok? A imagem é meramente ilustrativa! Outra dica é a técnica dos Fardos de palha. As paredes construídas a partir dessa técnica são grossas e protegidas contra o frio ou o calor. Além de rápido e barato, esse processo é muito durável – há casas feitas de fardo que duram mais de 100 anos! As construções convencionais são responsáveis por aproximadamente 40% dos materiais e recursos gastos por ano no mundo! Isto é uma prática insustentável. Logo, se você estiver pensando em construir e gostaria de fazê-lo de uma maneira econômica e sustentável, vale a pena investir em técnicas da bioconstrução. Afinal, essas técnicas de construção já têm milhares de anos de aplicação comprovada, além de serem práticas sustentáveis! Cama De Gato – Crafta Comprar

    Leia Mais

  • Caminhada saudável: saiba mais sobre o Pedestrianismo

    Você já parou para pensar que desde o início dos tempos, o ser humano foi feito para andar e durante anos praticou isto no dia a dia? E mesmo que a tecnologia nos prive disso, através dos diversos meios de transporte, nós sempre fazemos uma caminhada em algum momento. Caminhar faz parte da nossa natureza e é muito saudável quando tentamos ir contra esta onda tecnológica, evitando o sedentarismo. Uma vida sedentária pode trazer consequências negativas, como um regresso funcional, perda de flexibilidade articular, aumento da ocorrência de doenças como a hipertensão arterial, diabetes, obesidade, entre outras. Andar a pé é uma opção de locomoção agradável, saudável, barata, sustentável e eficiente, mesmo que não seja a mais rápida. Por isso, as pessoas tem buscado esse retorno às origens e tem promovido práticas que estimulam as caminhadas. Caminhada saudável: afinal, o que é o pedestrianismo? O pedestrianismo é o exercício que consiste em fazer grandes marchas a pé. A prática desportiva, competitiva ou não, é muito realizada em ambientes naturais. Se realizada na natureza, a caminhada proporciona mais do que o combate ao sedentarismo. Na marcha da montanha ou a marcha nórdica, por exemplo, há interação e observação do meio, levando o conhecimento da fauna, flora e geologia do local. Esta prática promove a sensibilização e promoção do respeito à natureza, resgatando valores como a biofilia. A atividade envolve esporte, turismo e ambientalismo. Além disso, o foco do pedestrianismo é o simples prazer de desfrutar o caminho em si. Seja na sua cidade ou em um lugar diferente, os percursos conduzem as pessoas em um circuito que reúne história, conhecimento, paz e muita saúde! Apesar desta prática estar acontecendo em regiões afastadas com muita natureza, é possível caminhar muito nas áreas urbanas também. Aproveite para conhecer pontos turísticos ou visitar um bairro diferente caminhando bastante. Dessa forma, você fica mais saudável, contribui para o planeta e economiza! 😉 Até a próxima. Sandália Feminina Green Flip Flop Comprar

    Leia Mais

  • Maquiagem: tire suas dúvidas sobre o tipo de base ideal para cada pele

    Na hora da maquiagem, muitas pessoas tem dúvida sobre como escolher o produto ideal para sua pele. A base está no topo da lista dessas dúvidas e por isso, hoje resolvemos reunir algumas dicas. Antes de mais nada, é preciso entender qual o seu tipo de pele e como ela absorve produtos utilizados no dia a dia. Depois, é só escolher o tipo, optar pela cor mais próxima e aplicar corretamente. Maquiagem e seus segredos: descubra qual é o seu tipo de pele e base Peles oleosas Para este tipo de pele, é preciso pensar na preparação da pele antes de iniciar a make. Depois, é só escolher um produto que não sobrecarregue ao ser aplicado junto aos outros. Se você quer um efeito natural: escolha um CC cream que cobre os defeitos sem pesar. Se você quer um efeito iluminado: Escolha uma base iluminadora, que cobre as imperfeições, mantendo o brilho natural da pele. Se você quer um efeito opaco: Prefira a base em pó, que além de controlar a oleosidade ao longo do dia, permite dosar a cobertura. Se você quer alta cobertura: escolha uma base opaca líquida oil-free e de longa duração. Peles mistas Peles mistas precisam de atenção na hora de distribuir a maquiagem. Normalmente, este tipo de pele possui uma “zona T” que brilha mais do que o restante do rosto. Se você quer um efeito natural: Opte pela base superfluida, que é rapidamente absorvida e fácil de aplicar. Passe dando batidinhas com os dedos. Se você deseja um efeito Iluminado: Utilize base em bastão e após aplicar no rosto todo, misture um pouco da base com iluminador e espalhe nas têmporas e bochechas com as mãos. Se você quer um efeito opaco: Use base creme-pó, pois a textura é confortável e não compromete a opacidade. Utilize um primer para que deslize melhor. Se você deseja alta cobertura: Use base cremosa e finalize com pó translúcido na zona T para a make durar mais. Peles secas Se você deseja um efeito natural: use base fluida, pois possui multibenefícios como tratar a pele do rosto enquanto cobre imperfeições. Ativos anti-aging ou hidratantes são bem-vindos. Se você quer efeito Iluminado: use base líquida e espalhe com uma esponja umedecida em água termal para evitar ressecamento. Se você deseja efeito opaco: utilize base em musse, que tem acabamento de pó. Se você deseja alta cobertura: invista em bases de alta definição e abra mão do pó para evitar os temidos vincos de expressão. Anote nossas dicas, identifique o seu tipo de pele e arrase! Kit Banho Da Sereia Avatim – Hidratantes – 2 Itens Comprar

    Leia Mais

  • Panqueca de abobrinha: versão vegetariana e saudável

    Se preparada com criatividade, a abobrinha pode ser escalada para uma alimentação saborosa e ainda trazer muitos benefícios à saúde. Nesta receita, bastam poucos minutos para produzir uma delícia que todos vão querer (e poder) repetir! Que tal hoje uma panqueca de abobrinha light e deliciosa? A abobrinha reúne diversos benefícios para a saúde, principalmente quando ressaltamos seus altos valores nutritivos e sua versatilidade. Além do que é um dos alimentos mais ricos em vitamina do complexo B e do mineral magnésio. A hortaliça também é um ingrediente fundamental para as principais dietas de emagrecimento, controle de doenças e funções reguladoras do organismo, justamente por ser pouco calórica. O consumo regular de abobrinha ajuda a controlar o colesterol e a glicose no sangue. Rica em fibras, melhora o funcionamento do intestino e ainda contribui para o emagrecimento, já que aumenta a sensação de saciedade. Receita de panqueca de abobrinha Ingredientes: 4 a 5 abobrinhas médias ¾ de colher (chá) de sal 4 ovos 1 dente de alho, amassado ¾ xícara (chá) de farinha de trigo integral ½ xícara (chá) de queijo parmesão light, ralado 1 colher (sopa) de cebola picada ¼ colher (chá) de pimenta do reino Creme de leite light, se desejar Limão, a gosto   Modo de preparo: Corte as abobrinhas e rale grosseiramente. Em uma tigela grande, misture com o sal. Coloque em uma peneira para secar bem, cerca de 15 minutos. Na tigela onde estão as abobrinhas, coloque os ovos com o alho e bata. Em seguida, misture a farinha, o queijo, a cebola e a pimenta. Mexa bem. Faça as panquecas espalhando uma colher de sopa da mistura, em uma assadeira untada com azeite em spray. Leve para assar em fogo médio por cerca de 3 minutos de cada lado ou até que a panqueca esteja dourada. Sirva a panqueca quente e se desejar, cubra com uma colher de creme de leite light. Já pode chamar a turma para degustar este petisco light, já que o rendimento é de 30 panquecas, com apenas 31 calorias cada uma! Arrume a mesa bem bonita e bom apetite! Jogo Americano Redondo Comprar

    Leia Mais

  • A artista Sayaka Ganz e sua arte sustentável e mágica

    A artista japonesa Sayaka Ganz trabalha a sustentabilidade com muita arte através de suas obras incríveis. Ela transforma objetos descartados do cotidiano em esculturas que parecem quase vivas. Desde a infância, Sayaka sempre ficou impressionada pela crença Shinto, que conta que os objetos descartados prematuramente choram à noite no caixote do lixo. Em suas esculturas, ela alia o carinho por esses objetos à paixão de agrupá-los, como quem monta um quebra-cabeça. Uma artista que utiliza a magia da transformação em suas obras Sayaka passou sua infância no Japão, mas cresceu em vários países diferentes. Com isso, a constante necessidade de se ajustar a um novo ambiente lhe deu um forte desejo de se adaptar e criar harmonia em torno de si. A artista só seleciona os objetos utilizados e descartados. Seu objetivo é que cada objeto transcenda a sua origem por ser integrado a um animal/formas orgânicas, que estão vivas e em movimento. Este processo de recuperação e regeneração é libertador para ela. Impulsionada por uma combinação da sua paixão para instalação de formas estranhas junto a uma simpatia para com objetos descartados, ela cria animais a partir de plásticos (brinquedos, peças de metal, utensílios de cozinha e outros objetos). O processo dessas esculturas a ajudam a entender determinadas situações. Isso lhe lembra que mesmo se houver um conflito, agora há também uma solução em que todas as peças podem coexistir pacificamente. Embora existam grandes lacunas em algumas áreas e pequenos buracos em outras, quando vistos à distância não há grande beleza e harmonia em nossa comunidade. Através de suas esculturas ela transmite uma mensagem de esperança. Kit Lambe-Lambe – Acqua de Leo Lara – Compota Comprar  

    Leia Mais


TODOS OS BLOGS