Resultado de busca para : 




A primeira plataforma de Influenciadores Digitais de moda e lifestyle do mundo

TODOS OS POSTS

1441 resultado(s) encontrados.
  • MFW+PFW SPRING 2020: FENDI, LOUIS VUITTON E SAINT LAURENT

    Mesmo com o fim da semana de moda internacional, é incrível como sempre conseguimos achar (e descobrir!) alguns pontos para analisar com mais calma. Parece um throwback constante! Afinal, recebemos um boom de informações todos os dias e precisamos de um certo tempo para parar e olhar de novo. No caso, estamos falando de três marcas que fizeram suas apresentações e cada uma traz um destaque para ser pontuado. No caso da Fendi, a grife italiana fez, praticamente, o seu debut pós Karl Lagerfeld na semana de moda milanesa. Agora, sob comando de Silvia Venturini Fendi (que antes era a responsável pelas criações de bolsas e do masculino), a coleção feminina trouxe um ar fresh e mais comercial para a temporada de Verão 2020. Estampas florais supercoloridas, em shapes jovens e modernos, dentro de um mood solar, foram o ponto alto da passarela. Já na passarela da Louis Vuitton, Nicolas Ghesquière trouxe seu ar modernista para a alfaiataria de um jeito completamente desejável – e elevou o nível do que conhecemos como “mix de estampas”. Pense no encontro entre as estampas chevron e risca de giz, sendo uma em colete justíssimo, por cima de uma regata vermelha com gola polo, e outra na calça pantalona com bolsos – um utilitário bem diferente do comum. A estampa espinha de peixe ainda se repetiu em diversas formas, seja na composição de paetês coloridos + sobreposição de camisa xadrez, ou no blazer com ombros arredondados, no maior ar bufante-romântico. Por baixo, um macacão risca de giz com fundo branco.  Elegância com aquela pitada de ousadia. Anthony Vaccarello não poupa esforços para trazer recortes, transparências e comprimentos curtos para a Saint Laurent. Claro, sempre com a ideia de misturar os moods rocker + boho + boyish de formas surpreendentes. Para o Verão 2020, as apostas do estilista contaram com assimetrias com franzidos estratégicos; básicos renovados, como a camisa branca, usada com minishort de couro texturizado e trench coat; e, claro, o bom e icônico smoking, imortalizado por Yves Saint Laurent, coberto por paetês. Contrastes marcantes para a temporada! Com sofisticação e jovialidade acima de tudo, as marcas não economizaram na criatividade. Independente do estilo, é incrível como a liberdade – para misturar prints e deixar pele em evidência – guia as coleções. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: pearls

    Quando falamos sobre clássicos no universo da joalheria, sem dúvida, as pérolas estão no topo desta lista. Sinônimo de elegância e feminilidade, esta gema foi imortalizada por Gabrielle Chanel quando, na década de 1950, a estilista combinava versões falsas e verdadeiras no mesmo colar – afinal, Coco Chanel era conhecida por suas ideias transgressoras que iam contra as regras da moda da época. Inclusive, essa foi uma maneira de trazê-las para os visuais do dia a dia e torná-las acessíveis.   Para a temporada de Spring 2020, uma infinidade de versões que provam a atemporalidade e sofisticação indiscutível das pérolas. Entre as principais apostas estão as opções de formato de água salgada (que são redondas) e doce (neste caso, o shape é irregular com algumas curvas). Para os brincos, há uma inclusão das gemas em argolas, como na Adeam; curtos, como na Tory Burch; comprido em composição de tamanhos graduais, como na Jason Wu; e com ar moderno em gota, como na coleção de Rosie Assoulin. Já entre os colares, a aposta vai para uma estética over-chique, como apresentada por Anna Sui, com muitas voltas e uso de pedrarias. Um material que pode ser usado em vários estilos e ocasiões. E, cada vez mais, o universo fashion vem provando que é possível dar novas interpretações aos elementos icônicos. Ainda bem! Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • MFW+PFW SPRING 2020: FENDI, LOUIS VUITTON E SAINT LAURENT

    Mesmo com o fim da semana de moda internacional, é incrível como sempre conseguimos achar (e descobrir!) alguns pontos para analisar com mais calma. Parece um throwback constante! Afinal, recebemos um boom de informações todos os dias e precisamos de um certo tempo para parar e olhar de novo. No caso, estamos falando de três marcas que fizeram suas apresentações e cada uma traz um destaque para ser pontuado. No caso da Fendi, a grife italiana fez, praticamente, o seu debut pós Karl Lagerfeld na semana de moda milanesa. Agora, sob comando de Silvia Venturini Fendi (que antes era a responsável pelas criações de bolsas e do masculino), a coleção feminina trouxe um ar fresh e mais comercial para a temporada de Verão 2020. Estampas florais supercoloridas, em shapes jovens e modernos, dentro de um mood solar, foram o ponto alto da passarela. Já na passarela da Louis Vuitton, Nicolas Ghesquière trouxe seu ar modernista para a alfaiataria de um jeito completamente desejável – e elevou o nível do que conhecemos como “mix de estampas”. Pense no encontro entre as estampas chevron e risca de giz, sendo uma em colete justíssimo, por cima de uma regata vermelha com gola polo, e outra na calça pantalona com bolsos – um utilitário bem diferente do comum. A estampa espinha de peixe ainda se repetiu em diversas formas, seja na composição de paetês coloridos + sobreposição de camisa xadrez, ou no blazer com ombros arredondados, no maior ar bufante-romântico. Por baixo, um macacão risca de giz com fundo branco.  Elegância com aquela pitada de ousadia. Anthony Vaccarello não poupa esforços para trazer recortes, transparências e comprimentos curtos para a Saint Laurent. Claro, sempre com a ideia de misturar os moods rocker + boho + boyish de formas surpreendentes. Para o Verão 2020, as apostas do estilista contaram com assimetrias com franzidos estratégicos; básicos renovados, como a camisa branca, usada com minishort de couro texturizado e trench coat; e, claro, o bom e icônico smoking, imortalizado por Yves Saint Laurent, coberto por paetês. Contrastes marcantes para a temporada! Com sofisticação e jovialidade acima de tudo, as marcas não economizaram na criatividade. Independente do estilo, é incrível como a liberdade – para misturar prints e deixar pele em evidência – guia as coleções. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: pearls

    Quando falamos sobre clássicos no universo da joalheria, sem dúvida, as pérolas estão no topo desta lista. Sinônimo de elegância e feminilidade, esta gema foi imortalizada por Gabrielle Chanel quando, na década de 1950, a estilista combinava versões falsas e verdadeiras no mesmo colar – afinal, Coco Chanel era conhecida por suas ideias transgressoras que iam contra as regras da moda da época. Inclusive, essa foi uma maneira de trazê-las para os visuais do dia a dia e torná-las acessíveis. Para a temporada de Spring 2020, uma infinidade de versões que provam a atemporalidade e sofisticação indiscutível das pérolas. Entre as principais apostas estão as opções de formato de água salgada (que são redondas) e doce (neste caso, o shape é irregular com algumas curvas). Para os brincos, há uma inclusão das gemas em argolas, como na Adeam; curtos, como na Tory Burch; comprido em composição de tamanhos graduais, como na Jason Wu; e com ar moderno em gota, como na coleção de Rosie Assoulin. Já entre os colares, a aposta vai para uma estética over-chique, como apresentada por Anna Sui, com muitas voltas e uso de pedrarias. Um material que pode ser usado em vários estilos e ocasiões. E, cada vez mais, o universo fashion vem provando que é possível dar novas interpretações aos elementos icônicos. Ainda bem! Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • The magical night: BoF 500 gala

    É incrível como, às vezes, vemos um filme passando na nossa frente, reunindo cenas de várias situações que nos fizeram dar passos largos e fortes a um destino que desejamos. Na noite de segunda-feira, aconteceu o baile de gala do BoF 500, uma ocasião especialíssima que apresenta uma lista de nomes eleita por um dos veículos de negócios de moda e tendências de consumo mais importantes dos últimos tempos. Este ano, tive uma experiência única com o Business of Fashion em Londres, com uma série de palestras com personalidades altamente relevantes do mercado – entre elas, Stella McCartney falando sobre sustentabilidade. Trata-se de um portal, criado por Imran Amed que, ao longo do tempo, foi ganhando espaço no universo digital, com conteúdo de alta relevância, com informações exclusivas, análises profundas e discussões de nível global. É a fonte do que buscamos saber em tempo real. Há alguns anos, o Business of Fashion lançou o BoF 500, a seleção dos nomes mais relevantes da moda mundial. A grande novidade deste ano é que, para aqueles que já foram reconhecidos pela publicação inglesa em anos anteriores, o seu lugar nessa exclusiva delação está garantido. A cada ano, cem novos membros entram no clube. Com alegria, posso dizer que faço parte da “classe de 2013”, a primeira edição da lista e, como membro permanente, passo a receber cem novos associados a cada ano neste time de profissionais que está moldando o mundo e os negócios de moda. Sem falar, claro, na ideia de inclusão de uma diversidade de personagens de diversas origens que está inspirando e mostrando um pouco do seu trabalho ao resto da indústria fashion. Entre os destaques, o brasileiro Zeco Auriemo, principal nome por trás do Grupo JHSF, que tem o Shopping Cidade Jardim como um dos projetos, foi um dos principais parceiros da noite. Um verdadeiro orgulho para nós.  E não poderia faltar um detalhe especial! Para o BoF 500 Gala, escolhi um longo deslumbrante da marca mineira Barbara Bela, que leva 40 dias para ser produzido. Todo bordado a mão, a peça possui em torno de 1440 cristais sobre tule e brinca com detalhes, como transparência, decote off-shoulders e sobreposição de brilhos em um tecido leve e sofisticado. Os brincos são Ana Rocha & Appolinario. A night to remember! É única essa sensação de fazer parte de uma história, que reúne profissionais preocupados em movimentar o mercado de moda de uma forma consciente e cheios de vontade de dar ainda mais vida a uma indústria tão rica e encantadora. Para uma apaixonada por este universo, é uma alegria sem fim. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • The magical night: BoF 500 gala

    É incrível como, às vezes, vemos um filme passando na nossa frente, reunindo cenas de várias situações que nos fizeram dar passos largos e fortes a um destino que desejamos. Na noite de segunda-feira, aconteceu o baile de gala do BoF 500, uma ocasião especialíssima que apresenta uma lista de nomes eleita por um dos veículos de negócios de moda e tendências de consumo mais importantes dos últimos tempos. Este ano, tive uma experiência única com o Business of Fashion em Londres, com uma série de palestras com personalidades altamente relevantes do mercado – entre elas, Stella McCartney falando sobre sustentabilidade. Trata-se de um portal, criado por Imran Amed que, ao longo do tempo, foi ganhando espaço no universo digital, com conteúdo de alta relevância, com informações exclusivas, análises profundas e discussões de nível global. É a fonte do que buscamos saber em tempo real. Há alguns anos, o Business of Fashion lançou o BoF 500, a seleção dos nomes mais relevantes da moda mundial. A grande novidade deste ano é que, para aqueles que já foram reconhecidos pela publicação inglesa em anos anteriores, o seu lugar nessa exclusiva delação está garantido. A cada ano, cem novos membros entram no clube. Com alegria, posso dizer que faço parte da “classe de 2013”, a primeira edição da lista e, como membro permanente, passo a receber cem novos associados a cada ano neste time de profissionais que está moldando o mundo e os negócios de moda. Sem falar, claro, na ideia de inclusão de uma diversidade de personagens de diversas origens que está inspirando e mostrando um pouco do seu trabalho ao resto da indústria fashion. Entre os destaques, o brasileiro Zeco Auriemo, principal nome por trás do Grupo JHSF, que tem o Shopping Cidade Jardim como um dos projetos, foi um dos principais parceiros da noite. Um verdadeiro orgulho para nós.  E não poderia faltar um detalhe especial! Para o BoF 500 Gala, escolhi um longo deslumbrante da marca mineira Barbara Bela, que leva 40 dias para ser produzido. Todo bordado a mão, a peça possui em torno de 1440 cristais sobre tule e brinca com detalhes, como transparência, decote off-shoulders e sobreposição de brilhos em um tecido leve e sofisticado. Os brincos são Ana Rocha & Appolinario. A night to remember! É única essa sensação de fazer parte de uma história, que reúne profissionais preocupados em movimentar o mercado de moda de uma forma consciente e cheios de vontade de dar ainda mais vida a uma indústria tão rica e encantadora. Para uma apaixonada por este universo, é uma alegria sem fim. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • PFW Spring 2020: Balmain, Stella McCartney e Valentino

    Um suspiro seguido de outro! Nesta temporada em Paris, é surpreendente o quanto as coleções estão trazendo tantos desejos. Ainda mais por conta de algumas marcas, que contam histórias na passarela, além de mostrar apenas roupas. E, em tempos de tantos questionamentos na moda, acredite, isso faz toda a diferença. Começando por Olivier Rousteing, diretor criativo da Balmain, que trouxe suas power women para a cena com uma série de peças que provam muito sobre a sua brilhante visão para a casa fundada por Pierre Balmain. Para Spring 2020, ele investiu em um mood do final da década de 1990 e início dos anos 2000, com inspiração, basicamente, vinda das estrelas do pop da época. Britney Spears, Christina Aguilera e Beyoncé estão entre os nomes que fizeram parte deste quadro de referências elaborado pelo estilista para, acima de tudo, destacar a feminilidade com um viés sexy e cool ao mesmo tempo. Entre full looks vibrantes e brilhos, os visuais black and white foram, definitivamente, a maioria. Claro, todos carregaram uma brincadeira forte de texturas, outros mostraram como renovar transparências e até como combinar itens casuais com peças de paetês. Outro ponto alto diz respeito às estampas. Geometrias e listras foram as grandes apostas da vez, com suas combinações com olhar tão fresco e sofisticado. Já na Valentino, o estilista Pierpaolo Piccioli apresentou o que mais sabe fazer de melhor: peças luxuosas repaginadas. Para Spring 2020, ele optou por uma cartela democrática – dos neutros aos neons passando pelos terrosos – para vestidos e conjuntos, sejam eles trabalhados em volumes, franzidos ou superdecorados com estamparia ou bordados, babados, transparências e, claro, penas. Alguns dos detalhes preferidos de Pierpaolo para uma coleção com certo perfume renascentista. The last, but not the least! Stella McCartney, uma das minhas estilistas preferidas, desfilou algumas das peças que, com certeza, vão fazer a cabeça das fashionistas. Com sua sequência de alfaiataria impecável, entre versões estampadas e lisas, a ideia é mostrar que sempre há maneiras de renovar um clássico do guarda-roupa formal e dar novas interpretações. Além do tailoring, ela destacou shapes super femininos, com cintura marcada, padrões listrados, gráficos e florais, que são bem-vindos em uma temporada tão chique e contemporânea. Desejos para todos os estilos. Qual é o seu preferido? Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Les Sources de Caudalie

    Momentos encantadores em meio à natureza francesa. Há alguns dias, quem acompanhou o perfil do F*hits no Instagram viu que estive ao lado de Lala Noleto, Helena Lunardelli e Luiza Sobral na charmosa região de Bordeaux. Lá, Alice e Jérôme Tourbier, fundadores do hotel spa Caudalíe, juntos ao arquiteto Yves Collet, imaginaram um Chateau em total harmonia com um cenário composto por muitas árvores, flores e um lago principal. Aquela espécie de paraíso countryside.  Foi lá onde a história da marca de beauté começou. A propriedade dos pais de Mathilde Thomas se transformou na herança mágica do vinhedo associado aos benefícios poderosos naturais da uva nos cosméticos. Com design contemporâneo, enriquecido com madeiras de demolição, o destino traz em seu conceito um ambiente luxuoso e harmonioso, no ambiente natural, entre vinhedos e uma floresta. Por dentro do hotel, as suítes são aconchegantes e apresentam o contraste entre o rústico exterior e o toque avant garde na decoração interior. A cartela de cores traz certa tranquilidade e uma sensação de bem-estar único. A vista da janela parece uma pintura! Entre as experiências, conferimos de perto mais sobre os grandes diferenciais que transformam a Caudalíe em uma marca tão especial. Com foco no DNA ecológico (os ingredientes são naturais – extraídos das vinhas, sem origem animal ou qualquer agressão a natureza e à nossa pele) e comprometimento com o meio ambiente (as embalagens são otimizadas, reduzindo emissão de CO2), a empresa honra a natureza e segue o conceito de slow way of living. Além disso, tivemos um momento the real French pique-nique em uma tarde deliciosa, andamos de bicicleta – mesmo com chuva – e, claro, tivemos uma vivência no spa, com tratamentos exclusivos Caudalíe. Um pit stop necessário para recarregar as energias entre uma fashion week e outra. Estar em contato com o ar puro e com paisagens naturais são as melhores formas de dar start a uma agenda corrida e cheia de novidades e bons encontros. Melhor ainda se estiver superbem acompanhada. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: Sleepwear

    Quem acompanha cada boom de tendências nos últimos quatro anos, definitivamente, já está íntimo do estilo boudoir. Isso porque, durante as fashion weeks, uma série de visuais que trazem peças que lembram camisolas e lingeries. A febre foi importante para dar grandes respiros para a moda – no caso, derrubar muitas regras e liberar para usos mais casuais. No caso do sleepwear, ele deu as caras sozinho, mas também dividiu espaço com itens casuais, como as t-shirts, e mais tradicionais, como a alfaiataria. Para o próximo Verão 2020, há grandes apostas para a estética que reúne rendas, transparências e, principalmente, tecidos acetinados – que, muitas vezes, era reservado apenas para looks de festa. Na passarela da Blumarine, o longo surgiu com diversos recortes localizados na região do decote e cintura, com um contraste refinado de renda e cetim – uma peça ideal para evening wear. Há também a versão de um slipdress rosa curto com camadas na saia, com um ar fresh e jovem na medida certa. Para a Gucci, o estilista Alessandro Michele brincou com a combinação do vestido rosa e preto + luvas vermelhas longas e botas cuissardes. Um match que destaca uma certa estranheza à primeira vista, mas deu um jeito cool. No segundo visual assinado por Michele, o modelo tem rendas pink e fenda generosa na saia, trazendo uma pitada de diversão e ousadia moderna. Já na proposta que Paulinha Sampaio apostou durante a Semana de Moda de Milão, o combo composto por blusa de alça com renda + saia de jacquard e cinto largo. Uma combinação com alta voltagem fashionista para usar no daywear sem restrições!   Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: Laranja

    Dentro da cartela clássica do verão, não há dúvidas sobre a importância das tonalidades vibrantes. Elas são indispensáveis e perfeitas para usar em full looks ou em detalhes pontuais. Entre as preferidas pelas fashionistas está a cor laranja que, independente do estilo, serve como boa aliada para dar aquela injeção solar nos visuais. Recentemente, apostei em uma produção que combinava o vestido all orange com estampa de mini corações durante um dia deliciosos em Londres. Na ocasião, acrescentei um blazer azul nos ombros para fazer uma brincadeira de contraste cromático na medida certa. Afinal, um dos grandes segredos das it-girls é misturar tons fortes de forma descontraída. Já nas passarelas de Verão 2020, as marcas trouxeram os visuais monocromáticos como destaque para revelar ainda mais o poder do laranja. Claro, cada uma investiu em maneiras de sair da zona comum, seja inovando nos shapes, texturas e mix de peças. Na MSGM, as franjas cobriram o modelo one-shoulder em versão saturada da cor. Para a Marni e Peter Pilotto, a opção cítrica foi a eleita para dar destaque aos vestidos com franzidos ou pregas. Com a ideia de dar vibração ao trench coat (que, no formato original, é terroso), a Moschino elegeu o tom cenoura como elemento-chave para apresentar um visual moderno e com certo frescor. No mood urbano despojado, Alberta Ferretti desfilou o combo camisa ampla com listras + calça com “lavagens” localizadas, que traz esta sintonia entre as roupas tradicionais do estilo formal e itens de street wear. E, the last but not the least, a estética cool da nova Bottega Veneta assinada pelo diretor criativo Daniel Lee. Para o show que aconteceu em Milão há poucos dias, a parka de couro foi um dos looks que fez o front row suspirar. Elegância e feminilidade em máxima voltagem.     Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: Blazer Branco

    Na moda, não é por acaso que algumas peças são consideradas clássicas no guarda-roupa. Mesmo com esse fluxo de tendências que surge a cada temporada, trazendo hits super desejáveis, há sempre um lugar especial para itens sem data de validade. No caso do blazer branco, é provável que você já tenha se deparado com uma infinidade de versões, cada uma dentro de uma proposta. Das modelagens amplas com ar moderno ao shape tradicional, passando pelo acinturado com pitada de ousadia, as marcas têm investido cada vez mais na criação de opções renovadas, que surpreendam ainda mais os fashionistas. Durante a season de Verão 2020, o casaco de alfaiataria veio com força total. Após assistir a alguns desfiles, lembrei de uma produção que usei para uma tarde especial em São Paulo há dois meses. Para o meu look black and white, investi na combinação de peças pretas por baixo, sendo uma delas a calça One Up com tarja lateral branca, com o blazer nos ombros. O truque de styling que consiste em “não vestir” a peça é uma das preferidas das it-girls e, acredite, é uma forma infalível de dar aquela pitada de elegância no look. Já nas passarelas, grifes como Boss, Max Mara, Victoria Beckham, Philosophy e Eckhaus Latta apresentaram suas apostas para a estação. Há formatos que seguem a tradicional silhueta masculina, com cintura reta, gola com lapelas largas e comprimento na altura do quadril. Por outro lado, os blazers com linhas mais justas ao corpo também ganham espaço, com alto nível de sofisticação e feminilidade. A coincidência entre os cinco desfiles? Repare como a ideia de valorizar a estética all white é frequente na moda – e é aplicada, principalmente, quando falamos do casaco de alfaiataria. Para Tory Burch, além da textura do jacquard, a estilista optou por um corte reto com detalhe preto na gola menor, que contorna o pescoço. Duas referências que remetem aos códigos clássicos do tailoring masculino. Já no formato que segue uma proposta superfeminina, Lala Noleto elegeu o blazer slim, com cintura marcada, e shorts de alfaiataria curto. Chique e ideal para usar durante os dias de verão. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits: as três principais apostas em Londres e Milão

    Os dias durante a temporada de moda parecem voar! Já estamos em Paris para o nosso último destino de Verão 2020 e já colecionamos uma série de boas referências – vindas das passarelas e fora delas. É incrível ver como esta atmosfera inspiradora reflete nos visuais que criamos para ir aos desfiles e presentations. Para as produções que usei em Londres e Milão, identifiquei pontos em comum entre algumas estéticas, seja na escolha de peças-chaves, cores ou estruturas. É inevitável eleger determinadas tendências como as queridinhas da estação e, desta vez, tenho três boas apostas para renovar combinações que adoro. A terceira peça transformadora Os visuais compostos por casacos, definitivamente, estão entre as minhas opções favoritas durante a temporada internacional de moda. Ele pode estar acompanhado de vestidos, jumpsuits ou variar entre camisas + calça ou saia, que vai ser sempre bem-vindo nas propostas elegantes do dia a dia. Aqui, escolhi bons exemplos de como dar nova cara a este combo. No primeiro, o trench coat, item clássico atemporal, é o protagonista do visual composto por body com torção frontal e jogger pants, no melhor do movimento athleisure. Veja como este contraste de estilos é o responsável por dar novos ares aos itens clássicos. Já na composição sofisticada e romântica usada para o desfile da Boss, investi na tradicional e sempre elegante dupla cromática branco e marinho. Por baixo do blazer de comprimento alongado, optei por um vestido plissado com amarração na cintura – um match perfeito de peça com movimento leve + tailoring. A ideia de delicadeza e romantismo também ganhou forma no look que reúne vestido coberto por mini corações e casaco de alfaiataria – desta vez, usado por cima dos ombros. Red alert! Usado como cor principal ou apenas destaque, o vermelho é sempre uma boa alternativa para dar vibração ao dia a dia. Dividindo cena com a estampa poá na cartela black and white, o tom quente do blazer é a forma ideal para dar poder ao visual. Já no contraste entre metalizados, candy colors (como o rosa) e o efeito do plissado, o outfit carrega alto nível de feminilidade e modernidade – sem deixar a leveza de lado. Dentro da proposta full red, trouxe o mix de modelagens (tailoring + calça harém) e camisa estampada como pontos de contraste da produção. Repare como brincar com diferentes materiais na mesma tonalidade é um dos segredos para renovar a estética monocromática. All about black Apesar de ter apelido de “básico”, o preto é uma das cores mais poderosas do guarda-roupa. Isso porque a sua versatilidade, sem dúvida, é imbatível. Em duas propostas, investi no full black, brincando com diferentes shapes para criar silhuetas contemporâneas. Em Londres, apostei nos itens de tailoring desconstruído da Gloria Coelho. O blazer, tão clássico no closet masculino, foi transformado em colete com capuz – e seu shape tem um quê futurista. A calça tem corte amplo e segue no comprimento do tornozelo – dando ainda mais atitude ao visual. Já no mood rocker, a jaqueta perfecto e a calça de alfaiataria encontram a camisa de estampa vintage + mocassim ouro velho. Alguns pontos de cor e luz são sempre bons aliados para deixar o look ainda mais marcante e cool. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits Spring 2020: Franjas

    É provável que você encontre diversas versões de franjas ao longo de uma fashion week. Isso porque o detalhe é tão versátil que pode surgir em propostas modernas, étnicas ou com aquele toque de glamour. Nesta temporada de Verão 2020, me deparei com opções que transitam entre uma série de estilos, seja em visuais do dia a dia ou evening dresses prontos para aparecerem em red carpets. Durante meus dias em Milão, apostei em uma peça-chave como elemento transformador no look. Usei o  manteau Brunello Cucinelli, que combina listrado em tons terrosos e neutros + barra franjada, tanto com calça de tricô (como está no Instagram do F*hits) quanto com vestido. No último, o efeito plissado acompanhado de listras localizadas em diagonal trouxe um movimento cool ao visual. Já nas coleções desfiladas, um refresco para os olhos das fashionistas. Para a Oscar de La Renta, os estilistas Fernando Garcia e Laura Kim investiram no mood australiano como ponto de partida para as criações do próximo verão. Aqui, as fringes aparecem em vestidos curtos, que carregam, além dos fios longos, uma forte referência handmade na confecção da peça, com direito a transparências e recortes estratégicos. Na Christian Siriano, um perfume dos anos 1920 no vestido que mistura estrutura de alfaiataria e camadas franjadas com brilho na saia com maxifenda. E, na ideia de trazer o detalhe para o tailoring, a Area brincou com a aplicação de franjas bicolores, que inicia no blazer e é prolongado até o comprimento da calça. Dentro da ideia esportiva, a Bevza elegeu o vestido com longas tiras de fita, que, propositalmente, formam fendas despojadas e com pitada de modernidade. Já na sempre elegante Zimmermann, as rendas cobriram o white dress que, sem dúvida, é digno de escolha por celebridades para usar em premiações com tapete vermelho. Na sua construção, há uma conexão entre o rendado com desenho de flores e franjas na saia. Ainda na sequência de bons modelos longos, Gabriela Hearts fez uma composição ousada com os fios, que desenharam o vestido e finalizaram soltos na barra. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • MFW: Max Mara Spring Summer 2020

    É fato: toda fashionista elege suas marcas queridinhas. Seja pela estética, filosofia, história ou pela proximidade que acabamos tendo como consumidoras. No caso da Max Mara, tenho uma espécie de admiração pelo estilo e pelos conceitos criativos, que apresentam uma série de itens superdesejáveis, elegantes e, claro, considerados alguns dos clássicos da moda. Um exemplo? O casaco 101801, que tem o mesmo significado do trench coat para a Burberry e a Saddle Bag para a Dior. Ou seja, é um dos ícones que já ganhou o guarda-roupa de mulheres consideradas as mais chiques do mundo – e, na lista, constam nomes como das atrizes Cate Blanchett e Isabella Rossellini. Além de ser uma grande lançadora de peças statement, vejo que a grife, atualmente comandada por Ian Griffiths, tem uma preocupação em se aproximar da sua cliente, repaginando seus visuais com propostas modernas e adequando às transformações que vêm das ruas. Por isso, a invasão do sportswear, utilitário e até da alfaiataria tradicional masculino nas últimas temporadas. Para o Verão 2020, a cartela pastel deu vida às influências urbanas. De um lado, os vestidos com cortes acinturados + estrutura nadadora no decote e cavas (detalhes que lembram os maiôs esportivos). Do outro, a brincadeira de sobreposição de camisas cobertas por bolsos fole e blazers em tons azul claríssimo, amarelo candy, lavanda e verde. Na sequência de criações voltadas para esta conexão entre tailoring e utilitarismo, o diretor criativo trabalhou também com as versões baseadas na paleta neutra, entre terrosos e acizentados. Logo à primeir vista, já deu para identificar que a ideia foi mostrar que, até mesmo as produções com perfume boyish, podem ser renovadas – e carregar aquele toque de contemporaneidade na medida certa. The last, but not the least, o poá. Recentemente, tenho visto que diversas marcas estão investindo na estampa de forma cool e sofisticada. Aqui, Ian Griffiths mostrou que recortes, diferentes combinações e tamanhos de polka dots podem ser o caminho para criar produções full printed fora do comum. Claro, e impressionar seu público que, acima de tudo, vê a label italiana como uma poderosa fonte de referências – muito além do próprio consumo. Afinal, a moda é feita para nos surpreender – sempre! Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Trend hits Spring 2020: All yellow

    Mesmo com a invasão das cartelas pastel nas últimas temporadas, acredite, os bons clássicos sempre estão no topo dos queridinhos das fashionistas. Isso porque não é à toa que muitos deles fazem uma certa sintonia com a estação. No caso do verão, a cartela quente ganha espaço nas produções que vai além do vestidinho à beira mar. Para a moda urbana, o amarelo vem se destacando em visuais incomuns, como na alfaiataria. Durante as mais recentes passarelas de Nova York e Londres, exemplos de como o tailoring consegue absorver muito bem essa injeção de energia solar. Na proposta da Marc Jacobs, o terno surge na versão coberta pela cor, com leves pontos em lilás. Veja como há um contraste entre a modelagem tradicional com um tom  vibrante. É uma forma tão cool de renovar peças que já carregaram aquele ar sisudo no passado. Já na Vivienne Westwood, o blazer ganha formato cropped, enquanto a calça dá espaço para a saia assimétrica. Entre os vestidos, uma infinidade de formas, efeitos e combinações de detalhes. Na sempre elegante Proenza Schouler, modelo amarelo ganha contraste do cinto preto, que aparece como acessório importante para formar drapeados na silhueta. Com brilho líquido, Christian Siriano dá um toque glam ao look, que ainda traz a brincadeira de sobreposições e assimetrias como elementos marcantes. No mood romântico, a Erdem investiu em uma mistura de vazados, mangas bufantes e gola franzida para dar uma nova aparência ao all yellow. Para Lela Rose, a chemise ampla foi a peça-chave escolhida para receber o amarelo – e dar à tonalidade uma versão girlie chic. Na Oscar de La Renta, o vestido longo tem decote discreto e com mangas franzidas. Já na construção apresentada por Pyer Moss, mangas-capas, decote v e pregas formam uma composição de detalhes com alto nível de sofisticação. Com foco em volume, Richard Quinn não economizou tecido e fez um longo com camadas e uma espécie de montagem de rosa, com o efeito da própria seda. Com certeza, a criação perfeita para levar o amarelo para o red carpet. Na moda, tudo é uma surpresa. Quando achamos que o sistema fashion criou regras, vemos que, nos dias de hoje, não há mais espaço para “certos” e “errados”. A monocromia amarela, há muitos anos, já não é vista como estética corajosa ou usada especialmente em ocasiões que “permita” seu uso. Tornar estéticas mais democráticas é o segredo atual. Por isso, que devemos desafiar sempre o que parece ter limitações. Afinal, criatividade move este mundo – e por que não experimentar algo novo agora? Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Destaque NYFW: Carolina Herrera

    http://www.blogdaaliceferraz.com.br/wp-content/uploads/2019/09/dots.mp4 É incrível como a moda pode nos apresentar tantas pessoas incríveis e inspiradoras. E, quando assistimos a um desfile, relacionamos algumas experiências ao que está na passarela – e tudo faz tanto sentido. No desfile da Carolina Herrera, mesmo sob comando do estilista Wes Gordon, parece que o DNA elegante da marca norte-americana segue intacto. No primeiro semestre deste ano, tive a chance de encontrar a fundadora da grife durante um evento em São Paulo e foi uma ocasião tão marcante. Ela, que veio acompanhada da filha, Carolina Herrera de Baez, trouxe toda a sua sofisticação de um jeito leve e descontraído. Na coleção de Verão 2020, senti que há uma conexão direta com essas características. Desde que assumiu a direção criativa, Wes Gordon vem se destacando como um dos grandes nomes da nova geração responsável por entender e destacar a beleza natural das mulheres através de criações românticas e modernas. Ou seja, ele atualiza aquele estilo lady like tão icônico da label, de um jeito desejável e cheio de bossa. Na lista de suas peças preferidas para reforçar os códigos da casa estão as clássicas camisas brancas, saias longas e os florais exuberantes. Inspirado pelo fenômeno botânico que acontece na Califórnia denominado de “Super Bloom”, o diretor criativo aposta em uma temporada coberta por padrões de lírios, verbenas, além de uma cartela que combina neutros e cores saturadas, como vermelho, rosa, amarelo, verde e azul. Enquanto isso, nas modelagens, um toque oitentista e recebem ombros e mangas volumosas, fendas estratégicas, pregas e bordados localizados. Claro, em silhuetas marcadas na cintura com costuras, elásticos e maxi cintos. Há espaço também para a estampa de bolinhas, o famoso polka dot em preto e branco, que se tornou uma das marcas registradas da grife e de sua criadora. Inclusive, vale reparar que, não basta ter um full look poá, é preciso misturá-los em versões “negativas”. Ou seja, se a camisa é p&b com fundo branco, casaco e shorts têm fundo preto com bolas brancas. Uma forma cool de modernizar um padrão tradicional com ar retrô.   Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Destaque NYFW: Carolina Herrera

    http://www.blogdaaliceferraz.com.br/wp-content/uploads/2019/09/dots.mp4 É incrível como a moda pode nos apresentar tantas pessoas incríveis e inspiradoras. E, quando assistimos a um desfile, relacionamos algumas experiências ao que está na passarela – e tudo faz tanto sentido. No desfile da Carolina Herrera, mesmo sob comando do estilista Wes Gordon, parece que o DNA elegante da marca norte-americana segue intacto. No primeiro semestre deste ano, tive a chance de encontrar a fundadora da grife durante um evento em São Paulo e foi uma ocasião tão marcante. Ela, que veio acompanhada da filha, Carolina Herrera de Baez, trouxe toda a sua sofisticação de um jeito leve e descontraído. Na coleção de Verão 2020, senti que há uma conexão direta com essas características. Desde que assumiu a direção criativa, Wes Gordon vem se destacando como um dos grandes nomes da nova geração responsável por entender e destacar a beleza natural das mulheres através de criações românticas e modernas. Ou seja, ele atualiza aquele estilo lady like tão icônico da label, de um jeito desejável e cheio de bossa. Na lista de suas peças preferidas para reforçar os códigos da casa estão as clássicas camisas brancas, saias longas e os florais exuberantes. Inspirado pelo fenômeno botânico que acontece na Califórnia denominado de “Super Bloom”, o diretor criativo aposta em uma temporada coberta por padrões de lírios, verbenas, além de uma cartela que combina neutros e cores saturadas, como vermelho, rosa, amarelo, verde e azul. Enquanto isso, nas modelagens, um toque oitentista e recebem ombros e mangas volumosas, fendas estratégicas, pregas e bordados localizados. Claro, em silhuetas marcadas na cintura com costuras, elásticos e maxi cintos. Há espaço também para a estampa de bolinhas, o famoso polka dot em preto e branco, que se tornou uma das marcas registradas da grife e de sua criadora. Inclusive, vale reparar que, não basta ter um full look poá, é preciso misturá-los em versões “negativas”. Ou seja, se a camisa é p&b com fundo branco, casaco e shorts têm fundo preto com bolas brancas. Uma forma cool de modernizar um padrão tradicional com ar retrô.   Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Destaque NYFW: Oscar de la Renta, Tom Ford e Zimmermann

    Durante os últimos dias, as passarelas da Semana de Moda de Nova York nos trouxeram surpresas tão especiais. Afinal, esse start da temporada de Verão 2020 já traz propostas carregadas de frescor e elegância. E, claro, os desfiles que acontecem em setembro sempre são os mais aguardados de ready-to-wear. Isso porque, após as apresentações do primeiro semestre, há aquela necessidade de encerrar o calendário com as coleções mais impactantes e cheias de hits para serem lembrados no início do próximo ano. Além de Ulla Johnson que, como contei aqui, é uma das minhas marcas preferidas durante a season norte-americana, tiveram outros três nomes que deram o que falar nos últimos dias. Começando com Oscar de La Renta que trouxe uma inspiração não trabalhada ainda pela dupla de estilistas Laura Kim e Fernando Garcia. Eles, que investem em referências vindas de suas viagens, trabalharam pela primeira vez com a ideia de usar a República Dominicana, origem do fundador da marca, como ponto de partida para o Verão 2020. Entre as peças mais marcantes da coleção estão vestidos longos, curtos e caftans coloridos, com marcação de cintura e alguns compostos por franzidos (principalmente na diagonal) e fendas. Já no show de Tom Ford, a Big Apple foi o grande ponto de referência para o seu universo que combina uma atitude street com itens elegantes e clássicos da alfaiataria composta por modelagens soltas, no maior ar oitentista. Além da modelagem ser trabalhada com detalhes (do franzido da t-shirt ao brilho do tecido), a cartela black and white foi a escolhida pelo estilista para cobrir seus vestidos assimétricos, saias volumosas e blusas com foco nos decotes e nas golas.  Como terceiro “destino” desta sequência de coleções, a Zimmermann trouxe do outro lado do globo uma série de criações baseadas no clima de verão em Sydney, cidade natal da estilista. A tradução para este sentimento livre e repleto de símbolos jovens, trouxe características como babados em camadas, mangas fofas, franjas, ilhoses e muitas estampas. As padronagens foram desenvolvidas a partir de pôsteres retrô de surf, que apareceram em saias longas, cropped tops e vestidos sem alças. Repare também em como a pele em evidência, além dos shapes curtos, também ganhou destaque em peças com certa brincadeira de transparência. Três apresentações que marcaram estilos diferentes, mas cheios de boas histórias (e origens) de diversos cantos do mundo. É incrível ver como os diretores criativos não economizam esforços para tirar a moda da zona de conforto. E, para o Verão 2020, é só o começo. Ainda há, pelo menos, um mês de desfiles de fazer os fashionistas suspirarem. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Destaque da NYFW: Ulla Johnson

    Inevitavelmente, acabamos elegendo algumas marcas como as nossas queridinhas em cada fashion week. Em Nova York, uma das mais esperadas é a Ulla Johnson. Já tem um tempo que tenho observado as criações da estilista e é tão especial essa mistura de modernidade com o artesanato para uma construção de roupas ideais para usar no dia a dia urbano. As coleções trazem muita personalidade, a ponto de dar aquela impressão de cada peça parecer única. Dentro das propostas de handmade, ela apresenta patterns que são feitas na Índia e África. Há também os acessórios de vidro. Algo criativo e, ao mesmo tempo, surpreendente. Para esta temporada, Ulla já deu o seu parecer do que espera para o próximo Verão 2020. Os trabalhos manuais, que já estão no seu DNA, carregam tanta força para transformar os visuais do dia a dia, em meio a tantos itens básicos que já estamos acostumadas em usar e/ou ver por aí. É como se as criações da estilista tirassem os fashionistas da zona de conforto e apresentasse novas formas e novos olhares para o handcraft. Desta vez, micro conchas foram bordadas em saias e vestidos longos, dando aquele ao estilo praiano uma pitada chique de um jeito “sem esforço”. O seu típico estilo boêmio chic, hoje, divide espaço com fortes referências culturais, que vão da África à Europa. A arte de misturar texturas e estampas ganha blusas e vestidos em vichy, com detalhes em macramê, batas ou shorts étnicos, além de calças de cintura altíssimas, mangas bufantes com toque vitoriano e, até mesmo, jeans larguinhos, no melhor estilo urbano da cidade considerada uma das mais globais do planeta.A cartela de cores, por sua vez, carrega tons vibrantes, neutros e aquela pitada pastel para criar contrastes suaves e com alto nível de frescor. Na beleza, repare que as sombras ganharam o papel de protagonistas – surgindo na versão mint green para arrematar a ideia de que o verão finalmente chegou. E, com ele, toda aquela alegria que, independente da tendência, vem em combinação com sol, calor e mar. No caso de Ulla Johnson, a coleção é uma forma de prolongar essa sensação, principalmente, na cidade. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Beauty tips: Dermage

    Há quem diga que o inverno é a melhor época do ano para investir em bons aliados de beleza. Ainda mais porque queremos chegar no verão preparadas, com corpo e pele em dia. Entre as marcas brasileiras que investem forte no desenvolvimento de produtos baseados nas mais recentes descobertas da ciência e tecnologia está a Dermage. Fundada no fim da década de 1970 pela farmacêutica bioquímica Lisabeth Braun, a empresa tem, cada vez mais, valorizado a busca por inovações, com fórmulas desenvolvidas especialmente para as características e particularidades da pele brasileira. Além de ser #crueltyfree, ou seja, não testam em animais. Na lista de queridinhos da nécessaire, há o Hyaluage Body, um potente hidratante diário para firmeza e luminosidade da pele – porque, claro, assim como o rosto, o corpo precisa de cuidados diários e é essencial incluir na rotina de beleza alguns cuidados extras. Com ácido hialurônico como principal ativo, ele tem ação anti aging, auxilia na uniformização do tom da pele e, ainda assim, tem rápida absorção e 48 horas de hidratação. Já quando falamos sobre rosto, é difícil encontrar quem não sofra com as olheiras, né? Ainda mais quando falamos de uma rotina agitada, com mil e um compromissos. É surpreendente em como as bolsas, manchas escuras e linhas aparentes já começam a surgir abaixo dos olhos. E apesar de esse ser um dos motivos principais, outros agravantes incluem genética e até mesmo alimentação, sabia? Durante o nosso QG F*hits, vi que um dos itens must have entre as nossas estrelas está o novo Clarité Olhos CC da linha Clarité Dermage. Ele tem esferas pequenas que massageiam a área de bolsas e olheiras, melhorando a circulação, diminuindo inchaços e edemas da região. O que amamos? A fórmula proporciona ação anti aging e estimula a produção de colágeno, além de reduzir a pigmentação, com sua ação iluminadora. Algumas dicas preciosas para quem busca elementos importantes para uma rotina de beauté. Eu, particularmente, acredito que toda disciplina e determinação são decisivos para os tratamentos terem o efeito que desejamos. Claro, com tempo curto, é essencial escolher os produtos indispensáveis e que realmente funcionam. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • A name to remember forever: Peter Lindbergh

    A moda é feita de grandes nomes. Alguns são diretores criativos, outros são influencers, jornalistas, modelos, stylists… e por aí vai. O mercado é enorme e precisa de inúmeros profissionais para se manter forte, vivo e interessante. Hoje, Peter Lindbergh, um dos mestres da fotografia fashion, faleceu, deixando uma série de histórias icônicas e fascinantes para este mundo. Sua maior característica? Eternizar cenas em preto e branco nos editoriais deslumbrantes espalhados entre os diversos títulos pelo mundo. Não à toa, ele foi o responsável por marcar o período das supermodels da década de 1990, composto por nada menos que Cindy Crawford, Linda Evangelista, Naomi, Claudia Schiffer e Kate Moss. Ele redefiniu os padrões de beleza ao fotografar estrelas do cinema, da moda e da música, sobretudo de um jeito “natural”, criando imagens atemporais, elegantes e expressivas. Nascido na Polônia, Peter conquistou celebridades e modelos, mas também foi um parceiro importante para Anna Wintour. Ele foi o nome por trás das lentes da primeira capa feita por Anna como editor-in-chief da Vogue americana, em 1988. A partir daí, o fotógrafo manteve sua relação muito próxima com a revista e seguiu fazendo algumas das histórias mais lembradas e inspiradoras em edições especialíssimas. A mais recente foi para a Vogue britânica, que, desta vez, teve participação da Duquesa de Sussex como editora da chamada “Forces for Change”. Nas páginas, um compilado de personagens de peso – e que são referência por diversas razões (é um exemplar muito importante para colecionadores!). Com certeza, Peter será lembrado para sempre. Seja por suas capturas perfeitas ou por ter sido um dos pioneiros à valorizar a beleza “como ela é” nas revistas de moda. Suas fotos serão sempre uma pintura, como diria o estilista John Galliano, para nos emocionar e mostrar o porquê o mundo fashion é importante. Obrigada por este legado, Peter! Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • JVN e Paula Costa no QG Fhits

    Hoje em dia, mais do que nunca, as conexões estão movendo o mundo. E fico tão contente em estar próxima de pessoas inspiradoras, talentosas e que têm um dom incrível para levar sua criatividade para projetos especiais. Nessa temporada, a JVN lança sua primeira colaboração assinada por uma artista plástica. No caso, a escolhida foi a artista contemporânea e estrela F*hits carioca Paula Costa, conhecida por sua obra viva que imprime através de seus bordados, delicadeza, força, feminilidade e que traz a beleza da transformação como uma forma de se relacionar com a sua própria história. Já na entrada do nosso QG F*hits Transformação, o arquiteto e designer Rodrigo Ohtake utilizou os papéis da collab para ilustrar todo o conceito do ambiente. Há flores espalhadas por todos os lados, como se fosse um jardim encantado, que nos convidasse para essa experiência, trazendo uma mistura de romantismo e sofisticação. Adorei o efeito “pincelado” em cada folha e pétala. Parece que as partes desta arte nos transporta diretamente para uma obra suave e cheia de feminilidade. É tão importante ver que cada espaço teve um cuidado único. Entrar em um ambiente coberto por motivos florais, em uma cartela de cores suave, é tudo que precisamos em meio a tanta agitação. Foi importante estar envolta de cores e motivos que nos transportam para perto da natureza. Ainda mais com uma coleção que reúne qualidade, tradição e excelência, agora, em uma importante conexão com a arte brasileira. Vamos empapelar o mundo? Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Top Trends do QG Fhits – Parte 2

    Se você acredita que é possível ter apenas três tendências em destaque durante um evento como o QG Fhits, saiba que é muito fácil se surpreender – e acrescentar, pelo menos, mais alguns à lista. Além das top trends que coloquei neste post, identifiquei outros dois temas que parecem ter uma presença marcante nas próximas temporadas e que não poderiam ficar de fora. Mesmo com a grande influência internacional de alguns movimentos, há algumas propostas que são a cara de mulher brasileira. E, claro, há características que já facilitam esta afinidade. Entre elas estão leveza e brilho, que surgem de diversas formas e, independente do estilo, fazem parte do nosso dia a dia – seja na cor, no shape ou apenas naquele detalhe. De um lado está o vestido branco e, do outro, as sandálias metalizadas. Por coincidência, a dupla já é presença forte nas nossas celebrações de fim de ano e, como a moda não tem mais aquela cartilha de “pode/não pode”, ela foi além e ganhou espaços em outras ocasiões. Versátil, elegante e iluminado. O vestido branco carrega muitos significados, principalmente, relacionados à pureza. É provável encontrar a peça em inúmeros visuais, cada um trazendo tecidos e modelagens completamente surpreendentes. Nesta edição do evento, o Fhits team investiu em um mood que destaca o trabalho artesanal e as estruturadas simples e superfemininas. Há opções bordadas, com decote V, off-shoulders ou evidenciando a cintura com amarração. Nos pés, dois caminhos que funcionam muito bem. De um lado, as sandálias brancas, que serviram de arremate perfeito para o look all white. Do outro, os calçados prata, incluindo, as botas escolhidas por Natasha Pinheiro, que deram um toque de modernidade na medida.Por coincidência, a dupla parece já ser presença forte das nossas celebrações de fim de ano e, como a moda não tem mais aquela cartilha de “pode/não pode”, as propostas foram além e ganharam espaços em outras ocasiões. Além dos modelos prata que apareceram nas composições com vestido branco, há sandálias metalizadas coloridas que surgiram em diversas produções. Magenta, azul e dourado foram os eleitos para criar um ponto de luz de maneira sofisticada e fazer um contraste com peças clássicas do guarda-roupa do dia a dia. Exemplo? Misturei uma t-shirt com saia midi de couro e as blue sandals Vicenza, que trazem charms em formato de conchas – um combo que mostra o quanto um acessório brilhante pode ser transformador. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Top 3 Trends do QG Fhits – Parte 1

    Durante a edição do QG F*hits Transformação, tivemos uma série de surpresas, principalmente, ligadas à moda. Além de conferir uma programação cheia de coleções deslumbrantes, com direito às tendências que estão em alta nos quatro cantos do globo, o nosso power team trouxe formas diferentes de usar peças, shapes, cores e materiais. É incrível como uma proposta pode se adaptar tão bem a diversos estilos e ocasiões. Desta vez, selecionei três trend hits que marcaram os dias de evento e, com certeza, servem de fortes referências para o nosso dia-a-dia. Na lista de grandes clássicos do guarda-roupa está, sem dúvida, a camisaria. Seja em seu formato tradicional ou com adaptações, sempre vale ter uma versão no nosso closet. Afinal, as camisas são versáteis e podem ser protagonistas de vários visuais cool. Aqui, repare como nós investimos na ideia da peça em situações completamente distintas. Entre os exemplos estão as color shirts, como a usada por Aletania, e as queridinhas da cartela neutra, com maior destaque para a camisa branca. No meu look, elegi uma opção com mangas curtas transparentes e detalhe bufante. Veja como contraste de materiais dá um certo ar fresh e muito sofisticado. Nas escolhas de Lala Noleto e Ana Clara Benevides, o modelo com gola foulard foi o ponto alto das produções. Já no outfit de Natasha Pinheiro, o foco ficou por conta das nervuras da white shirt, que se repetem nas duas laterais, dando um toque mais romântico. No movimento oposto, Helena Lunardelli criou um full look black, com brincadeira de texturas e transparências. Entre a série de couros coloridos, uma chuva de ideias de como trazer o material para a rotina casual, seja monocromático ou com apenas uma pitada de cor. Na série “all the same color”, Claudia Bartelle mostra que o vermelho pode ser um aliado poderoso nos visuais. Com leve intervenção de branco, Aletania optou pelo amarelo na construção de uma proposta com alta dose de energia – principalmente, para quebrar a monocromia neutra do inverno. Na sequência de one shoulders, a tendência forte dos anos 1980 – e que está cada vez mais presente nas passarelas –, maneiras incríveis de usar vestidos com a estrutura que trazem uma certa feminilidade. Exemplos? Helena Lunardelli escolheu um modelo com manga presunto, no maior ar oitentista, em tom verde. Repare em como os detalhes de assimetria na barra e amarração na cintura formam um combo moderno. Com perfume tropical, Luiza Sobral apostou na peça full printed, com tecido leve e caimento que representa aquele mood perfeito para dias ensolarados no litoral. Após esta retrospectiva das tendências que mais marcaram o nosso QG Fhits Transformação, quais são os seus visuais preferidos? Além destes, há inúmeras referências para se inspirar e facilitar os caminhos para criar produções elegantes do seu jeito. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Top 3 Trends do QG Fhits

    Durante a edição do QG F*hits Transformação, tivemos uma série de surpresas, principalmente, ligadas à moda. Além de conferir uma programação cheia de coleções deslumbrantes, com direito às tendências que estão em alta nos quatro cantos do globo, o nosso power team trouxe formas diferentes de usar peças, shapes, cores e materiais. É incrível como uma proposta pode se adaptar tão bem a diversos estilos e ocasiões. Desta vez, selecionei três trend hits que marcaram os dias de evento e, com certeza, servem de fortes referências para o nosso dia-a-dia. Na lista de grandes clássicos do guarda-roupa está, sem dúvida, a camisaria. Seja em seu formato tradicional ou com adaptações, sempre vale ter uma versão no nosso closet. Afinal, as camisas são versáteis e podem ser protagonistas de vários visuais cool. Aqui, repare como nós investimos na ideia da peça em situações completamente distintas. Entre os exemplos estão as color shirts, como a usada por Aletania, e as queridinhas da cartela neutra, com maior destaque para a camisa branca. No meu look, elegi uma opção com mangas curtas transparentes e detalhe bufante. Veja como contraste de materiais dá um certo ar fresh e muito sofisticado. Nas escolhas de Lala Noleto e Ana Clara Benevides, o modelo com gola foulard foi o ponto alto das produções. Já no outfit de Natasha Pinheiro, o foco ficou por conta das nervuras da white shirt, que se repetem nas duas laterais, dando um toque mais romântico. No movimento oposto, Helena Lunardelli criou um full look black, com brincadeira de texturas e transparências. Entre a série de couros coloridos, uma chuva de ideias de como trazer o material para a rotina casual, seja monocromático ou com apenas uma pitada de cor. Na série “all the same color”, Claudia Bartelle mostra que o vermelho pode ser um aliado poderoso nos visuais. Com leve intervenção de branco, Aletania optou pelo amarelo na construção de uma proposta com alta dose de energia – principalmente, para quebrar a monocromia neutra do inverno. Na sequência de one shoulders, a tendência forte dos anos 1980 – e que está cada vez mais presente nas passarelas –, maneiras incríveis de usar vestidos com a estrutura que trazem uma certa feminilidade. Exemplos? Helena Lunardelli escolheu um modelo com manga presunto, no maior ar oitentista, em tom verde. Repare em como os detalhes de assimetria na barra e amarração na cintura formam um combo moderno. Com perfume tropical, Luiza Sobral apostou na peça full printed, com tecido leve e caimento que representa aquele mood perfeito para dias ensolarados no litoral. Após esta retrospectiva das tendências que mais marcaram o nosso QG Fhits Transformação, quais são os seus visuais preferidos? Além destes, há inúmeras referências para se inspirar e facilitar os caminhos para criar produções elegantes do seu jeito. Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • Meus looks durante o QG Fhits Transformação

    Entre tantas lembranças que tenho do QG Fhits Transformação, algumas são exatamente das produções que escolhi para algumas ocasiões do evento. Tudo é influenciado por um momento, um mood e, claro, nós acompanhamos tantos lançamentos de marcas, que já dá aquela vontade de brincar com as peças e fazer looks incríveis. Afinal, moda é isso. É quando já enxergamos formas de adaptar uma roupa ou acessório em uma estética que seja coerente com o nosso estilo. Para o segundo dia, elegi uma das peças mais curingas do closet, a t-shirt. À prova de tendências, ela encara os mais diversos tipos de produções, desde as mais básicas até as mais elaboradas. Aliás, é exatamente esse o principal ponto positivo da peça – ser super versátil. No meu visual, optei pela a camiseta customizada (que eu amei) da Twenty Four Seven, surge combinada com saia midi de couro marinho envernizado. Nos pés, apostei na sandália de tiras e referência aquática, com conchas, para arrematar a proposta all blue. Já no penúltimo dia, trouxe uma trabalho handmade que adoro e, sem dúvida, ganhou novos ares na moda recentemente. Na história, as primeiras evidências de patchwork, técnica que reúne diferentes tecidos através da costura, foram datadas na Europa durante a Idade Média. No entanto, foram os hippies da década de 70 que transformaram esse tipo de artesanato em estilo. Aqui, investi na saia longa com recortes de couro e crochê divide protagonismo no look total da talentosa estilista mineira Patricia Motta. Repare como a peça foi responsável pelo toque de cor do visual. Sem falar que o contraste entre os triângulos e os pontos da costura deram um ar cool. Para prestigiar o desfile deslumbrante que Erika Mares Guia e sua CJ Mares, que se apresentou no nosso primeiro dia de QG, escolhi o vestido Nammos com inspiração na Grécia. O modelo é parte da curadoria da multimarcas e, sem dúvida, que é desejo absoluto entre as paulistanas. Absolutely fresh! Os brincos e anel deslumbrantes têm assinatura da marca carioca LDana. A combinação entre as pedras ágata, água marinha, turmalina verde, diamantes, madrepérola, tanzanita e rubis têm total sintonia com o nosso QG Fhits Transformação. Qual foi a sua produção preferida? Cada uma foi pensada para um momento diferente e, mesmo com propostas estéticas diferentes, elas refletem o meu estilo.     Compartilhe isso:Compartilhar no TumblrEmail Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • QG FHITS: TRANSFORMAÇÃO THE PHYGITAL EXPERIENCE – DIA 4 e 5

    Se passaram alguns dias e já dá aquela saudade de toda a experiência que foi o QG Fhits que aconteceu na semana passada. Tanto no sábado quanto no domingo, tive tantos encontros especiais, que deram continuidade àquela sensação de alegria em ver moda, beleza e arte seguindo bons caminhos – e contando com diversos talentos. No quarto dia, demos start à programação com uma pessoa iluminada e que era uma das convidadas mais esperadas do QG desde a sua primeira edição. Juliana Paes, uma das atrizes brasileiras de maior força nos nossos tempos, participou de uma conversa deliciosa, com uma combinação de assuntos, como sobre sua personagem Maria da Paz (na novela que eu adoro!), além de saúde, beleza, bem-estar e maturidade. Foi incrível! Na sequência, aconteceu o desfile da estilista pernambucana Andreza Chagas, que investe forte no processo sustentável de produção das peças criadas a partir de fibras naturais e também recicladas. O resultado é uma série de tecidos tecnológicos, que reduzem o consumo de água e de produtos químicos em seu desenvolvimento. Para o seu verão 2020, a inspiração foi o “Old Denim” dos anos 80, quando só existiam duas tonalidades de lavagem, “True Blue” e “Light Blue” – peças com aspecto vintage, na melhor tradução do bom e velho jeans. Para a passarela, jaquetas e macacões oversized dividem espaço com shapes de cintura alta e a volta da calça baggy, queridinha da época. A alfaiataria atemporal da collab com Gloria Coelho firma todo o propósito de Andreza, garantindo peças funcionais e eternas em modelagens e acabamentos impecáveis. Já na apresentação da marca carioca CT Brand, um mergulho na diversidade étnica e na tropicalidade da mulher latina. A coleção “Trópicos” trouxe uma mistura rica em cores e um trabalho único de mix de texturas com tecidos nobres naturais, como algodão, linho e seda. Looks ultrafemininos, silhuetas poderosas, alongadas, e com muito movimento estão presentes em toda linha. Mangas volumosas, laços e babados dividem espaço com decotes nos ombros e cinturas bem marcadas, para mulheres naturalmente sensuais, que não abrem mão da elegância e desejam peças nada óbvias! Destaque para a estampa floral exclusiva “Jardim Tropical” inspirada nas flores colombianas. Uma viagem colorida e vibrante, rumo a Cartagena. QG Fhits_4mm Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • QG FHITS: TRANSFORMAÇÃO THE PHYGITAL EXPERIENCE – DIA 4 e 5

    Se passaram alguns dias e já dá aquela saudade de toda a experiência que foi o QG Fhits que aconteceu na semana passada. Tanto no sábado quanto no domingo, tive tantos encontros especiais, que deram continuidade àquela sensação de alegria em ver moda, beleza e arte seguindo bons caminhos – e contando com diversos talentos. No quarto dia, demos start à programação com uma pessoa iluminada e que era uma das convidadas mais esperadas do QG desde a sua primeira edição. Juliana Paes, uma das atrizes brasileiras de maior força nos nossos tempos, participou de uma conversa deliciosa, com uma combinação de assuntos, como sobre sua personagem Maria da Paz (na novela que eu adoro!), além de saúde, beleza, bem-estar e maturidade. Foi incrível! Na sequência, aconteceu o desfile da estilista pernambucana Andreza Chagas, que investe forte no processo sustentável de produção das peças criadas a partir de fibras naturais e também recicladas. O resultado é uma série de tecidos tecnológicos, que reduzem o consumo de água e de produtos químicos em seu desenvolvimento. Para o seu verão 2020, a inspiração foi o “Old Denim” dos anos 80, quando só existiam duas tonalidades de lavagem, “True Blue” e “Light Blue” – peças com aspecto vintage, na melhor tradução do bom e velho jeans. Para a passarela, jaquetas e macacões oversized dividem espaço com shapes de cintura alta e a volta da calça baggy, queridinha da época. A alfaiataria atemporal da collab com Gloria Coelho firma todo o propósito de Andreza, garantindo peças funcionais e eternas em modelagens e acabamentos impecáveis. Já na apresentação da marca carioca CT Brand, um mergulho na diversidade étnica e na tropicalidade da mulher latina. A coleção “Trópicos” trouxe uma mistura rica em cores e um trabalho único de mix de texturas com tecidos nobres naturais, como algodão, linho e seda. Looks ultrafemininos, silhuetas poderosas, alongadas, e com muito movimento estão presentes em toda linha. Mangas volumosas, laços e babados dividem espaço com decotes nos ombros e cinturas bem marcadas, para mulheres naturalmente sensuais, que não abrem mão da elegância e desejam peças nada óbvias! Destaque para a estampa floral exclusiva “Jardim Tropical” inspirada nas flores colombianas. Uma viagem colorida e vibrante, rumo a Cartagena. QG Fhits_4mm Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • QG FHITS: TRANSFORMAÇÃO THE PHYGITAL EXPERIENCE – DIAS 2 E 3

    Relembrar dias especiais é uma forma de começar a semana com inspiração e energia. Confesso que, mesmo com uma agenda lotada, há uma leveza tão surpreendente durante os dias de QG. Nesta última edição, que aconteceu no Shopping Cidade Jardim, a presença de parceiros e convidados queridos foi muito importante para dar o tom do evento. Afinal, trocar experiências, ouvir histórias e descobrir novidades interessantes é o que move o fashionista, que está ligado em tudo que acontece – não só em assuntos de moda. Até porque o universo fashion tem uma relação direta com o comportamento, seja uma série de movimentos culturais ou consumo. Agora, vamos a um comeback do que aconteceu no segundo dia de QG Fhits. Na quinta-feira, demos start à programação em clima esportivo, com desfile da marca nacional LAUF. Na passarela, peças inspiradas no universo do surf e suas cores brilhantes ganham recortes que imprimem personalidade e lifestyle deste estilo de vida livre, aventureiro e despretensioso. Os tecidos tecnológicos são um dos pontos altos da apresentação – assim como o neoprene que pode ser visto nas peças que prometem invadir o street style. As estampas exclusivas têm o pôr do sol como inspiração. O destaque fica por conta da collab desejo assinada pela nossa Fhits power blonde Helena Lunardelli, que imprimiu sua digital sobre estampas e relevos incríveis. Na sequência, tive um encontro especial com Otávio Pandolfo, da dupla Os Gêmeos, e Speto, dois dos mais importantes nomes do graffiti brasileiro. Para fazer parte desta conversa deliciosa, a nossa Fhits art curator Ana Carolina Ralston trouxe pontos importantes para serem abordados ao longo do nosso talk. Falamos sobre conexão, irmandade e o poder transformador da arte. Outras duas marcas também apresentaram suas coleções na passarela do QG.  A Twenty Four Seven pegou carona no romantismo da botânica e fez mix deste conceito com a atitude rocker para as suas criações de primavera. O street style atemporal dos jeans destroyed e a rebeldia do couro surgem em contraponto propondo uma estética provocativa como a postura do rock. A cartela é inspirada na diversidade das cores da natureza: off white, hortência, fúcsia, carbono e prata em um primeiro momento se aliam às duplas: esmeralda e deep blue, maracujá e naked. Já Patrícia Motta trouxe inspiração nos elementos da natureza e no poder da transformação para o seu verão 2020. O rechilieu, bordado de forma orgânica, forma as ondas do mar. O Ar é interpretado pelo respiro entre o couro e crochê e a mistura de cores como preto, azul e branco, em patchwork. A Terra, origem da vida, ganha vestidos, jaquetas e saias. O Fogo, símbolo de energia, surge tingido pela cartela vibrante, em shapes estruturados, marcados por pespontos. A moda, a arte, a “Cura”. Vídeo 22-08-2019 20 57 43_menor4 Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais

  • QG Fhits: Transformação The Phygital Experience – dia 1

    Na moda, vivemos um período de transformações. A era digital mudou completamente o sistema fashion, dando mais força à comunicação e deixando a conexão com este universo ainda mais acessível. Durante esta semana, a nossa 18ª edição do QG F*hits reúne moda, beleza, arte, arquitetura, gastronomia e entretenimento, em meio ao lifestyle e a natureza do Shopping Cidade Jardim. Ao longo dos cinco dias, acontecerão apresentações dos lançamentos mais desejados da temporada e os conteúdos exclusivos do nosso time de estrelas, além das melhores influenciadoras regionais do país, as nossas Friends F*hits. Para este primeiro dia de evento, uma programação com boas participações. Para dar start à temporada, a CJ Mares armou um desfile dentro do conceito “see now, buy now”, repleto de referências oitentistas, entre ombros marcados, brilhos e silhuetas marcadas e muito poderosas. Após assistir às apostas da marca na passarela, conferimos de perto as novidades da Lila Deux, no Gallerist, e fui encontrar um grande amigo, Fabio Quinteiro, no lançamento do seu livro infatil “Juju e a árvore da amizade” na Livraria da Vila. Um início de QG muito especial! QG_FHITS_210819 Siga o F*hits nas Redes Sociais

    Leia Mais


TODOS OS BLOGS