Resultado de busca para : 




A primeira plataforma de Influenciadores Digitais de moda e lifestyle do mundo

TODOS OS POSTS

47 resultado(s) encontrados.
  • Veludo molhado

    Veludo molhado Ele marca seu espaço no look das mais antenados Publicado em 25/03/2017 Eis que chega o outono para acalmar os ânimos dos que não gostam do calor demasiado do verão. Junto dele o frio também se aproxima, temperaturas mais amenas proporcionam mudanças no guarda-roupa. Cada estação tem uma pegada diferente, por mais que reaproveitemos peças em produções diferentes, existem coisas que são características. O que chega com tudo para esse outono/inverno é o veludo molhado. Por muito tempo ele ficou no ostracismo, como algo não muito fashion, mas tá de volta repaginado. Pode-se ver o tecido nobre em saias, casacos, vestidos, blusas e até mesmo bodys. Você já tem uma peça dele pra incrementar o visual? As cores ficam um tom mais escuras, terrosos, verdes e azuis continuam como tendência, que tal experimentar? Você pode usar um look total veludo, ou compor com outros tecidos. Pense sempre em texturas, mas como o veludo molhado tem seu brilho próprio é interessante pensar em combinações onde ele tenha o destaque, como um jeans com uma lavagem mais simples, uma saia com corte mais reto, numa tentativa de look mais sóbrio. Para os mais ousados dá pra por um mix de veludo molhado e jaqueta jeans, calças mais desgastadas e rasgadas, e até mesmo um vestido de veludo com uma camisa xadrez. O que interessa é entender seu corpo e ao compor o visual pensar na harmonia de cada peça. Então bora esperar o friozinho e experimentar! NOVIDADES DA CLEO Cadastre-se aqui para receber novidades da Cleo

    Leia Mais

  • Saia Masculina

    Homem usando saia é visto com alguma estranheza pelas ruas. Sair por aí vestindo essa peça de roupa ainda causa frisson. O fato é que roupa não tem gênero, são simplesmente peças de composição da nossa vestimenta, no entanto, socialmente acabamos conferindo gênero a elas, saia é coisa de menina e bermuda coisa de menino. Pois bem, foi-se o tempo. A onda agora é vestir-se como se sente bem, dispondo do que gosta, a moda agênero tá aí. Que tal experimentar? Atualmente aproximadamente 3/4 dos homens do mundo ainda usam saia, por mais que a maioria esteja localizada no oriente. Um fato interessante é que fazem pouco mais de 100 anos que as mulheres passaram a usar calças, com o surgimento das primeiras feministas e da necessidade da mulher entrar no mercado de trabalho. Marc Jacobs Foto: Sipa Press/Rex FeaturesO Stylist Nilo Caprioli tem estilo próprio e incorporou saia no seu vestuário faz um tempo, segundo ele lá pelos idos do ano 2000, a onda clubber fez com que quisesse usar saias. Talvez por alguma coisa política, ideologias, mas principalmente porque ficava muito bonito com coturno, ficava mais bonito usar saia do que bermuda. “Era muito mais estético do que político. Tinha o lance da ideologia, mas era muito mais por conta do visual mesmo. Na época eu era clubber”, afirma. Não acho um ato revolucionário, é uma peça de roupa super confortável, deixa um shape bonito quando você veste, pois abre o visual, é interessante. Mas exatamente revolucionário não, é uma vestimenta antiga masculina, diz Nilo. As saias recentes eu comprei pelo saudosismo dessa época clubber, tanto que comprei um kilt preto e um xadrez bem coloridão que tinha essa onda. Sobre o uso dar dicas de uso de saia pelos homens, Nilo ressalta que cada corpo é um corpo. Que deve-se preocupar com o formato do nosso corpo, entende-lo e valorizá-lo. Mas de qualquer forma a saia vai deixar seu corpo mais longo na parte de baixo, geralmente tem prega ou um leve evase. O legal é um parte de cima reta, uma camiseta, um camisa, nada muito justo, algo orgânico. Nilo CaprioliA dica é usar a saia sem parecer fantasia se você ia usar uma bermuda preta, põe uma saia preta, se ia por uma camisa xadrez, inverte o look, põe uma camisa lisa e uma sai xadrez. Usa como se fosse usar uma bermuda, não pensa num look para usar a saia. “Tipo se eu ia usar uma bermuda eu substituo pela saia, por que não? A saia e o homem Os homens usam saia desde tempo imemoriais, gladiadores usavam saias, sumérios cobriam as partes de baixo com tecido, gregos usavam togas, egípcios usavam saias com amarrações tipo sarongue. E nenhuma delas afixava falta de virilidade, ao contrário. Ainda hoje no oriente se vê homens e mulheres envoltos em túnicas, no sudoeste da Ásia, o sarogue, o dhoti, lungi e os pareôs na Polinésia. No Oriente Médio os Caftans e nos países africanos os djelabas. O kilt, criação celta, com sua padronagem xadrez ditava o clã a que pertencia a pessoa que o usava. Atualmente considerada uma vestimenta folclórica, com o passar dos anos foi revisitado pela moda e entrando um pouco mais na cultura ocidental. SarongueFoto: Reprodução da InternetAs saias pertencem historicamente à ambos os sexos, só as calças são uma questão de gênero, masculino e feminino, se é que isso importa. Na França em 2007, um grupo de homens se uniu e criou a associação “Hommes em Jupe”, na busca por direitos de uso de saias por homens, já que a peça tem signo, significado e símbolo na cultura. O Presidente de Associação, Mareau, afirma que buscam o direito de dispor plenamente do próprio corpo, assim como as mulheres o fizeram na utilização das calças. Foto: Reprodução da InternetDiscussões à parte, calças e saias, o importante é poder usar o que quiser para se vestir, hoje a moda está cada vez mais democrática e buscando conforto para quem usar as peças. Acaba-se falando em saia masculina por ainda não haverem muitas marcas que criam peças específicas para o público masculino, levando assim os mais antenados a garimpar peças do armário feminino. A produção de roupas agênero já trabalha essa questão, mas a produção ainda não é em grande escala e não atinge grande parte da população. O lance é experimentar, vista-se e divirta-se com isso.

    Leia Mais

  • O oculto e a arte

    Por que se tem renovado o interesse pelo ocultismo nos últimos 15 anos? Por que o tema é atual? O clima pós-apocalíptico associado à virada de milênio, diretamente ligado a eventos e a crise econômica e ecológica, criou um terreno fértil para abordar esses temas inexplicáveis, diretamente ligadas ao mistério, ao inconsciente e ao subconsciente. Esse fascínio pelo oculto e misterioso não é de hoje, no entanto ele vem e vai com o passar do tempo e se renova. Grandes figuras da história tem relação com o ocultismo na criação de suas obras, Goethe, Edgar Allan Poe, Balzac, René Magritte, Salvador Dalí, Alejandro Jodorowsky e os mais contemporâneos, Aldous Huxley, Led Zeppelin, Rolling Stones e David Bowie. Reprodução da InternetAs organizações míticas descritas em teorias da conspiração, como enormemente poderosas, com agenda a serem cumpridas para realização de seus objetivos infiltrados na sociedade de forma discreta, oculta. Sociedades secretas, assim chamados estes grupos onde as funcionalidades e funções são conhecidas somente pelos que participam. O que sugere que os envolvidos estão sob regras restritas e códigos secretos que visam preservar os segredos do grupo, muitas vezes visto pelos de fora como segredos ligados ao satanismo ou dominação mundial. As sociedades secretas mais conhecidas são a Maçonaria, a Máfia, a Cabala, Ku Klux Klan, Al-Qaeda, entre várias outras. De olhos Bem Fechados – Stanley KubrikA influência do ocultismo e das sociedades secretas nas artes é vista até hoje, diretores de cinema, cantores, produtores e escritores se valem desse universo misterioso para gerar grandes obras de cunho artístico e social. Filmes como “De olhos bem fechados”, Stanley Kubrik, “El Topo”, de Alejandro Jodorowsky estão entre os que se utilizam desse mote oculto para contar suas histórias. Na música Madonna, Dowie, Led Zeppelin, também dispõe do oculto para criação de canções memoráveis, o que mantém vivo o mito da Cultura Illuminati. Organização responsável por comandar a indústria cultural mundial, com conexões políticas e sociais ocultas, sombrias. Responsáveis por cumprir uma agenda de dominação sob certos aspectos. Capa do disco Alladin Sane – 1973Verdade ou não, o oculto, o mistério é necessário para a vida e para a arte, pois já dizia a canção – mistérios sempre há de pintar por aí. A cada momento surgem mais informações e ilusões sobre o que envolve essas sociedades. A arte agradece pelo material de criação e o público também, pelos filmes, livros e músicas inspiradores nos grandes mistérios da vida que movimentam a humanidade.

    Leia Mais

  • 7º Festival de Fotos de Tiradentes- Foto em Pauta

    A modernidade trouxe junto de si a reprodutibilidade técnica de imagens, sejam elas obras de arte ou imagem, as quais chamamos de fotografias. Ao longo dos anos diversos fotógrafos foram se destacando e modificando os padrões e técnicas fotográficas. O Festival de Fotografia de Tiradentes – Foto em Pauta chega à sua sétima edição. Entre os dias 22 e 26 de março, a cidade Campo das Vertentes terá de diversas exposições, workshops, palestras, debates, leituras de portfólio, projeções de fotografias e atividades educativas voltadas para a comunidade local. O Festival propõe aos participantes troca com grandes fotógrafos brasileiros e internacionais. Serão oferecidas oficinas em diversas áreas da produção fotográfica, e com grandes fotógrafos. Serão 20 artistas convidados, 15 palestras e 17 workshops. Os temas também são variados e para profissionais de todos os níveis. Valdemir Cunha, que foi editor de imagens de revistas Terra e Viagem & Turismo vai ministrar uma oficina sobre fotografia de viagem. O conteúdo contempla desde a escolha dos lugares, planejamento do roteiro até o estudo das técnicas de fotografia. Ilha dos LençóisFoto: Valdemir CunhaA fotografia documental, contemporânea, também tem destaque entre as opções de workshop. A portuguesa Ângela Berlinde vai a Tiradentes falar sobre As Poéticas Interdisciplinares – Uma Abordagem Contemporânea da Fotografia. O workshop de Mônica Maia, chamado Das mídias tradicionais para a galeria: novos caminhos da fotografia documental vai abordar a trajetória ao atual cenário da fotografia documental. “A programação do Festival transita entre a contemplação e a qualificação. As pessoas poderão participar de palestras, workshops e exposições temáticas, que ampliarão seus conhecimentos sobre os rumos da fotografia”, ressalta o curador do evento Eugênio Sávio. Para se inscrever e saber mais detalhes do 7° Festival de Fotografia de Tiradentes acesse o site do evento.

    Leia Mais

  • Reverberações

    Dá água doce chegam as boas notícias de 2017, alunos da escola básica de São Francisco (uma das zonas mais áridas e pobres de Cabo Verde) puderam beber água boa, tratada, por meio do projeto Água nas Escolas, o qual Cleo faz parte. Em janeiro 2016 ela esteve na cidade para implantar o projeto piloto de levar água potável a três escolas secundárias: Napoleão Fernandes (Santa Catarina de Santiago) e Alfredo da Cruz Silva em Santa Cruz e o Pólo do EBI do Lavadouro. Utilizando recursos próprios, ela retornou a Cabo Verde para cumprir uma promessa realizada em 2013, quando afirmou que ajudaria o local. A escola São Francisco não havia sido contemplada com a implantação de água potável no início do projeto, devido ao orçamento. No entanto, a realização foi possível por causa da diferença cambial e reajuste orçamentário com o empreiteiro das demais escolas. Foi economizado cerca de 5.000 USD que foram aplicados nesta solução mais barata, mas eficiente para esta escola que tem 250 crianças. Esta era uma das surpresas para Cleo, afirma Glória Ribeiro, Secretária Executiva. A inauguração deste bebedouro com quatro torneiras, abastecido por um depósito de 2 m3 de capacidade, com filtro de água acoplado e abastecido por caminhão cisterna, enquanto a rede municipal de água não chega até a escola, projeto que será iniciado em breve.

    Leia Mais

  • Lingeries à mostra

    Por: João Monteiro Por muito tempo a lingerie ficava escondida na hora de montar o look, mas a moda e suas reviravoltas trataram de pôr pra fora as lingeries rendadas, bodys e sutiãs. O detalhes trazidos pela underwear são uma suavidade e uma sensualidade que quando na medida certa deixam o look com um toque sexy sem mostrar demais. Dá pra usar de diversas formas, misturar rendas e tecidos fluidos, eles dão um mix lindo e leve, e pra mostrar aquele detalhe do sutiã vale abrir um pouco mais a camisa para deixar à mostra. Pra fazer um estilo mais descolado basta combinar uma peça mais pesada, um sapato mais forte, calça jeans ou uma jaqueta. Reprodução da InternetTudo é possível desde que não deixe o look com estilo vulgar, uma tendência mais leve é colocar uma terceira peça pra tornar a transparência mais discreta e sutil. Mostrar o sutiã sem querer, com regatas e blusas mega cavadas, ou por meio do decote dá o ar sexy sem querer. Se você for do tipo mais ousada e ligada em estilo pode usar sim o sutiã por cima de camiseta. Pode ser uma lingerie de renda sobre uma camiseta branca mais ajustada ao corpo. Que tal: você se anima? E não para por aí, continua contudo o retorno dos vestidos com cara de camisola, à la anos 90, de cetim ou tecido fluido, com ou sem rendas, ainda podem ser vistos por aí. Pensem em cetim, camisolas, silhueta lânguida e minimal. Muitas referências esportivas, assimetria, comprimentos mídi em shapes ajustados. Que tal ousar?! Reprodução da InternetReprodução da InternetReprodução da InternetReprodução da Internet 

    Leia Mais

  • Trend de inverno

    Trend de inverno Use saia sim, mas agora de couro! Publicado em 16/03/2017 A estação outono/inverno se aproxima e agora as produções ganham um novo olhar com as peças de couro. E claro, a saia de couro aparece com força total nos looks do momento. Minissaia Quem disse que não pode? As minissaias ficam ainda mais estilosas com propostas como camisas de manga longa, casacos oversized e coletes. Aposte nessa pegada e invista nas botas de cano curto com meias, é a nova eleita para os estilos mais fashionistas. Ah, a meia ¾ arrastão, é a aposta da temporada. Saia Mídi Clássica e elegante a saia mídi, além de deixar o shape alinhado e longilíneo garante conforto e torna-se uma peça curinga para qualquer ocasião. Seja com salto, tênis ou flat ela fica mais do que dinâmica para as apostas da vez. Saia com textura Babados, franjas e tachas são umas das escolhas para dar um destaque a mais no visual. Além do couro um diferencial a mais deixa o look ainda mais antenado. O foco principal em seu visual com propriedade. Inspire-se com as mais variadas possibilidades e garanta já um visual cool e antenado da temporada! *Imagem capa da matéria – Leo Franco NOVIDADES DA CLEO Cadastre-se aqui para receber novidades da Cleo

    Leia Mais

  • Gisberta

    Em Gisberta, a decisão do ator de não interpretar a personagem título se deu pela escolha de que ao ser um contador ela não seria reduzida a seus contornos e sim cada vez mais humanizada e multifacetada para ser percebida pelo público. Não uma representação da personagem e sim a apresentação dela por meio de seu entorno, dos personagens que passaram por ela e compõem essa história. O espetáculo Gisberta com Luis Lobianco traça a história de Gisberta Salce Junior, morta em Portugal na Cidade do Porto em 2006 por um grupo de 14 jovens de 12 a 16 anos. Sua trágica morte originou mudanças no sistema legislativo português relacionado a transfobia, abriu debates e proporcionou direitos aos transexuais. O projeto teatral é o primeiro a falar da personagem no país, outra montagem ocorreu em Portugal. Gisberta ficou conhecida na voz de Bethânia ao interpretar a música Balada de Gisberta de Pedro Abrunhosa. Um ator, três músicos, assim é Gisberta de Lobianco, em tempos onde é crescente a morte de travestis e transexuais no país é um espetáculo teatral, um manifesto social e um ato político ao falar sobre o outro, ao dizer do que não é visto. A direção é de Renato Carrera, texto de Rafael Souza-Ribeiro e produção de Claudia Marques, em cartaz no Centro Cultural Banco do Brasil- RJ. Serviço GisbertaOnde: CCBB-RJ R. Primeiro de Março, 66 – Centro, Rio de Janeiro – RJQuando: de quinta a domingo às 19h 30 min até 30/04Quanto: R$ 20Classificação: 14 anos

    Leia Mais

  • Transfobia

    Será que estamos perdendo a humanidade? Ainda dá tempo de sermos humanos? O que nos torna diferentes? O que nos torna iguais? São muitas perguntas, muitas respostas, muita falta de respostas e também muita falta de ação. A sociedade vem se transformando radicalmente ao longo dos anos com as modificações sociais e inserção de novas tecnologias no nosso cotidiano, no entanto algumas coisas parecem não sofrerem alterações. Vivemos um tempo fragmentado, cada um por si no mundo capitalista, vivemos o momento das tribos, falamos com os iguais e por afinidades. O que fazemos com o que diverge ou difere de nós? Precisamos reaprender a dialogar, e humanizar. O Brasil tem um dos maiores índices do mundo de pessoas transsexuais assassinadas segundo a ONG Transgender Europe. O último Relatório de Violência Homofóbico data de 2013, para investigar as estatísticas é preciso encontrar meios alternativos de captar essas informações. Só em 2016 foram aproximadamente 300 casos de homofobia onde 127 eram transexuais, trangêneros e travestis. As causas mortis, as mais variadas e cruéis possíveis – asfixia, facadas, pauladas, pedradas e tiros, sem contar as inúmeras atrocidades realizadas durante os crimes. Bruna Benevides, 37 anos, casada, militar, militante LGBT e Ativista Transfeminista, Secretaria de Articulação Política da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (ANTRA), ressalta que no brasil não há nenhuma lei pro LGBT, apenas resoluções, portarias e decretos que visam, minimamente, trazer um resgate do que o movimento LGBT e Trans tem tido ao longo de todo o processo de debate e emancipação dos corpos, e empoderamento frente as discussões de identidade de gênero. “Fica complicado pra nós lutar por qualquer direito se o direito principal, que é o direito à vida, nos está sendo negado. Falo disso por causa da nossa maior luta, a sobrevivência. Hoje não conseguimos nem sobreviver. A estimativa de vida de uma pessoa trans é de 35 anos, enquanto do restante da população é de 79 anos. Existe uma perda ou um roubo de 44 anos da nossa existência, então hoje nem se consegue sobreviver, afirma Bruna. Qual seria a solução para esse tipo de crime? Criação de leis? Punições mais severas? Questionado sobre isso o Deputado Federal Jean Wyllys falou sobre o tema para o site. Segundo ele a solução, além de medidas imediatas de políticas públicas de segurança que os governos deveriam tomar, usando as leis que já existem, para prevenir e investigar esses crimes para que não fiquem impunes, precisamos produzir uma mudança cultural profunda na sociedade. Não é uma resposta fácil, leva mais tempo, mas é a única solução. “Cada vez que um pastor evangélico fundamentalista ou um deputado fascista usa os veículos de comunicação, o culto religioso, a tribuna do Congresso ou as redes sociais para fazer discurso de ódio contra lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais, milhares dos seus seguidores se sentem legitimados para espancar, praticar bullying, insultar ou simplesmente matar. O discurso de ódio desumaniza seus alvos, torna-os “matáveis” porque diz que suas vidas não têm o mesmo valor que outras. O crescimento desses discursos sempre vem acompanhado de um crescimento da violência, que na maioria dos casos fica impune, ressalta Jean. Para Bruna é preciso se falar também, sobre exclusão, que se dá a partir de pais que não estão preparados para esta discussão e isso se reverbera e se perpetua na sociedade como algo realmente ignorante, no sentido de ignorar. Esses pais expulsam de casa, em média aos 13 anos de idade, essas pessoas que automaticamente vão perdendo a chance de se lançarem em qualquer carreira e se inserirem na sociedade, pois a escolaridade é retirada no momento em que vão para as ruas. A gente vê na escola, uma reprodução fiel do que a sociedade tem feito com essa população, a escola não está preparada para nos receber, afirma. Bruna Benevides Foto: João MonteiroRecentemente o assassinato de Dandara dos Santos, 42 anos, em fortaleza no Ceará, por um grupo de cinco jovens repercutiu nacionalmente por meio de um vídeo que viralizou na internet onde os acusados realizavam atrocidades com ela, culminando em seu assassinato, não aparente no vídeo. As manifestações de indignação tomaram conta dos veículos de comunicação e redes sociais, e a visibilidade a essa causa tem tomado maiores proporções, mas muito ainda há pra ser feito. Assim como o caso de Dandara, diversas outras transexuais tem morrido pelo Brasil e os casos, alguns não solucionados, outros enquadrados em penas comuns, outros pouco esclarecidos precisam ser resolvidos de forma assertiva e justa. Dandara dos Santos Foto: Reprodução da InternetPara que esses crimes parem de acontecer é necessário mudanças primeiramente nas escolas, que precisam ter programas de prevenção do bullying LGBT-fóbico e educar contra o preconceito e a discriminação, fornecendo informações verídicas sobre sexualidade. Em segunda instância reconhecer o direito das pessoas trans. O Congresso Nacional deve aprovar a lei de identidade de gênero “João Nery” e a lei de casamento civil igualitário. Toda a experiência internacional mostra que a afirmação de direitos diminui a violência, os suicídios, a discriminação e o preconceito social, ressalta o Deputado Jean Wyllys. E em terceiro lugar, porém não menos importante, é preciso um pacto nacional para isolar a questão, em outros países a defesa da cidadania LGBT não é uma questão partidária, de direita ou de esquerda, e sim consenso nacional. É preciso voltar para o humano, deixar de lado crenças e demais ideologias que possam segmentar, e pensar e agir de forma que os direitos para estes seres humanos sejam assegurados. Algo simples e que tem sido tão difícil no país, o direito sobreviver, de viver dignamente, humanamente. *Imagem de capa da matéria – Wes Nunes

    Leia Mais

  • Quartzo Rosa

    Quartzo Rosa O tom considerado delicado, agora aparece com uma dose de atitude para as produções mais antenadas da temporada. Vem descobrir com a gente como usar! Publicado em 11/03/2017 Por: Carolina Souza All pink: Produções completas do tom dá uma pitada de irreverência. Macacões, vestidos ou até mesmo blusa e calça do mesmo tom ou não, incorporam um look fashionista e queridinho por quem vê. Destaque 1 peça: Agora você pode escolher uma das peças para escolher o tom. Para equilibrar a produção, se não desejar um destaque maior, adicione tons claros em uma das peças. Assim, a composição ficará perfeita e ainda estará no mood sem erro! Divertido: Você também pode ousar e se sentir confortável, usar várias tonalidades em um mesmo visual. Rosa, rosa e mais rosa… Quebrando rótulos da figura Barbie, com um ar revisitado e antenado. O rosa chega com personalidade e garante produções antenadas e cheio de estilo para qualquer ocasião e momento. Inspire-se com notoriedade! NOVIDADES DA CLEO Cadastre-se aqui para receber novidades da Cleo

    Leia Mais

  • Superalimentos

    Superalimento é um termo utilizado para descrever alimentos de alto teor em fitonutrientes com elevados benefícios para a saúde. De acordo com a Harvard Pilgrim Health Center, muitos alimentos são designados como “superalimentos”, devido aos seus extraordinários benefícios para a saúde. Estes alimentos são geralmente naturais, inteiros e contêm altos teores de vitaminas, minerais, aminoácidos, ácidos gordos essenciais ou antioxidantes. A incorporação deles na alimentação diária melhora de um modo geral a saúde. Apesar do termo superalimento poder ser usado em demasia, há alguma verdade quando o mesmo é usado para rotular alimentos de extrema riqueza. Eles são uma ótima opção para todos aqueles que praticam um estilo de vida saudável e querem preservar a saúde e prevenir a doença, que é o caso da Medicina Ortomolecular, que visa a manter a saúde. Seja qual for a sua situação, venha descobrir o que a natureza nos dá de melhor e experimente os magníficos superalimentos. Dra. Janaína Barboza fala dos principais alimentos e suas características e como eles beneficiam nossa vida quando consumidos de forma certa. Alguns já conhecemos, outros novos, os quais viemos inserindo aos poucos em nossas dietas. Assista agora e descubra mais sobre estes superalimentos.

    Leia Mais

  • Sobre mulheres

    Semana da mulher, Dia Internacional da Mulher em 8 de março, então selecionamos 5 livros e 5 filmes em que se fala de mulheres, com mulheres e para mulheres. Na arte o feminino vem sendo retratado de diversas formas, e a mulher tem seu espaço cada vez maior. Ainda é necessário mais, sim, faltam mulheres diretoras, faltam mais mulheres produtoras, ainda há poucas escritoras reconhecidas mundialmente se comparadas a quantidade de escritores homens. 5 Livros 1- A paixão segundo GH de Clarisse Lispector Reprodução da InternetClarice transmite ao leitor as preocupações emocionais da personagem G.H, mulher bem sucedida profissionalmente, porém não conhece sua identidade, portanto, busca o conhecimento interior. 2- As meninas de Lygia Fagundes Telles Reprodução da InternetTraça um paralelo entre a vida de três jovens – Ana Clara, Lia e Lorena – que vivem em um pensionato de freiras em São Paulo durante o período da ditadura militar no Brasil. Com personalidades, histórias de vida e sonhos totalmente diferentes, a história é vista sob a óptica das três personagens. O foco narrativo em 1ª pessoa, desloca-se constantemente para o fluxo de consciência das três amigas, que se entrevistam, que se apresentam umas às outras e ao leitor, que refletem continuamente sobre si mesmas e umas sobre as outras, arrastando-nos nessas frequentes invasões à privacidade. 3- Medéia Reprodução da InternetDe Eurípedes, Medeia centra-se na vontade de vingança de uma esposa contra o marido infiel. A história passa-se em Corinto algum tempo depois da expedição dos Argonautas comandados por Jasão para reconquistar o Tosão de Ouro, durante a qual ele conheceu Medeia. A peça começa com Medeia enraivecida com Jasão por este se casar com Glauce, filha de Creonte (rei de Corinto). A Ama, ouvindo a angústia de Medeia, teme o que ela poderá fazer a si mesma ou aos seus filhos. 4- Persépolis Reprodução da InternetÉ uma HQ autobiográfica que discorre sobre a vida de uma garota iraniana e todos os percalços em meio a um ambiente opressor e formado por ideologias conservadoras. Desse modo, temos um belo relato de vida permeado por um contexto histórico riquíssimo e repleto de reflexões. Através de uma narrativa em primeira pessoa fluida e com toques bem humorados e criativos, adentramos no mundo de Marjane. Desde os 10 anos de idade, ela compartilha conosco o modo de vida, os costumes e a rotina das meninas da sua idade nas escolas iranianas e no cotidiano do lugar. Para tal, ela discorre, por exemplo, sobre o fato dos véus terem se tornado obrigatório nas escolas e como ela e as outras meninas reagiram a essa imposição. 5- Orgulho e Preconceito de Jane Austin Reprodução da InternetA história mostra a maneira com que a personagem Elizabeth Bennet lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Elizabeth é a segunda de 5 filhas de um proprietário rural na cidade fictícia de Meryton, em Hertfordshire, não muito longe de Londres. Apesar de a história se ambientar no século XIX, tem exercido fascínio mesmo nos leitores modernos, continuando no topo da lista dos livros preferidos e sob a consideração da crítica literária. O interesse atual é resultado de um grande número de adaptações e até de pretensas imitações dos temas e personagens abordados por Austen. 5 Filmes 1- Nise- O coração da loucura Direção: Roberto Berliner Foto: Reprodução da InternetNos anos 1950, uma psiquiatra contrária aos tratamentos convencionais de esquizofrenia da época é isolada pelos outros médicos. Ela então assume o setor de terapia ocupacional, onde inicia uma nova forma de lidar com os pacientes, pelo amor e a arte. Com Glória Pires no papel título e direção de Roberto Berliner. 2- Tudo sobre minha mãe Direção: Pedro Almodóvar Foto: Reprodução da InternetNo dia de seu aniversário, Esteban (Eloy Azorín) ganha de presente da mãe, Manuela (Cecilia Roth), um ingresso para a nova montagem da peça “Um bonde chamado desejo”, estrelada por Huma Rojo (Marisa Paredes). Após o espetáculo, ao tentar pegar um autógrafo de Huma, Esteban é atropelado e morre. Manuela resolve então ir até o pai do menino, que vive em Barcelona, para dar a notícia. No caminho, ela encontra o travesti Agrado (Antonia San Juan), a freira Rosa (Penélope Cruz) e a própria Huma Rojo. Direção de Pedro Almodóvar. 3- As Horas Direção: Stephen Daldry Foto: Reprodução da InternetEm três períodos diferentes vivem três mulheres ligadas ao livro “Mrs. Dalloway”. Em 1923 vive Virginia Woolf (Nicole Kidman), autora do livro, que enfrenta uma crise de depressão e idéias de suicídio. Em 1949 vive Laura Brown (Julianne Moore), uma dona de casa grávida que mora em Los Angeles, planeja uma festa de aniversário para o marido e não consegue parar de ler o livro. Nos dias atuais vive Clarissa Vaughn (Meryl Streep), uma editora de livros que vive em Nova York e dá uma festa para Richard (Ed Harris), escritor que fora seu amante no passado e hoje está com Aids e morrendo. 4- Persona Direção: Ingmar BergmanFoto: Reprodução da InternetFilme sueco de 1966, do gênero drama, escrito e dirigido por Ingmar Bergman. É um filme que retrata de forma bastante reflexiva e complexa as máscaras que o ser humano usa em sua vida, a ponto de não mais reconhecer a sua real face. 5- 8 Mulheres Direção: François Ozon Foto: Reprodução da InternetUma socialite, Gaby (Catherine Deneuve), foi para sua casa de campo para aparentemente passar o Natal com seu marido Marcel (Dominique Lamure), sua mãe (Danielle Darrieux), sua irmã Augustine (Isabelle Huppert) e suas filhas, Suzon (Virginie Ledoyen) e Catherine (Ludivine Sagnier). Logo após sua chegada Louise (Emmanuelle Béart), a nova camareira, acha Marcel com uma faca cravada nas costas. Todas têm motivos para querer sua morte, inclusive Chanel (Firmine Richard), uma cozinheira que está na casa há bastante tempo e a novata Louise. Elas não podem chamar a polícia, pois os fios do telefone foram cortados, e algo fez o mesmo com os fios do carro, para impedir que partissem. Misteriosamente, vindo de carona, chega Pierrette (Fanny Ardant), a cunhada de Gaby, que também tinha seus motivos para matar o irmão. Elas se vêem forçadas a se confrontar, com muitos ressentimentos e verdades vindo à tona enquanto tentam elucidar o que está acontecendo.

    Leia Mais

  • Veículo sustentável substitui carroças

    Um país grande como ainda possui grandes diferenças sociais e estruturais que aos poucos, com a colaboração geral podem ser diminuídas. Pra quem é dos grandes centros urbanos muitas vezes não vê por aí, rua a fora carroças puxadas por cavalos à cata de lixo. No entanto isso é bem comum em cidades de menor população, e em extremos do país. Para se sustentar, algumas pessoas ganham dinheiro vendendo parte do lixo que sai das casas, como papéis e garrafas plásticas. Para levar esse material utilizam carroças puxadas por cavalos. Tem gente que acha que isso maltrata os bichos. Outras pessoas reclamam que as carroças atrapalham o trânsito porque andam muito mais devagar do que os carros. Reprodução da InternetO trabalho é digno e necessário, já que na maioria das vezes os sistemas urbanos de coleta e reciclagem não dão conta da grande produção de lixo nos dias atuais. Agora, a utilização de carroças puxadas por cavalos tem se tornado cada vez mais preocupante. Os animais sofrem mal tratos provenientes do freio (aparelho de metal onde prendem as rédeas, que ditam a direção a ser seguida, assim como freio), provocam úlcera, prendem a língua deles; muitos se tornam fracos, tem alimentação deficitária, carregam sobre carga, o que gera em grande parte, a morte. Iniciativas surgem pelo país. Diversas regiões e estados sancionam leis que proíbem o uso de cavalos nesse processo. Mas o que fazer com quem trabalha e necessita dessa renda? E mais, nós também precisamos que este trabalho exista. Proibir o uso dos animais na coleta de lixo precisa vir acompanhada de uma ideia que proporcione aos trabalhadores sua renda, auxilie os animais e mantenha o serviço urbano. Reprodução da InternetAlgumas alternativas vem surgindo em pontos do Brasil, principalmente no Rio Grande do Sul e Alagoas, a utilização de híbridos de bicicletas e carregadores acoplados. Esse meio de transporte recebe diversos nomes, mudando de local para local. A ideia é ótima, viabiliza o trabalho e libera os animais, mas existe o custo dessa troca de meio de transporte, aí entra a ação das Ongs em prol dos animais, empresas e até mesmo órgãos responsáveis, que se unem para melhor auxiliar no processo. Há muito que ser feito, debatido, e executado para que isso ocorra. E nós podemos pensar de que forma ajudar.

    Leia Mais

  • Moda e macrotendência

    Quando no referimos a moda e grandes tendências, tendências macro, falamos de forma geral sobre o movimento de cultura e consumo que acontece e pode ser observado. Os comportamentos surgem e tendem a se manter por um tempo servindo de guia para futuras escolhas no campo da moda, da arte, gastronomia e design. No último report divulgado pelo WGSN foram destacadas quatro ideias principais que devem permear as tendências dos próximos anos, 2018 e 2019. Créditos: Steven Klein para InterviewO atual momento mundial de extrema conectividade, divisões políticas, apelo social, acaba por modificar o panorama da moda. As tradicionais semanas de moda tendem a terminar, dando espaço para o um jeito novo, see now, buy now, que significa poder adquirir a peça logo após o desfile, não tendo que esperar a troca de estação para comprar a roupa. Cada vez mais, marcas voltadas para públicos específicos surgem e se destacam no mercado, a sociedade se mostra segmentada, menos massificada, mistura de tradição e qualidade poderão ser vistas em grandes marcas comerciais. Pequenos e grandes estilistas irão se aventurar por coelhões que promovam versatilidade, qualidade e sustentabilidade. O visual atemporal será tendência, a busca pela qualidade das peças influencia na compra, a durabilidade vem associada a questão social, comprasse menos, mas buscasse mais qualidade nas peças. Créditos: Steven Klein para InterviewAs mídias sociais influenciam diretamente nesse processo e o “multilocal” aparece como uma das característica, pois estamos em todos os lugares, conectados, culturas distantes de aproximam, colecionar momentos e coisas se torna fato e com isso tradição e cultura se mostram com forte apelo na moda, no entanto com muita propriedade e pessoalidade, onde cada um dá o seu toque fugindo do óbvio. Se vestir para o dia a dia passa a ser uma forma de comunicar não somente que você tem estilo, é antenado e segue tendências, como também se transforma numa ferramenta de comunicar ideias, crenças e tornar visível subculturas. A moda indo além do vestuário, quando expressão e opinião são agregadas as peças e ao estilo individual. Em resumo é chegada a era da conectividade também para moda, as correntes de opinião e tendências se formam e podem ser vistas e mensuradas. Opinião, responsabilidade social, conectividade e estilo são necessários para essa adaptação. Créditos: Steven Klein para Interview   

    Leia Mais

  • Meia Arrastão

    Ela fez história nos anos 80 e bombou nesse carnaval, e com certeza continua com tudo pra próxima temporada. A meia arrastão invadiu as passarelas antes mesmo das festas carnavalescas, desfilou pelas ruas nos blocos e segue firme no closet dos mais antenados. Seja coma teia mais largo ou mais fechadinha ela dá estilo a produção e uma pegada rocker. Jeans rasgado e ela se tornaram o hit quando uma das irmãs Kardashian usaram e abusaram. A meia fica a mostra por entre as fendas da calça dando um ar decolado a produção. O toque fica por conta de deixar a parte da cintura mais alta que o cós da calça ou saia, aparecendo um pouco de meia. Kim Kardashian Reprodução da InternetO que também tem feito sucesso é a meia soquete arrastão, dá pra ser usada com sandálias, tênis e mules. Essa meia pra ser usada tem ter uma boa combinação entre o look e os acessórios e detalhes. Com o tênis a pegada urbana é revisitada, dando um ar sexy a produção. Vale lembrar que ela foi alçada a ícone fashion com a Madonna que apostava também em tops, maiôs e luvas de rede. E há, ainda, quem prefira associá-las à rebeldia adolescente do rock e punk, onde apareciam tanto nos looks femininos quanto nos masculinos. Indo além na história chegamos até as dançarinas de Can Can de Paris, que a usavam em suas apresentações pelos cabarés, nesta época a meia era utilizada por ser vazada, dando mais flexibilidade aos movimentos, no entanto ainda era tida como algo de mau gosto. Com o passar dos anos, lá pelos idos dos anos 60, as pin ups invadiram a cultura norte americana com sua sensualidade e junto delas a meia arrastão retornou sob nova perspectiva, a partir daí ela foi assimilada pela moda e como todas as tendências, retornou repaginada para ficar. Reprodução da Internet

    Leia Mais

  • Dicas da Dra. Jana

    Calor, sol, mar e grande exposição a temperaturas elevadas podem danificar os cabelos senão tivermos cuidados básicos para encarar a estação. Algumas dicas podem ser usadas em todas as estações para manter os cabelos bonitos. Para Dra. Janaína Barboza cuidar dos cabelos, dos fios é algo para todo ano, não somente no verão, mas na estação mais quente os cuidados devem ser intensificados se você é daqueles que gosta de pegar sol, ir a piscina e a praia. Você sabe como é formado o fio do cabelo? Eles precisam de cuidados e hidratação constantes, mas você sabe por quê? A fibra capilar, ou toda a extensão dos fios, é dividida em três partes com funções diferentes que, unidas, deixam seus cabelos bonitos e saudáveis. Os tratamentos funcionam para corrigir problemas causados por química e agentes externos, como a poluição, e garantir que a cutícula, o córtex e a medula funcionem corretamente. Vale ressaltar que estas partes do fios que constituem os cabelos integram um fio e interagem entre si e com o sistema corporal do indivíduo como um todo, então, o que você come também influencia no seu cabelo, crescimento e qualidade. Para Dra. Janaina Barboza, cuidar dos cabelos, dos fios, vai além de usar máscaras reparadoras, protetor solar, chegando até a alimentação, hidratação corpórea e muitos outros detalhes que nos compõem. A cutícula é a camada mais externa, que deixa os fios hidratados. Você já deve ter ouvido falar em produtos que fecham as escamas para ter efeito maior, ou que o jato de ar quente abre as cutículas e é importante o ar frio para fechá-las? A cutícula é a camada mais externa, responsável por regular a entrada e saída de água da fibra. É nela, por exemplo, que a coloração fica depositada. A maioria dos danos capilares acontece nessa área dos fios, que graças a danos externos, rompem a proteção da cutícula e causam queda, porosidade e ressecamento. O Cortex é responsável pela forma, cor e resistência. Ele é a região mais importante do fio e é responsável por definir a forma, a cor, a resistência, a elasticidade, a quantidade natural de umidade dos fios e a força. Proteínas se agrupam em hastes formadas de queratina, importante para evitar quedas e ponta dupla, e melanina, que dá cor aos fios. No córtex também é definida a textura do cabelo, se será liso ou cacheado. A medula, está presente em apenas uns tipos de cabelos. O cabelo ainda é constituído pela medula em camada mais interna. Ela é a única parte da fibra capilar que está em contato com o bulbo e só é encontrada nos fios mais grossos ou nos brancos. Ela é responsável por distribuir minerais e nutrientes até as pontas; o que permite que as células que são criadas no bulbo e fazem com que os cabelos cresçam, sejam levadas até as extremidades.

    Leia Mais

  • Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do Excesso

    A estranheza da exposição e a criação de um universo onírico próprio é delicioso na mostra Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do Excesso, na Caixa Cultural no Rio até 4 de março. Como se entrássemos num mundo único e cheio de referências. Diversos artistas construíram uma estética própria e um mundo para sua arte, um local onde ela habita e emerge. No cinema Tim Burton é um ótimo exemplo estético, onde cenários, figurinos, estereótipos se fundem e criam um universo único. Na arte visual pode-se citar o universo de Bottero, que também se mostra bem construído e único, existem ainda inúmeros artistas assim, que o universo particular é algo grandioso e repleto de significados. Foto: João MonteiroDepois de passar pela Caixa Cultural Salvador chega ao Rio para celebrar os 50 anos da trajetória no Brasil do multiartista argentino radicado na Bahia Reinaldo Eckenberger. A exposição traz um panorama das diversas fases e linguagens de Eckenberger, com curadoria da jornalista e mestre em artes visuais Luciana Accioly e do poeta e editor Claudius Portugal. Pensada como uma grande instalação que esbanja criatividade, a mostra traz mais de 500 itens, como assemblages, bonecos de pano, estofados e objetos híbridos, entre outras obras de arte, ligadas pelo conceito do excesso. Tanto na poética quanto na carreira de Reinaldo Eckenberger, o excesso é um princípio definitivo que opera em todas as fases, linguagens e suportes utilizados pelo artista. Assim, a montagem da exposição aposta no acúmulo exagerado de obras, de forma a traduzir as ideias de desmesura e desmando. As diferentes fases de sua obra não são organizadamente dispostas. Convivendo no mesmo espaço, linguagens, técnicas, suportes e materiais distintos estão integrados. Os objetos híbridos são acumulados em suportes diversos, como uma mesa de jantar e um tabuleiro de xadrez com lajotas brancas e pretas. Foto: João Monteiro“Cenas de sexo oral, carícias íntimas, perversão, além do fetiche por elementos como o pênis, a língua em riste, o nariz em forma de falo e os olhos expressivos são recorrentes nos desenhos, pinturas, gravuras, cerâmicas, objetos e trabalhos em tecido de Eckenberger”, diz Luciana Accioly, que obteve mestrado em artes visuais na Universidade Federal da Bahia (UFBA) com a dissertação A Poética de Trapos de Reinaldo Eckenberger. Um certo toque barroco emana da arte de Eckenberger, as quinquilharias, a sobreposição de peças, a desconstrução e criação de novos objetos, a opulência, e a degradação criam um ar muito próprio que vai do kitsch o luxo sem perder a essência. Ao passar pelas instalações e adentrar nesse mundo acaba-se por lembrar de Hieronymus Bosch e seu Jardim das Delícias. Cada qual com seu jardim, cada um com suas delícias, mas ambos e todos com seus mundos próprios, únicos e que dialogam algum ponto entre si, já que a raiz artística vem do inconsciente coletivo comum. A partir daí, sua poética excessiva, tributária das vanguardas dadaístas, expressionistas e surrealistas. SERVIÇOMostra Reinaldo Eckenberger – Uma Poética do ExcessoCaixa Cultural – centro do Rio de JaneiroData: 03/01/2017 a 04/03/2017Horário: Terça-feira a domingo, das 10h às 21h.Local: Galeria 1Entrada Franca Foto: João Monteiro

    Leia Mais

  • Pimpolhos da Grande Rio

    A Pimpolhos da Grande Rio é uma Escola de Samba Mirim e ONG que tem como objetivo promover a inclusão social e educar através da arte, da cultura e do carnaval. De Duque de Caxias, no Rio, o trabalho realizado por eles vem desde 2003 modificando a comunidade e auxiliando os jovens e crianças do local. Realizam trabalhos Lúdico-pedagógicos na plataforma Escola de Carnaval, abrindo espaço para debates e reflexões. A importância do reaproveitamento e o uso consciente dos materiais também é chave do processo criativo, e as atividades são desenvolvidas em cima de valores fundamentais para a formação dos jovens e suas famílias, como o respeito ao meio ambiente, a colaboração e o espírito de equipe. Dandara Vianna, 19 anos, participa da Pimpolho desde os 7 anos de idade, começou desfilando em alas da escola e depois passou a ser Porta-bandeira, devido um problema no joelho passou para a auxiliar na harmonia. Por meio da Pimpolhos aprendeu inglês, se tornou guia de turismo e anda estuda para ser bailarina. O que a Pimpolhos tenta é mostra para as crianças que a arte pode torná-las pessoas melhores, pois muitas crianças vem de comunidades muito carentes. A escola as aproxima de outro universo, mostrando que elas podem ir além. “Sendo mulher e negra nessa sociedade temos pouco espaço e a Pimpolho mostrou que posso ter voz. Me mostrou que posso um ser uma pessoa melhor. Eu posso não mudar o mundo, mas posso mudar o meu mundo ajudando algumas pessoas nessa minha caminhada e se isso acontecer a minha vida já vai ter valido a pena”, pontua Dandara. Dandara Reprodução da InternetOs projetos de educação e formação com objetivo de criar mecanismos de auto sustentabilidade para a Escola, profissionalizando jovens e adultos para trazê-los de volta ao mercado cultural são o foco dos organizadores. Atrelado a escola de samba mirim Pimpolhos existem diversos projetos sócio –educativos que sobrevivem de doações e recursos. Há 4 anos foi criado o projeto Carnaval Experience, com a proposta de mostrar e inserir pessoas de fora do universo do carnaval nesse mundo lúdico e divertido, além de ser mais uma forma de captação de recursos. Segundo a Diretora da Pimpolhos, Camila Soares, entender e propor este tipo de experiência de interação com a festa, e o que dela pode vir a surgir culturalmente, é importante para todos e provém do conhecimento de quem já está inserido nesse meio carnavalesco. Reprodução da InternetCom formação continua entre um projeto e outro dentro da escola as crianças crescem e se tornam parceiras de novos projetos. No Carnaval Experience as pessoas que trabalham são da comunidade ou pimpolhos que crescerem e se tornaram guias, professores de percussão, auxiliares de figurino, maquiagem, entre outras diversas funções. Assim se dá a continua conexão com o mercado de trabalho. Os recursos arrecadados com são divididos entre a Escola de Samba Pimpolhos, JLC Carnaval e Arte, Grande Rio e Carnaval Experince, possibilitando a continuidade dos trabalhos sociais e educacionais. Camila Vidaurre Soares, presidente da Pimpolhos, há 14 anos na frente da escola de samba afirma que o trabalho sócio educativo junto da Pimpolhos veio do lado familiar, por meio do pai que é um dos fundadores da Grande Rio. “Orgulho puro. A gente se envolve com eles e eles crescem, viram nossos filhos amigos, irmãos, vai virando uma grande família. Vão vindo outros jovens, é maravilhoso esse ciclo. Ver a galera crescer e poder trabalhar a autoestima das pessoas através da arte e da cultura fazê-los acreditar no potencial delas e iram atrás de seus sonhos, independente das condições as quais estejam inseridas”, ressalta orgulhosa Camila. Camila Reprodução da Internet

    Leia Mais

  • Hora da folia

    POR: Carol Souza Mais do que na hora de se produzir para a maior festa do ano. Os bloquinhos de rua, sambódromos e todas as festas nessa época do ano, pedem produções leves (por conta do calor, claro), mas nada de roupas caretas, porque estilizar faz parte. Então, inspire-se nas propostas que vão se destacar esse ano e embarque na folia com estilo. Sereismo O mood sereia aparece com força total! Aposte nos tons em azul, rosa e amarelo cintilante e estampas que remetam ao fundo do mar. Os acessórios não ficam de fora e você pode produzir as coroas para finalizar o look. Tecidos na cintura são bem-vindas! Além de práticas e versáteis. Reprodução da InternetÀ la Carmem Miranda Mais que uma referência, uma inspiração. Um boa maneira de se divertir é criar uma fantasia “brasileiríssima”. Tops coloridos ou bodys são ideais. Pode abusar das frutas para ter um tropicalismo que se faz necessário. Com um lenço, por exemplo, você realiza amarrações com frutas de plástico. Ficará no mood perfeito! Reprodução da InternetAINDA DA TEMPO DE TER SUA TSHIRT CLEO PRA CURTIR O CARNAVAL. PEÇA JÁ A SUA. Frida, Frida e Frida Ela não sai de moda! Com uma forte presença, história de vida e personalidade até hoje muitas a homenageiam. As eleitas são as flores, cores e claro make up que não pode faltar! Aquela sobrancelha expressiva para finalizar o style. Reprodução de InternetViu? Nada difícil transformar em fantasias lúdicas as peças que você tem em casa. Abuse da criatividade. Esse é o segredo e bom carnaval!!!

    Leia Mais

  • O que não pode faltar pra este carnaval

    Carnaval pode tudo, colorir, fantasias, purpurinar… Escolher as fantasias para curtir os blocos num calor de 40 graus é que o dá um dificultada, ou não, pode acabar ajudando a criar o modelitos mais diferentes e únicos. Seja pierrot, palhaço, colombina, seria, princesa, marinheiro, o que for, o toque especial fica por conta de cada um, desconstrua a fantasia, dê o seu toque, mas não esqueça do conforto pra encarar o bloco. Listamos 5 itens, que estão sueeper em alta nesse carnaval e alguns nunca saem de moda. 1- Maiôs e bodys Este é o carnaval do body, homens e mulheres tiram onda com seus corpos dentro dessa modelito. Pode ser de uma cor só, colorido, mega recortado, recatado ou super estiloso, os maiôs e bodys estão aí para compor looks especiais e diferentes, escolha um experimente. Reprodução da Internet2- Pochete Ela pode ser considerada cafona, ter ficado de fora das semanas de moda por anos, no entanto, entra ano e sai ano ela retorna pra cintura de geral, pois não há como curtir sem segurança e carregar as coisas junto de você numa pochete ajuda muito a curtir o carnaval mais tranquilo. Elas vem com formatos, cores e estilos repaginados nesta estação, acredite assuma a sua e corra pro bloco. Reprodução da Internet3- Tiara com adereços Meninos e meninas capricham nos seus adereços de cabeça para os blocos. Muitas vezes é só ele que diz que a pessoa tá no carnaval, dando aquele toque. Pode ser o que quiser, basta compor o seu ou comprar pronto. Pode ser com fruta, flores, conchas, penas, ou com coisas inusitadas. Reprodução da Internet4- Sapato confortável Eu sei, é carnaval e vamos falar de sapatos?! Vamos! É muito ruim você tá no meio da festa e o pé começar a incomodar, chato, e ninguém quer. O negócio é escolher o que fica mais confortável seja sandália, chinelo, sapato, tênis. Ponha o que deixa o pé tranquilo pra aguentar várias horas de blocos. Reprodução da Internet5- Pulseiras e Colares Voltando aos detalhes, um bom colar e pulseiras dão aquele toque. Se tiver de bermuda um adereço desses já traz você pra festa. As meninas costumam dar mais importância e combinar mais eles. Aproveitem tirem tudo que amam do armário e criem. Carnaval é pra isso extravasar, curtir, se divertir e danças, dançar muito. Reprodução da Internet

    Leia Mais

  • Libra é a musa das musas

    Doze musas representaram seus signos no Baile da Vogue 2017- Lady Zodiac, no Hotel Unique em São Paulo no último dia 16. Todas com sua personalidade única e estilo próprio levaram a beleza ao baile. A diversão se estendeu ainda após a festa com a Revista QUEM, que convidou os leitores a escolherem a melhor musa. Cleo foi a vencedora do certame com 10 mil votos, obtendo larga vantagem de Bruna Marquezine, do signo de Leão, com 4,1 mil votos. A brincadeira divertida movimentou os leitores e o fãs, chamados carinhosamente de “Squad”. Como o que que vale é a celebrar, é justo aplaudir todas a musas pelo empenho em representarem cada signo do Zodíaco sob sua perspectiva. Reprodução de internetFugir do óbvio e pesquisar uma representação para Libra foi a busca de Cleo e Dudu Bertholini. O signo de Libra tem como regente Vênus, e a inspiração da antiga princesa da Mesopotâmia, Ishtar, que foi ao encontro de seu amado no submundo, e a cada portão que passava deixava uma peça de roupa até terminar despida e ter por fim seu renascimento. Essa lenda inspirou a dança dos sete véus de Salomé. Com uma pegada forte e sexy, romântica e guerreira, Cleo trouxe o seu toque ao representar seu signo.

    Leia Mais

  • É Carnaval!!!

    POR: Carolina Souza O país fica em festa quando se trata do carnaval. Cores, figurinos elaborados, máscaras, penas e tudo que possamos imaginar de alegre e colorido se enquadram para o figurino perfeito. Na verdade, o melhor disso tudo é combinar descombinando. Pois, o que vale mesmo é festejar e às vezes a junção disso tudo sem nenhum pudor ganha mais destaque e diversão. Mas, você sabe a origem das fantasias, máscaras e afins? Se não, vai descobrir agora! Vem pro baile! Originalmente o Carnaval surgiu na Roma Antiga, ganhando grande destaque no mundo e principalmente no Brasil, onde trios elétricos, frevos, sambódromos e ruas são povoadas de uma imensidão fora do comum. As máscaras e vestidos longos e esvoaçantes eram a atração principal. Hoje as máscaras ganharam novo fôlego e claro, looks mais despojados e curtos por conta do nosso país tropical são os indispensáveis para curtir a folia com força total. Vamos curtir a folia com serpentinas, confetes e cores… Ah! Brilhar essa é a palavra!

    Leia Mais

  • Cleo

    Cleo Escolha a musa do Baile da Vogue 2017 Publicado em 17/02/2017 O Baile da Vogue, Lady Zodiac, de ontem no Hotel Unique em São Paulo recebeu inúmeros famosos na festa mais badalada de pré-carnaval. O tema, como o nome diz foram os 12 signos do zodíaco. Cleo foi uma das musas e representou seu signo, Libra. Considera uma libriana característica, Cleo investiu em look repleto de amarrações, inspirado no Shibari e principalmente na lenda Ishtar, princesa que parair ao encontro de seu amado desce até o submundo, passando por sete portões do inferno,onde em cada um deixara uma peça de roupa, um véu. Sendo vênus sua regente, Cleo em suas pesquisas, chegou até este mito. Com look criado por Dudu Bertholini a musa do zodíaco investiu no preto e em tons de cinza pra encarar mais este personagem. Segundo Dudu, o figurino tem uma pegada forte, mesmo que ela seja romântica, mas tem uma força uma coisa da guerreira. Não deixe de votar na nossa Musa de Libra – Cleo, como a melhor musa do Baile da Vogue 2017 Clique do detalhe do look da Cleo, as amarrações e adereços com correntes e metal deram o toque ao figurino. Reprodução de internetA sandália deixa de ser um acessório e se torna parte do todo pra compor a musa de Libra. Reprodução de internetE assista alguns vídeos da Cleo em sua participação no evento. NOVIDADES DA CLEO Cadastre-se aqui para receber novidades da Cleo

    Leia Mais

  • Lady Zodiac

    Doze signos, doze lindas mulheres representando cada elemento do zodíaco, este é o tema do Baile da Vogue 2017, Lady Zodiac, que acontece hoje à noite no Hotel Unique em São Paulo. Cada signo com suas características e nuances aparecem no zodíaco por meio de representações. Cleo é libriana e no baile representará seu signo. O look ficou a cargo de Dudu Bertholini. Os dois librianos se entenderam bem na criação do figurino. Há muito tempo Cleo queria uma criação exclusiva do Dudu com. Na ideia de caracterizar o signo sem cair no senso comum Cleo foi buscar na mitologia a inspiração para compor esse look, essa personagem do Zodíaco. A força, a ponderação e o romantismo desse signo podem ser vistos no look. No vídeo dos bastidores da prova do figurino Cleo e Dudu contam como foi criar pensar e criar esse look. Confere. Há registros de estudos astrológicos relacionando comportamento humano à posição dos astros celestes que datam do século VII a.C.. Observando supostas nuances comportamentais semelhantes em pessoas nascidas em determinada época, eles concluíram que eram doze épocas distintas e que elas se apresentavam de forma cíclica. Pegaram então a rota solar e relacionaram cada época com a constelação por onde o Sol estava passando durante ela. Os nomes das constelações batizaram os signos e elas têm origem mitológica. Confira o mapa astral da Cleo. No baile as musas representarão seu signo: Vanessa da Mata (Aquário), Claudia Leitte (Câncer), as tops Fernanda Motta e Ana Beatriz Barros (Gêmeos), as atrizes Giovanna Antonelli (Peixes), Mariana Ximenes (Touro), Bruna Marquezine (Leão), Cleo Pires (Libra), Taís Araújo (Sagitário) e Claudia Raia (Capricórnio), e a apresentadora Adriane Galisteu (Áries).

    Leia Mais

  • Alair Gomes

    Fotografar segue as regras do olhar delicado de quem capta o momento. A pulsão sexual, o erotismo e o masculino são captados nas fotos de Alair Santos, e estão expostas na Caixa Cultural no Rio de Janeiro até 18 de fevereiro, no centro da cidade. Erotismo vai de encontro ao voyeurismo de assistir o outro de forma sensual, com desejo, até mesmo como um fetiche. O corpo masculino jovem e belo pautou toda a obra fotográfica do artista carioca, realizada ao longo de 20 anos. O olhar do artista, de viés homoerótico, tornou-se complexo e original ao longo de sua produção. Estudioso da história da arte, da física e da filosofia, suas pesquisas o levaram a encontrar caminhos fecundos para inserir a fotografia dentro do campo da arte contemporânea, com destaque para as sequencias de imagens que ele elaborou inspirado em sinfonias e sonatinas e em altares religiosos, como nas composições em trípticos. Considerado um dos precursores da fotografia homoerótica no Brasil, Alair Gomes notabilizou-se a partir dos anos 1960 pelas fotografias que enfocam o corpo do homem belo e jovem, seguindo a tradição da história da arte, notadamente das esculturas greco-romanas. Com forte acento voyeurista, muitas de suas fotografias, realizadas entre 1960 e 1992, foram feitas a partir da janela e também no perímetro de seu apartamento na orla da praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. Desde então, sua produção tem sido estudada por críticos brasileiros e estrangeiros, e vem ganhando espaço em livros, revistas, galerias e museus. Exposição Alair Gomes Percursos Caixa Cultural SP Foto: Eder ChiodettoA exposição esteve na Caixa Cultural São Paulo em 2015 e gerou recorde de visitantes, também traz série inédita de fotografias de atletas do surf, futebol, canoagem e natação no Rio de Janeiro, além da realizada na Praça da República, em 1969, na cidade de São Paulo. Caminhar pela mostra fotográfica e perceber as nuances que o olhar do fotógrafo propõe sobre o corpo masculino, vai além da simples erotização percebendo-se o apreço formal pela imagem e estética como linha de partida para criação das imagens.

    Leia Mais

  • Como se perder em… Carnaval

    Por: João Monteiro Tá chegando a hora de curtir a maior festa brasileira, o carnaval. Em todos os cantos do país a energia toma conta das ruas. São foliões de todos os lugares na mesma energia, a de curtir o que há de melhor nessa época. Tire sua fantasia do armário, ponha seu melhor sorriso e caia na gandaia, seja no Rio ou na Bahia, no Rio Grande do Sul ou em Minas Gerais, seja onde for, em fevereiro pra onde a gente olhar tá rolando carnaval e nada melhor que se perder por aí no ritmo de uma boa marchinha, muito samba e axé. Rio de Janeiro No Rio de Janeiro a cidade é puro samba, e ele já começa semanas antes do início oficial do carnaval. Desfiles das escolas de samba do grupo especial são a grande atração do carnaval carioca na Marquês de Sapucaí, com as escolas que ajudaram a popularizar o carnaval por meio da tradição que trazem consigo. O carnaval do Rio não é só o desfile das escolas de samba, existem também inúmeros blocos de carnaval espalhados pela cidade que arrastam muitos foliões para as ruas. Vale a pena curtir um carnaval no Rio. Reprodução da internetBahia A Bahia, terra do Axé music o carnaval também é arrebatador, pois atrás do trio elétrico só não vai quem já morreu, como dizia a letra da música. Um dos carnavais mais famosos do planeta, arrasta multidões pelas ruas de Salvador. São muitos trios e muitas horas de folia, seja na pipoca ou dentro dos trios, com seus abadas, a Bahia é a terra da diversão. E lá também o carnaval começa bem antes. Reprodução da internetRecife Em Recife, Pernambuco, o maior bloco de carnaval do mundo está presente, o Galo da Madrugada, que se apresenta no sábado. Há atualmente o chamado Carnaval Multicultural, organizado pela prefeitura, que conta com disputas em diversas categorias de agremiações carnavalescas. Considerado como o carnaval mais democrático do mundo, onde os foliões não precisam pagar para brincar; é apenas ter vontade, alegria e muita disposição para se divertir nos dias de carnaval. Reprodução da internetOlinda O carnaval de Olinda até a atualidade é caracterizada por um dos carnavais mais folclóricos e populares do país. Os bonecos de Olinda, gigantes, em meio à multidão, chamam atenção pelas dezenas de blocos desfilando. A tradição dos bonecos gigantes, que começou em Belém do São Francisco, recebeu as ladeiras de Olinda no ano 1932, com o boneco do Homem da Meia Noite criado. Há também 500 grupos carnavalescos desfilando por ruas do Centro Histórico de Olinda; os clubes de frevos, maracatus, blocos, afoxés, troças e caboclinhos partem para ruas. Reprodução da internetRio Grande do Sul Em quem disse que no Rio Grande do Sul não existe carnaval? A cultura do carnaval está presente em todos os lugares do país, na cidade de Jaguarão, no extremo sul do país, há um carnaval que remete muito ao de Salvador e ao de Minas Gerais. A cidade histórica com pouco mais de 20 mil habitantes, recebe muitos foliões nessa época do ano. São mais de 15 trios elétricos que arrastam multidões pelas ruas da cidade, e como já é costume o carnaval começa mais cedo, ainda na quarta-feira. Reprodução da internetMinas Gerais Diamantina em Minas Gerais, e Ouro Preto, o carnaval é curtido por multidão, entre ruas estreitas cheias de antigos casarões, sem hora para terminar. Em 5 dias da festa, são 24 horas de festividade. Pelo dia, os blocos caricatos chamam atenção. E durante a noite, os grupos Bartucada e Bat Caverna direcionam a batucada. E tudo ocorre na Praça do Mercado Velho, com reunião de mais de 15 mil pessoas diariamente. Reprodução da internetSão Paulo Em São Paulo tem sim carnaval, muitos blocos e trios elétricos, mas o que mais se destaca no estado é São Luiz do Paraitinga, cidade pequena, com 10 mil habitantes, considerado o melhor Carnaval do estado, com muita animação. A festa iniciou popular e original, sendo tipicamente de rua onde apenas tocam marchinhas tradicionais. Reprodução da internetMuitas outras cidades do país tem festas divertidíssimas de carnaval, aqui a gente traçou um pequeno panorama do que tem de mais conhecido, como Rio de Janeiro, Bahia, Olinda e folias ainda mais distantes, mas também com muito charme e alegria como Minas Gerais e Rio Grande do Sul. Escolha onde passar seu carnaval e se divirta com responsabilidade.  

    Leia Mais

  • Cleo + Keep Light

    Cleo + Keep Light Keep Cleo Pré - Carnaval Publicado em 13/02/2017 KEEP LIGHT + CLEO LANÇAM KIT ESPECIAL PARA PRÉ-CARNAVAL Cardápio de 7 dias que une praticidade e porções definidas, proporcionando perda de peso e bem-estar. Com o grande sucesso de suas linhas de pratos prontos, que permitem uma alimentação balanceada e saudável de forma prática e muito saborosa, a Keep Light, desenvolveu um programa pensando na Cleo e suas necessidades para se preparar para o carnaval: Keep Cleo Pré-Carnaval. O programa de 7 dias é composto por 6 refeições diárias, sendo o primeiro dia líquido e apresenta um lançamento Keep Light: Ginger Shot, uma bebida saudável que traz benefícios ao organismo, como o aumento da imunidade. O programa está à venda no site www.keeplight.com.br. Creme de Abóbora Detox Creme de Legumes Detox Filé de peixe à Siciliana Frango à Caçarola Frango Picante Salmão com espinafre Smoothie de Morango Suco mix com linhaça Tapioca com chia e queijos Adquira agora! Acesse o site e aproveite. Sobre a Keep Light Dirigida pelas empresárias Betina Sehbe e Christiane Jimenez, a Keep Light está no mercado desde 2003. A empresa desenvolve programas alimentares personalizados, com refeições saudáveis e congeladas para quem busca praticidade, aliando o sabor caseiro à produção industrial, sem abrir mão de preparações elaboradas. Reúne em seu cardápio apenas insumos de qualidade, submetidos aos cuidados de uma cozinha artesanal, amparada por técnicas modernas de produção. Além disso, todos os produtos são rigorosamente controlados, principalmente a quantidade de calorias e demais itens nutricionais. A Keep Light oferece uma extensa linha de produtos e várias opções de programas. O cardápio é supervisionado por nutricionistas e renovado periodicamente por Betina, responsável pela criação dos pratos. O consumo regular dos menus proporciona a possível perda de peso, sem a diminuição da qualidade nutricional e do sabor. “Buscamos na tecnologia procedimentos que garantam produtividade com a qualidade e sabor”, explica Betina Sehbe – sócia diretora da Keep Light. Contato Keep Light (11) 11 5042.9636www.keeplight.com.br NOVIDADES DA CLEO Cadastre-se aqui para receber novidades da Cleo

    Leia Mais

  • Purpurine-se

    Ela tomou conta das ruas antes mesmo do carnaval chegar, a purpurina, o glitter, os brilhos, circulam por aí nas maquiagens e pelo corpo de muita gente. O ato de pôr purpurina no corpo é quase um ritual, as tribos se encontram nesse momento de embelezar-se. Assim como as tatuagens e pinturas corporais, o ritual de fazer brilhar o corpo é quase uma retribalização. Uma forma de unir as pessoas. O carnaval traz essa miscigenação de ideias e ideais, e a união vem daí, do brincar, da troca. Muitas vezes durante os blocos e festas é possível ver pessoas passando purpurina umas nas outras, trocando cores, incrementando o visual, e de certa forma, se conhecendo trocando energia. Pode ser um detalhe simples na maquiagem, ou algo mais incrementado, que tal por quase todo corpo? Também pode! Seja ela masculina ou feminina, pra purpurinar não tem gênero nem opção sexual, ela é totalmente libertária. Foto: Mad DameFeita de pedaços pequeno de plástico ela gruda no corpo, na hora de retirar há de se ter cuidado, pois muitos resíduos acabam indo com a água, para os oceanos. Como tudo tem dois lados, ou mais, a gente usa, abusa, brilha e rebrilha, mas não custa ter cuidado e até mesmo ver materiais alternativos que purpurinem do mesmo jeito. Uma dica ótima para substituir a purpurina e o glitter e mesmo assim brilhar são os pós brilhosos de confeiteiro, aqueles usados para decorar doces. Já pensou? Brilhar e de quebra o produto é algo que pode ser ingerido se problemas pelo organismo e ainda sustentável, sem prejudicar o meio ambiente. Esse tipo de pó pode ser encontrado em casas de festas. Glitter, purpurina, brilhinho, brilhão, brilhos, brilhosos, brilhantes, se divirta, brilhe, o carnaval tá aí!   *Imagem destaque do post – Artista de Aluguel, projeto artístico de Elisa Brasil. Reprodução da Internet

    Leia Mais

  • Corset

    Adepta do corset há mais de sete anos a Cleo aprova e indica, tanto para diminuir medidas quanto para manter a postura, e é claro deixar o visual ainda mais ousado e bonito. Você sabe o que é um corset e sua história? O corset como conhecemos hoje passou por inúmeras modificações, no entanto, teve seu ressurgimento, já que aparece na história ainda na grécia antiga, por meio das criações de Roxey Ann Caplin, escritora e inventora britânica apontada como a criadora do corset vitoriano, o mais próximo dos corsets que se usa hoje em dia. A peça sem alças e em formato de ampulheta, não em forma de cone como nas décadas anteriores, começa a ser difundido e amplamente utilizado na Europa. Os punks na década de 70 deram o toque subversivo a esse objeto, com histórico de underwear, por meio deles o corset começa a ser utilizado como uma peça externa. Se hoje o usamos como uma peça de estilo, devemos muito disso à subcultura punk. Ícones da moda como Christian Lacroix, Vivienne Westwood, Thierry Mugler, Jean Paul Gaultier incorporaram essa peça em suas coleções, tornando-a ícone fashion. São elaborados com tecidos muito resistentes, divididos em várias camadas e amarrados nas costas com espécies de barbantes, normalmente de alumínio ou aço. O corset é dividido em duas linhas, Tight Comfort, para uso diário, utilizada na prática de Tight Lacing, técnica para afinar a cintura, com desenhos básicos e visando o conforto e a leveza; Fashion, ideal para festas, focando na beleza da peça e na riqueza de detalhes do material. Existem também outras subcategorias do corset relativas a sua modelagem: Underbust – ficando abaixo do busto e contornando a região dos seios;Midbust – que fica na região do meio busto;Overbust – que cobre todo o busto;Overbust – bojo, que cobre o busto e tem a utilização de um bojo;Ribbon – parecido com o underbust, porém o contorno dos seios é reto;Waist Cincher – semelhante ao Ribbon, mas com barbantes na horizontal. Falar do corset sem citar a colaboração da Madonna para a disseminação do seu uso e libertação do estigma de opressor feminino nos anos 80 é impossível. Por meio da cantora a peça antes com status de opressora da sexualidade, passa a ser associado a imagem da mulher forte e sexy, agressiva. A cultura de massa assimilou a peça que hoje vai muito além de redução de medidas, correção postural, e objeto fashion, é um ícone de feminilidade que associa estilo, atitude e sensualidade. Reprodução da Internet

    Leia Mais

  • Dicas de Verão

    Encarar o verão de forma saudável é fácil se você tiver pequenas atitudes cotidianas que ajudam a se manter saudável na estação mais quente. Dra. Janaína Barbosa selecionou algumas dicas importantes para vivermos bem no verão. Proteção solar adequada, tomar muita água, comer alimentos leves e ricos em vitaminas, respeitar os horários de pegar sol, fazer exercícios, e principalmente respeitar seu corpo e o funcionamento dele, são primordiais para encarar o calor. Desidratações, queimaduras, algumas viroses e resfriados são recorrentes no verão, entretanto são fáceis de ser evitados se tomarmos atitudes de prevenção. Beba água filtrada e de qualidade confirmada, evite tomar sol sem proteção nos horários de pico que são das 10h às 16h, e tenha cuidado com ambientes resfriados, pois a troca brusca de temperatura gera rinites e resfriados. Dra. Jana dá dicas de como prevenir estas e outras mazelas do verão, assista ao vídeo e fique sabendo.

    Leia Mais


TODOS OS BLOGS