MEUS LOOKS DURANTE O QG FHITS TRANSFORMAÇÃO

Entre tantas lembranças que tenho do QG Fhits Transformação, algumas são exatamente das produções que escolhi para algumas ocasiões do evento. Tudo é influenciado por um momento, um mood e, claro, nós acompanhamos tantos lançamentos de marcas, que já dá aquela vontade de brincar com as peças e fazer looks incríveis. Afinal, moda é isso. É quando já enxergamos formas de adaptar uma roupa ou acessório em uma estética que seja coerente com o nosso estilo.

 

Para o segundo dia, elegi uma das peças mais curingas do closet, a t-shirt. À prova de tendências, ela encara os mais diversos tipos de produções, desde as mais básicas até as mais elaboradas. Aliás, é exatamente esse o principal ponto positivo da peça – ser super versátil. No meu visual, optei pela a camiseta customizada (que eu amei) da Twenty Four Seven, surge combinada com saia midi de couro marinho envernizado. Nos pés, apostei na sandália de tiras e referência aquática, com conchas, para arrematar a proposta all blue.

 

 

Já no penúltimo dia, trouxe uma trabalho handmade que adoro e, sem dúvida, ganhou novos ares na moda recentemente. Na história, as primeiras evidências de patchwork, técnica que reúne diferentes tecidos através da costura, foram datadas na Europa durante a Idade Média. No entanto, foram os hippies da década de 70 que transformaram esse tipo de artesanato em estilo. Aqui, investi na saia longa com recortes de couro e crochê divide protagonismo no look total da talentosa estilista mineira Patricia Motta. Repare como a peça foi responsável pelo toque de cor do visual. Sem falar que o contraste entre os triângulos e os pontos da costura deram um ar cool.

 

LEIA MAIS:



ANTERIOR / PRÓXIMO